Também em seu último ano de produção, a Volkswagen Kombi já começou a perder versões, para no final deste ano se despedir definitivamente do mercado brasileiro. Em dezembro foram produzidas em São Bernardo do Campo (SP) as últimas unidades da Kombi nas versões Lotação e Escolar. Restaram apenas a Kombi Standard (R$ 48.150) e a Furgão (R$ 44.990).

O que não se sabe é até quando estas duas versões Kombi continuarão sendo produzidas. Por lei, poderá ser produzida até 31 de dezembro de 2013. Depois disso, como se sabe, ´todos os automóveis e comerciais leves deverão contar com freios ABS e airbags dianteiros. Como se sabe, motor refrigerado à água e injeção eletrônica é o máximo de tecnologia que a Velha Senhora comporta.

Presente no Brasil desde 1953 e produzida pela Volkswagen desde 1957, a Kombi já entrou para a história, por ter participado ativamente na construção do país e ter sido carro o primeiro carro da Volkswagen no Brasil e por ter sido o meio de transporte mais barato para muitas famílias décadas atrás.

Conhecida lá fora como T2, a perua que aqui chamamos Kombi foi produzida na Alemanha entre 1967 e 1979. De tão antiquada, até cinco anos atrás seu motor era o velho 1600 refrigerado a ar, e sua linha de produção em São Bernardo do Campo ainda hoje é praticamente artesanal. Pelo menos a Volks não cobra R$ 5 mil pela cor branca, única disponível há alguns anos.

O substituto é o Transporter, que começa a chegar da Alemanha nos próximos meses e em meados de 2014 deve passar a ser fabricado em Resende (RJ) junto dos caminhões da Man. A chegada da T5 foi antecipada com exclusividade pelo Autos Segredos em 12 de dezembro e dois dias depois em 14 de dezembro publicamos um flagra das primeiras unidades que chegaram para homologação.

Fotos | Volkswagen/divulgação