Neste mês, a Subaru comemora um aniversário especial: os 40 anos do lançamento da Leone State Van 4WD, o primeiro de uma série de automóveis equipados com tração integral. Apresentada no salão do Japão de 1972, perua teve vida longa, sendo produzida até 1993. Durante sua permanência no mercado, o modelo teve três gerações (na foto acima, vê-se uma representante da primeira safra, de 1972, e abaixo, uma da segunda, de 1981).

A perua da Subaru foi pioneira no uso de tração integral entre os carros de passeio. Até então, 4×4 era coisa de jipe. O Leone 4WD conquistou parcela significativa no mercado, principalmente em países com invernos rigorosos, onde a neve diminui a aderência e dificulta a circulação. Outros fabricantes só lançariam automóveis com proposta semelhante anos depois, já na década de 1980.

A  Subaru logo estendeu a tração integral a outros veículos da família Leone, que também era composta por sedã, cupê e picape. O equipamento não tardou a chegar a outros modelos da marca. Até o compacto Justy e o esportivo Alcyone, ambos já fora de linha, podiam receber o recurso.

O substituto do Leone é o Impreza, que honrou a tradição da tração integral e a capacidade de encarar terrenos difíceis. Na década de 1990, o modelo tornou-se um verdadeiro ícone das pistas pistas e sagrou-se tricampeão de rali.

Ao contrário do antecessor, o Impreza teve todas as gerações comercializadas no Brasil. A mais recente, a quarta, foi apresentada durante o último Salão de Nova Iorque (veja aqui) e poderá desembarcar no país neste ano.  O modelo, contudo, sempre teve presença discreta no mercado nacional. A própria Subaru nunca se destacou em termos de vendas em terras tupiniquins.  Em 2011, a marca ocupou o 30º lugar no ranking, com 2.360 veículos emplacados.

Para muitos consumidores brasileiros, a Subaru é sinônimo de tração integral. Não é por acaso, pois o Grupo Caoa, que representa a marca no país, importa apenas veículos 4×4. Isso faz com que muitas pessoas por aqui pensem que a marca só fabrica automóveis com tal característica, o que é um equívoco. Em outros países, inclusive na terra natal, a linha sempre foi composta também por veículos 4×2. Contudo, os modelos com rodas motrizes nos dois eixos são maioria: representam 55,7% de toda a produção da empresa até hoje, totalizando 11.782.812 unidades.

A preferência da maior parte dos clientes da marca pelos produtos com tração integral tem explicação prática. O sistema proporciona ótima dirigibilidade e forma um par perfeito para o motor do tipo boxer, que diminui o centro de gravidade dos veículos. Os propulsores com cilindros contrapostos também são tradição na empresa: começaram a ser utilizados na década de 1960. A inspiração veio da Volkswagen, que utilizava mecânica com a mesma arquitetura.

A linha mundial da Subaru é composta pelos modelos Legacy, Outback, Tribeca, Forester e Impreza. Todos estão à venda no Brasil. Recentemente, a família cresceu com a chegada do esportivo BRZ, o único oferecido apenas com tração no eixo traseiro. Recém lançado no mercado mundial, o modelo tem boas chances de desembarcar por aqui no futuro.

Fotos | Subaru/Divulgação

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter