O Renault Captur ainda era apenas um desenho de arquivos de patentes quando nossos informantes sinalizavam que há fortes chances de ele ser importado para o Brasil. E hoje a Renault resolveu antecipar como é seu novo SUV compacto, uma de suas principais atrações para o Salão de Genebra, que começa em março.

O número de SUVs compactos na Europa só cresce, e a Renault não quis ser representada no segmento apenas pelo simplório Dacia Duster. Criou o seu próprio, o Renault Captur, derivado do Clio europeu e que aposta em seu estilo mais arrojado e em opções de personalização da carroceria. Há chances de ele ser comercializado no Brasil no ano que vem.

A Renault diz ter procurado conferir ao modelo as melhores características e capacidade de um SUV, o espaço interno de uma minivan e o prazer em dirigir de um sedã compacto. Por isso a versão final não saiu tão ousada quanto o conceito Captur de 2011, que esteve em São Paulo no ano passado para o Salão do Automóvel.

O Renault Captur conta com recursos como keyless, Hill Start Assist (que segura o carro em partidas em aclives) e sensores de estacionamento traseiro. Também estará disponível sistema multimídia R-Link com tela touch screen que envolve seis alto-falantes, conectividade Bluetooth, áudio streaming e sistema de som Arkamys.

Mede 4,12 m de comprimento, 0,5 cm menor que um Nissan Juke e bem próximo do Peugeot 2008. Ainda assim, e bem menor que o Duster, por exemplo.

Renault não deu detalhes dos motores, mas disse que o Captur será oferecido com uma variedade de motores a gasolina e diesel com o melhor consumo da categoria e emissões de CO2 a partir de 96g/km. O 0.9 de 3 cilindros e 80 cv é altamente cotado como opção de entrada.

O Captur será fabricado em Valladolid, na Espanha, e se chegar importado ao Brasil, será em meados de 2014.

Fotos | Renault/divulgação