MUN_1387[3]

O sucesso do utilitário X60 no mercado brasileiro animou a Lifan para lançar no Brasil seu segundo modelo desde que passou a ter suas operações controladas pela matriz chinesa, o sedã compacto 530. Segue a escola chinesa, com boas proporções, bom pacote de equipamentos e preço extremamente competitivo, que começa em R$ 38.990 e chega ainda modestos R$ 40.990.

MUN_2001[3]

Não é um chinês legítimo. O Lifan 530 é montado no Uruguai e o Brasil é um dos primeiros mercados a recebê-lo. Com volumes bem dimensionados e linhas agradáveis, com personalidade própria, inclusive, é bonito. E nem é tão pequeno: são 4,30m de comprimento e 2,55m de entre-eixos. O porta-malas tem capacidade de 475 litros.

Desde a versão de entrada há ar-condicionado, assistência elétrica na direção, ajustes de altura do banco do motorista e do volante, trio elétrico, airbag duplo, freios com ABS e EBD, sistema Isofix para fixação de cadeiras para crianças,  direção eletro-assistida, sensor de estacionamento, som, chave tipo canivete com abertura e fechamento à distância,computador de bordo, rodas de 15″, faróis de neblina e banco traseiro bipartido, rebatível e com regulagem longitudinal.

MUN_7890[3]

A versão mais cara, Talent (R$ 40.990), tem sistema multimídia Navtech, com tela de 7″ sensível ao toque, entradas USB SD card, Bluetooth, GPS e leitores de CD, MP3 e DVD, e ainda câmera de ré. Os únicos opcionais são os bancos de couro e os leds nas luzes de neblina custam R$ 1.500.

O motor é sempre um 1.5 16v que bebe apenas gasolina – uma versão flex já está em desenvolvimento. Com variação nos comandos de admissão gera 103cv e 13,6kgfm de torque. O câmbio é manual de cinco marchas. Uma particularidade é que há freios a disco nas quatro rodas.

MUN_2699[3]

A garantia é de cinco anos e a Lifan fala em custo total das seis primeiras revisões (até 50 mil km) de R$ 1.529,70. A primeira revisão, de 5 mil km, custa R$ 153 e a segunda, de 10 mil km, sai por R$ 212.

Fotos | Lifan/Divulgação