Em teoria o Uruguai sempre esteve de fora das medidas tomadas pelo governo brasileiro que aumenta em 30 pontos percentuais o IPI dos importados, mas na teoria o país onde o Mercosul está sediado também seria afetado. No entanto, na prática a indústria automotiva uruguaia é formada apenas de montadoras de veículos importados em kits (CKD).

O Ministério da Fazenda informou hoje (27) que se comprometeu a adotar “no prazo mais breve possível” as medidas necessárias para que os veículos produzidos no país vizinho sejam liberados do aumento do imposto. Segundo Luis Porto,  vice-ministro uruguaio de Economia, a isenção será aplicada em até 15 dias.

Essa medida dá uma nova chance as empresas instaladas no Uruguai, como Nordex (Kia e Renault Trucks), Chery-Socma e Effa-Lifan (cuja fábrica está paralisada por excesso de estoque). Uma coisa é certa, com isso os chineses Effa 320 e 620, e Chery Tiggo e Face, fora o Kia Bongo, escapam do aumento do IPI.

Fonte | Reuters

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter