ford-fiesta-2011-00O recall anunciado hoje para mais de 176.341 unidades do Ford Fiesta Rocam já assombrou alguns consumidores. Agora, com o recall em andamento, o leitor Renato Lourenço relata como ocorreu a falha em seu carro e como foi o atendimento da Ford:

IMG_5829[1]“No último dia 30/05/2014, ao precisar utilizar os freios notei que o pedal do carro estava muito duro, tornando seu acionamento quase impossível, pois demandava muita força para seu acionamento, e quase bati forte com o veículo, tendo que recorrer a redução de marchas e ao freio de mão.

Então, entrei em contato com o Ford Assistance, tendo sido atendido pela funcionária Ivone Magalhães, a qual expliquei que a garantia do veículo havia expirado, e no entanto, a última revisão realizada dentro da garantia havia sido realizada pouco mais de um mês antes do ocorrido, então ela pediu alguns dados e meu número de telefone, para que fosse feita uma rápida analise para que o guincho fosse enviado ao local, no entanto, estou até agora esperando o guincho.

Por se tratar de local com alto indice de criminalidade, me arrisquei e resolvi trazer o veículo até em casa, utilizando de recursos como freio de mão e redução de marchas. Com o descaso proporcionado pela Ford, resolvi procurar meu mecânico de confiança, no dia seguinte, o qual constatou que a peça chamada “válvula do hidrovacuo” havia se rompido, ao abrir o capô e retirar o filtro de ar, rapidamente foi constatado a quebra da peça, pois a mangueira estava solta.

IMG_5830[1]O veículo havia sido revisado a pouco mais de um mês em concessionário da Ford (Besouro Veículos), localizada no município de Nova Iguaçu, e havia passado 27 dias aguardando o envio de componentes de sua caixa de marchas, pois a mesma estava pulando quando a primeira marcha era engatada, no momento da troca da peça, o meu mecânico ainda constatou que os parafusos da caixa de marcha estavam frouxos, e os apertou.

Nos termos do Ford Assistance existe a previsão da checagem do sistema de freios do veículo, e jamais desconfiaria que haveria esse tipo de problema, pois acreditava que as manutenções seriam realizadas dentro de um padrão de qualidade da montadora.

Até a presente data, a Ford não entrou em contato comigo para que pelo menos fosse dada alguma satisfação do não envio do guincho ao local para remoção do veículo, pois o ocorrido se trata de um vício que poderia ter custado a minha vida ou de algum familiar, tendo em vista que o veículo é bastante utilizado, tendo 1 ano de uso, e um pouco mais de 30 mil quilometros rodados.”

Em abril o jornal O Globo noticiou a ocorrência do defeito em pelo menos oito carros. À época a  Ford negou falha sistêmica e afirmou que nenhuma ocorrência desse tipo teria sido registrada pela Central de Atendimento ou pelos distribuidores. 

Fotos | Ford/Divulgação e Renato Lourenço/Arquivo Pessoal