Modelo francês aposta no bom nível de equipamentos desde sua versão de entrada para encarar as rivais no movimentado segmento. Vendas começam em maio

peugeot_2008_38Eduardo Aquino (*)
Especial para o Autos Segredos

Porto Seguro (BA) – A Peugeot também quer surfar a boa onda que embala o segmento dos crossovers e utilitários-esportivos no Brasil e lança o modelo 2008, que chega para competir com Ford EcoSport, Jeep Renegade, Honda HR-V e Renault Duster. O novo modelo, que já está em produção na fábrica da marca em Porto Real (RJ) desde o dia 17 de março, chega em duas versões de acabamento: Allure e Griffe, com preços sugeridos de R$ 67.190e R$ 79.590, respectivamente.

peugeot_2008_28A versão de entrada, a Allure, é equipada com motor 1.6 16V aspirado, que desenvolve potências de 115cv (gasolina) e 122cv (etanol) e pode ser atrelado a um câmbio manual de cinco marchas ou automático, de quatro velocidades. Já a Griffe, topo de linha, tem duas opções de motor: o mesmo 1.6 aspirado, que pode ter câmbio manual, de cinco velocidades, ou automático, de quatro velocidades; ou o 1.6 16V THP (com turbo e injeção direta), que gera potências de 165cv (gasolina) ou 173cv (etanol), que tem como única opção o câmbio manual, de seis velocidades. A mancada é que a versão não conta com o apoio de cabeça central.

Para produzir o novo crossover no Brasil, o grupo PSA Peugeot Citroën investiu cerca de R$ 400 milhões no seu desenvolvimento. A concepção do projeto teve a participação de equipes do grupo na França, Brasil e China. O modelo, que foi exibido do Salão do Automóvel de São Paulo, em outubro do ano passado, e já foi lançado na Europa e na China, começa a ser fabricado aqui com índice de nacionalização de peças de cerca de 80%.

peugeot_2008_24O visual externo é muito semelhante ao do hatch 208, do qual herda a plataforma. Na frente, se destacam a grade “flutuante” e os faróis mais afilados (segundo os designers da marca francesa remetem à pupila de um felino) e com luzes diurnas de LED. De perfil, chamam a atenção o posicionamento das rodas nas extremidades da carroceria (pouco balanço), teto com elevação, linha de cintura ascendente e as rodas de liga (de 16 polegadas) de desenho mais esportivo e acabamento diamantado. Na traseira, a lanterna em forma de bumerangue é muito parecida com a do 208, e também se destacam o para-choque com na cor preta e com proteção plástica na cor cinza, onde estão embutidas as luzes de neblina.

Por dentro, o novo 2008 incorpora o conceito que a Peugeot chama de i-cockpit, que associa a utilização do volante multifuncional de dimensões reduzidas ao painel de instrumentos em posição elevada e à central multimídia com tela de sete polegadas sensível ao toque e integrada (de série na versão Griffe). Ou seja, o motorista faz a leitura dos instrumentos por cima do aro superior. Mas, dependendo da altura do motorista, alguns relógios podem ficar encobertos, mesmo ele tendo à sua disposição coluna de direção regulável em altura e profundidade e banco com ajuste de altura.

peugeot_2008_6Também chama a atenção a alavanca do freio de mão do tipo manche de avião. Mas isso não é nenhuma vantagem, pois os concorrentes Honda HR-V e Jeep Renegade têm de série o freio de estacionamento com acionamento elétrico. Também merece destaque o sistema multimídia, com tela central de sete polegadas e sensível ao toque, que possibilita controlar a navegação por GPS (com mapa em 3D), o rádio, os arquivos de música (via conexão USB ou entrada auxiliar), a visualização de fotos e a conexão Bluetooth. A Peugeot promete para o dia 15 de maio o MyPeugeot, um aplicativo para IOS e Android que possibilita ao usuário receber via Bluetooth informações da central multimídia e acessá-las diretamente na tela do smartphone.

O acabamento interno tem boa qualidade, com detalhes cromados ao redor das saídas do ar-condicionado, nas portas e na moldura da central multimídia, que também conta com acabamento em black piano, presente ainda no painel de instrumentos e no comando do sistema de climatização. A Griffe tem volante e bancos revestidos em couro e tecido, com acabamento em tom marrom. O número de porta-objetos também é bom, com destaque para o porta-luvas refrigerado. O teto panorâmico de 0,60m² proporciona boa luminosidade no habitáculo.

peugeot_2008_5Em termos de espaço, o interior tem amplo espaço, acomodando cinco adultos sem muito aperto. Mas o porta-malas é um pouco limitado para um carro com pretensões familiares: somando com a bandeja de 22 litros sob o assoalho, a capacidade é de 355 litros. Mas o interior é bem modular e com o total rebatimento dos bancos traseiros, o 2008 vira um furgãozinho, com uma excelente capacidade de carga. Mas nesse caso, só viajam duas pessoas. Por fora, as dimensões são compactas (mesmo para um SUV compacto): 4,16m de comprimento, 1,74m de largura e 1,58m de altura. O Honda HR-V tem 4,29m de comprimento e o Duster, 4,33m

 Num trecho bastante longo, durante o lançamento em Porto Seguro (BA), podemos sentir toda a saúde do motor 1.6 THP turbo, que tem muito fôlego em qualquer situação. As retomadas são brilhantes e a aceleração empolga bastante. E tudo isso com um consumo razoável. De acordo com dados do Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV), ele faz 7,1km/l (etanol) e 10,7/l (gasolina) na cidade; e 8,5km/l (etanol) e 12,4 (gasolina). Já o 1.6 aspirado tem um desempenho mais familiar, e não chega a ser brilhante. E tem consumo muito parecido com o do turbo, segundo o PBEV: com câmbio manual, ele faz 7,3km/l (etanol) e 10,2km/l (gasolina) na cidade e 8,2km/l (etanol) e 11,6km/l (gasolina) na estrada. O 1.6 aspirado tem sistema Flexstart, que dispensa o tanquinho na partida a frio.

Assim como o de cinco velocidades, o câmbio manual de seis marchas tem engates precisos e macios. Os dois contam com sistema que indica no alto do painel o melhor momento para a troca de marchas. Já o câmbio automático tem como pontos positivos a troca manual por meio de teclas junto ao volante ou na própria alavanca e o sistema “eco”, que altera a troca para melhorar o consumo. Por outro lado, faz falta uma quinta ou sexta marcha, que traria mais conforto para a condução.

peugeot_2008_3

Primeira volta

Numa primeira avaliação, a suspensão se comportou bem ao passar por trechos de asfalto e terra, aliando conforto com estabilidade. Para enfrentar trechos mais difíceis, o Peugeot 2008 conta com altura do solo de 20cm e o sistema Grip Control (presente apenas na versão Griffe com motor 1.6 THP), que atua nos freios e no corte do motor e possibilita ao condutor escolher cinco modos de condução: Normal (asfalto seco), Neve (baixa condição de aderência, sendo que o sistema entra no modo normal assim que o veículo atinge 50km/h), Barro (na lama e grama molhada, e fica ativo até 80km/h), Areia (solo arenoso, funcionando até 120km/h) e ESP off (autonomia total para o motorista).

Em termos de segurança, os pacotes são bem completos, mas o sistema Isofix, que torna mais segura a fixação de cadeiras infantis, não está disponível nem na versão topo de linha.

peugeot_2008_9Versões, preços e equipamentos:
  • Allure 1.6 manual, R$ 67.190– Acabamento preto fosco nas molduras dos vidros, rodas de liga leve de 16 polegadas, painel de instrumentos de LCD com ponteiros vermelhos, airbags frontais e laterais, acendimento automático das luzes de emergência após frenagem brusca, sensor de estacionamento traseiro, controle automático de velocidade, computador de bordo, alarme, ar-condicionado de duas zonas, direção elétrica, vidros, retrovisores e travas com comando elétrico, coluna de direção com regulagem de altura e distância, central multimídia, som com MP3 e volante multifuncional.
  • Allure 1.6 automático, R$ 70.890– Mesmos equipamentos da Allure 1.6 manual.
  • Griffe 1.6 manual, R$ 71.290– Mesmos equipamentos da Allure automático, mais acabamento preto brilhante nas molduras dos vidros e frisos cromados em torno dos vidros laterais, painel de instrumentos de LCD com ponteiros brancos, airbags de cortina, três apoios de cabeça com regulagem de altura no banco traseiro, sensores de chuva e crepuscular, sensor de estacionamento dianteiro, teto solar panorâmico, bancos revestidos em couro/tecido e banco traseiro bi-partido.
  • Griffe 1.6 automático, R$ 74.890– Mesmos equipamentos da Griffe 1.6 manual.
  • Griffe 1.6 THP manual, R$ 79.590– Mesmos equipamentos da Griffe 1.6 automático, mais moldura cromada nos faróis de neblina, retrovisores cromados, pedaleiras esportivas em alumínio, controles eletrônicos de tração e estabilidade, faróis de neblina com sistema cornering, sistema de auxílio de partida em subida e sistema Grip Control.

(*)  O jornalista viajou a convite da Peugeot do Brasil.

[photomosaic]
Fotos | Peugeot/Divulgação