O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou no início da noite de hoje, em Brasília, medidas cujo o objetivo é incentivar o crescimento do país. Isso inclui redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis. Carros de até mil cilindradas poderão ficar isentos do imposto, caso suas fabricantes estejam habilitadas ao regime automobilístico brasileiro.

Em outras palavras, para automóveis de até 1000cc³ a alíquota de IPI de 37% cai para 30%, mas no caso de fabricantes que satisfazem as exigências do governo, a alíquota de 7% foi zerada. Automóveis de 1000cc³ a 2000cc³ terão o IPI diminuído de 41% para 35,6% no caso de carros flex que não estão no regime. Os que enquadram terão uma queda de 11%, para 6,5%. Automóveis a gasolina terão o IPI reduzido de para 46% para 36,5%. Os que estão no regime, de 11% para 6,5%.

Para utilitários, o IPI cai de 34% para 31%, no caso dos veículos fora do regime automotivo, e de 4% para 1% para aqueles que integram o regime. Segundo Mantega, a renúncia fiscal estimada é de R$ 1,2 bilhão.

O governo negociou com as montadoras um desconto sobre as tabelas de preços dos veículos, em contrapartidas à redução do IPI. Segundo Mantega, até 31 de agosto carros até mil cilindradas terão um desconto de 2,5% sobre a tabela em vigor atualmente. Entre mil e duas mil cilindradas, o abatimento será de 1,5%, e para utilitários, de 1%. Ele ainda alegou que os carros podem ficar até 10% mais baratos, e que o setor se comprometeu a fazer reduções especiais – em promoções específicas – e não demitir trabalhadores.

Foto | Divulgação

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter