Flagras da Dodge Dakota em testes nas mãos da Fiat feitos em 2009 significavam o interesse da Fiat em vender a picape por aqui. Poderia ter resultado em algo, caso as vendas da Dakota nos EUA não estivessem indo de mal a pior. Isso fez com que sua produção fosse encerrada em 2011. Mas uma sucessora já está a caminho.

As primeiras gerações da Dodge Dakota (1986-1997) foram um sucesso, a ponto de sua terceira geração ter sido fabricada por aqui entre 1998 e 2002, mas a terceira geração não vingou. No geral o segmento de picapes médias nos Estados Unidos não vai bem, a ponto de a Ranger também ter sido descontinuada por lá, sem direito à nova geração global.

A Chrysler ainda acredita no potencial e não deixará uma vaga vazia em seu portifólio por muito tempo. Sergio Machionne, CEO do grupo Fiat-Chrysler, confirmou durante o Salão de Detroit uma sucessora e ainda adiantou ainda que há 50% de chances que esta nova picape tenha carroceria do tipo monocoque, como as picapes compactas, a SsangYong Actyon Sports e o Honda Ridgeline, sem subchassi ou caçamba separada da cabine.

Com este tipo de chassi a picape teria chances por ser mais leve e econômica que as similares. Mesmo assim as opções de motorização permanecem um mistério, mesmo que o executivo tenha dado a entender que poderia haver um motor a diesel, que também equiparia o Jeep Grand Cherokee, entre as opções (a Dakota só teve motor diesel no Brasil). Sem detalhes sobre a data de lançamento, resta acreditar em relatórios anteriores que apontavam a nova picape para o final de 2013.

Seria esta a tal picape média que a Fiat tanto deseja? Em se tratando de uma marca que tenta cobrir todos os segmentos competitivos à medida do possível, e considerando que este segmento está aquecido agora, mas irá esfriar nos próximos anos, minha resposta é sim.

Com informações do Inside Line

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter