Renault Kwid será comercializado em três versões de acabamento

Por Marlos Ney Vidal (*)
De São Paulo

Depois de fazer sucesso no mundo virtual, chegou a hora do Renault Kwid encarar o mundo real. Com bons números na pré-venda, o hatch compacto começa a ser vendido e, agora terá que passar pelo crivo dos consumidores que terão seu primeiro contato real com o modelo. A marca deu um passo importante ao manter os preços agressivos da pré-venda. O Renault Kwid será comercializado em três versões com preços entre R$ 29.990 e R$ 39.990.

“SUV”

Apesar de ser um hatch, a Renault se baseia no Inmetro para chamar o Kwid de SUV. O modelo foi homologado como tal por se enquadrar nas exigências estabelecidas. Porém, o compacto nada mais é que hatch compacto com boa altura do solo (18 cm) e bons ângulos de entrada (24°) e de saída (40°).

Versões

O Renault Kwid terá três versões de acabamento: Life, Zen e Intense, nas opções de cores: range Ocre, Vermelho Fogo, Branco Marfim, Branco Neige, Prata Étoile e Preto Nacré.

Segurança

Durante a apresentação do Renault Kwid, os executivos foram questionados sobre a possível nota do modelo nos testes de impacto do Latin NCAP. “Estamos muito seguros em relação ao desempenho do modelo em relação à segurança. Estamos seguros, tranquilos”, afirmou um executivo.  Ainda segundo o executivo, devido ao sucesso na pré-estreia do Kwid, logo ele deverá ser testado pelo instituto. O modelo chegará com boas credenciais já que vem equipado desde sua versão básica airbags frontais e laterais, além de duas fixações Isofix para cadeirinhas infantis.

Interior

Por ser um projeto de baixo custo, a máxima foi levada à risca. O painel e forros de porta do Kwid são construídos com materiais simples. Porém, a montagem é de boa qualidade e não há peças com rebarbas aparentes. O painel é bem simples e o quadro de instrumentos das versões de entrada e intermediária contam somente com as informações básicas. Conta-giros é artigo de luxo, sendo ofertado somente na versão topo de linha. Nenhuma das versões conta com regulagem de altura e profundidade da coluna de direção. Os comandos dos vidros elétricos, disponíveis de série para as versões Zen e Intense estão posicionados no painel.

Mesmo sendo um modelo compacto, o Kwid oferece bom espaço interno dentro de sua proposta. Os bancos dianteiros são inteiriços e o assento não tem bom apoio para as pernas. O mesmo se repete no assento traseiro. Dois adultos viajam com certo conforto para as pernas e cabeça. Porém, três adultos no banco traseiro somente nas peças publicitárias. Na prática, para levar três pessoas atrás só se forem bem magrinhas. Para entrar no Kwid tem que se tomar cuidado para não bater a cabeça na carroceria.

Um dos trunfos do Kwid é boa capacidade do porta-malas. O compacto tem capacidade para 290 litros.

Andando

Nossa reportagem teve um curto contato com a versão Zen. Rodamos por alguns quilômetros no intenso trânsito da capital paulista. O Renault Kwid mostrou fôlego ao circular com três ocupantes e bagagens. Em determinado trecho do percurso, onde o trânsito não estava travado, deixamos intencionalmente as rotações do motor caírem abaixo dos 2.000 rpm, ao pisar no acelerador o motor responde rapidamente e logo já trabalha cheio novamente. Para o trânsito urbano o Kwid se mostrou bem ágil. Já o câmbio tem engates curtos e são bem mais precisos que o dos irmãos Logan e Sandero.

Já o conforto acústico deixa muito a desejar. Os motores de três cilindros são mais ruidosos e no Kwid isso chega a incomodar os ocupantes do carro. Isso deve ao isolamento acústico do modelo não ser tão caprichado.

A suspensão absorve bem os impactos e mesmo caindo em buracos no asfalto ela é firme sem as batidas secas. Em asfalto liso o rodar é confortável.

Motor

O Renault Kwid é equipado com o motor 1.0 SCe da dupla Logan/Sandero. Porém, o propulsor o duplo comando variável e coletor de admissão acoplado. As mudanças deixaram o conjunto seis quilos mais leve. A potência com gasolina é de 66 cv a 5.500 rpm e 9,4 kgfm a 4.250 rpm. Com etanol a potência é de 70 cv de potência a 5.500 rpm e torque de 9,8 kgfm a 4.250 rpm. Apesar de ser um novo motor, o famigerado tanquinho de partida a frio continua presente. O câmbio é o manual de cinco velocidades.

Consumo

Segundo a Renault, o Kwid é o modelo com o menor consumo de combustível do segmento no uso misto. Na cidade, faz 14,9 km/l com gasolina e 10,3 km/l com etanol. Na estrada, 15,6 km/l com gasolina e 10,8 km/l com etanol. E no uso misto, os números são 15,2 km/l com gasolina e 10,5 km/l com etanol.

Confira os principais itens de série do compacto:

Life – R$ 29.990

Principais itens: rodas 14”, 2 airbags laterais, 2 airbags frontais, 2 Isofix, predisposição para rádio e indicador de troca de marcha e de condução.

Zen – R$ 35.390

Principais itens: direção elétrica, ar-condicionado, travas, vidros dianteiros elétricos e rádio com Bluetooth e entradas USB e AUX.

Intense + Pack Connect – R$ 39.990

Principais itens: retrovisores elétricos, faróis de neblina cromados, Media Nav 2.0, câmera de ré, abertura elétrica do porta-malas, rodas Flexwheel e chave dobrável.

Revisão

O Renault Kwid conta com três anos de garantia total. Na versão Life, durante os três primeiros anos de uso o custo de manutenção com menos de R$ 1 por dia. Confira abaixo os valores das revisões até os 60 mil quilômetros:

Revisões 10 mil 20 mil    30 mil 40 mil 50 mil 60 mil
KWID Life R$ 349 R$ 349 R$ 349 R$ 470 R$ 349 R$ 349
Kwid Zen/Intense R$ 388 R$ 388 R$ 388 R$ 509 R$ 388 R$ 388

Conclusão

Com o Renault Kwid, a marca francesa resgata o conceito de carro popular. Resta saber na prática os consumidores entenderão isso. Como escrevemos acima, no mundo virtual o modelo é um sucesso. No real, dentro de sua proposta o Kwid tem predicados para se sair bem. Mas, como disse um executivo da marca, somente os resultados dos emplacamentos de agosto e setembro mostrarão se o hatch compacto está no caminho certo.

(*) O jornalista viajou a convite da Renault.