Renault Kwid E-Tech é a melhor versão do subcompacto

841

Vendido a R $146.990, o Renault Kwid E-Tech volta a ser o elétrico mais barato do Brasil. É bom de andar, mas apesar da evolução, algumas falhas persistem

Com o reajuste do CAOA Chery iCar que passa a ser vendido por R$ 149.990, o Renault Kwid E-Tech volta a ser o carro elétrico mais barato do Brasil. O franco-indiano produzido na China tem preço sugerido de R$ 146.990 para o segundo lote. O elétrico é bem melhor que o similar térmico produzido no Paraná.

VEJA TAMBÉM:

Diferentemente do Kwid a combustão, o elétrico é homologado somente para quatro ocupantes, ou seja, ele tem a capacidade ideal para um subcompacto. Isso se transforma em melhor conforto para os ocupantes traseiros. 

Foto | Renault/Divulgação – Na traseira, logo E-Tech é a única alteração no subcompacto

As baterias instaladas sob o assoalho deixam o Kwid E-Tech com centro de gravidade mais baixo, deixando o carro mais estável e mais no chão. O comportamento dinâmico do carro é bem superior ao de sua versão térmica. No geral, a condução do elétrico é mais prazerosa. 

O motor elétrico de 48 kW oferece 65 cv de potência e torque de 11,5 kgfm instantaneamente. A bateria do Kwid E-Tech é de 26,8 kWh. A velocidade máxima é de 130 km/h. 

O conjunto deixa o Kwid E-Tech vigoroso e no trânsito urbano, o torque imediato oferece uma boa agilidade. Nosso test-drive foi exclusivamente em trânsito urbano, que na prática é o habitat natural do hatch, em trechos com menos fluxo de carros, conseguimos pisar um pouco mais e o Kwid E-Tech se mostrou um carro divertido. 

O rodar do Kwid elétrico é confortável e mesmo em trechos de calçamento a suspensão filtra bem as imperfeições do solo. 

Em relação a autonomia, a Renault diz que de acordo com a norma SAE J1634, o elétrico pode chegar a 298 quilômetros com uma carga completa. Segundo a marca francesa, a  autonomia da bateria pode ser otimizada por meio do modo de condução ECO acionado facilmente através de um botão no console central. Este modo limita a potência de 33 kW (em vez de 48 kW), velocidade máxima a 100 km/h e torna a frenagem regenerativa mais atuante. 

Com capacidade de 26,8 kWh a bateria do subcompacto pode ser carregada até em uma tomada doméstica 20A aterrada. A recarga pode ser feita em tomada comum, em Wallbox de corrente alternada (AC) de 7 kW e em carregadores de corrente contínua (DC). Por exemplo, para carregar dos 15% até 80% da carga da bateria em DC são necessários 40 minutos, em um Wallbox de 7kW são 2h54 e em uma tomada doméstica de 220 volts são 8h57.   

Algumas falhas ainda persistem, os bancos dianteiros não apoiam bem as pernas dos ocupantes e os encostos poderiam ter abas mais salientes para segurar mais o corpo dos ocupantes. 

Para quem vai atrás, o assento permanece curto e segue sem apoiar bem as pernas. 

Em relação ao acabamento, o Kwid E-Tech segue o visual espartano do térmico. Plástico rígido continua dando o tom. Mas pelo menos a montagem é boa. 

Por mais que seja uma proposta de carro urbano e de baixo custo, o elétrico fica devendo ajustes da coluna de direção, não há nem mesmo o de altura. 

Apesar de oferecer vidros elétricos nas quatro portas, o motorista só comando os vidros dianteiros cujos comandos ficam posicionados abaixo do sistema multimídia. 

É mais seguro 

O Renault Kwid E-TECH é mais seguro que o similar térmico produzido no Brasil. De série, ele vem equipado com seis airbags, controle eletrônico de estabilidade (ESP), freios ABS com BAS (Braking Assist System), assistente de partida em rampa (HSA), câmera de ré, sensor de estacionamento traseiro, sistema multimídia Media Evolution e direção elétrica, entre outros itens de segurança e conforto. 

O que vem de série no Kwid E-TECH?

Os itens de série incluem a direção 100% elétrica com assistência variável, ar-condicionado, travamento centralizado das portas por botão, vidros elétricos dianteiros e traseiros, ajuste de altura dos faróis, limitador de velocidade (com acionamento no volante), sistema multimídia Media Evolution e regulagem elétrica dos retrovisores. 

O sistema multimídia Media Evolution oferece uma tela touchscreen de 7”, espelhamento de smartphone compatível com Apple CarPlay e Android Auto, Bluetooth, entradas USB e AUX. O volante traz o botão “push to talk”, que aciona o comando para reconhecimento de voz (via smartphone), permitindo ativar e comandar o assistente iOS ou Google do smartphone.

Cores

O Renault Kwid elétrico será oferecido nas cores Verde Noronha, exclusiva do modelo, e também estará disponível em branco Glacier Polar e prata Diamond. 

Siga nossas redes sociais para muito mais informações

Fique por dentro das novidades.

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade para mais informações.