[Teste] Fiat Strada Volcano 1.3 CVT – mais conforto e menos consumo

1819

A novidade no carro mais vendido no Brasil em 2021 é o câmbio automático CVT de sete marchas no modelo 2022. Preço da picape compacta é alto como de todos os veículos vendidos no país. Leia o teste

Por Paulo Eduardo

À imagem e semelhança da caminhonete média Toro, a Strada conquista pelas linhas da carroceria. O câmbio automático coroa o projeto de sucesso. É um câmbio de variação contínua com sete marchas simuladas no modo manual.

Trocam-se as marchas movimentando-se a alavanca ou por aletas no volante. O motor gira a 2.000 rpm a 100 km/h em sétima marcha. No câmbio manual, a 100 km/h, o motor gira a 3.100 rpm em quinta. Além do consumo menor, o ruído do motor não incomoda em rotação mais alta.

Outros dilemas do câmbio manual, que é antigo, são o curso longo da alavanca, engates nem sempre precisos e pedal da embreagem afastado força a musculatura da perna. O câmbio automático, que é o preferido dos consumidores atualmente, põe fim a tudo isso.

O som do excelente motor de 1.332 cm³ de cilindrada invade a cabine somente em rotação elevada quando se pisa fundo no acelerador para ultrapassar. Não há isolante antirruído sob o capô. O ruído do câmbio CVT é característica dele.

Esse motor é totalmente de alumínio e usa corrente de distribuição, que dispensa manutenção, em vez da correia dentada. O óleo do câmbio CVT não requer troca. Outra vantagem em manutenção.

O desempenho do conjunto motor/câmbio da Strada 1.3 CVT é satisfatório com dois adultos e ar ligado. A reação do CVT aos comandos do acelerador não é imediata. Demora alguns instantes. Outra característica dele.

O consumo de etanol registrado no computador de bordo na cidade variou entre 6 km/l e 7 km/l. Na estrada, oscilou entre 10 km/l e 11 km/l também com etanol e ar ligado.

A perda de potência e torque em relação ao modelo 2021 se deve às normas do Proconve (Programa de controle de emissões veiculares) para 2022. Perdeu 2 cv e 0,5 kgfm de torque abastecido com etanol.

A suspensão elevada e os bons ângulos de ataque e saída permitem transitar por caminhos ruins sem esbarrar a parte inferior. A altura mínima do solo diminuiu em 1,8 centímetros por causa do câmbio CVT. A Strada passa por onde automóveis com menor altura do solo nem ousam tentar.

E se uma das rodas estiver girando em falso, a força é transferida para a roda com aderência pelo controle de tração denominado E-locker que funciona até à velocidade de 65 km/h. Isso permite transitar em terreno enlameado. Está fora de cogitação o fora de estrada radical.

Os pneus de perfil baixo (55) são de asfalto. Ocorre transferência das imperfeições em estrada de terra com costela. Direção tem assistência elétrica, com boa calibragem em alta e em manobra.

Coluna de direção tem somente regulagem de altura. Volante tem boa pega e revestimento rugoso evita deslize acidental. Diâmetro de giro de 10,7 metros facilita manobra em garagem. Câmera de ré tem boa definição.

A picape Strada 1.3 CVT é veículo de carga adaptado para uso como automóvel. A tampa da caçamba é leve para abrir e fechar. Ponto em ergonomia. O banco traseiro tem espaço limitado para perna e o encosto é verticalizado, limitando o conforto em percurso longo.

Os assentos dos bancos dianteiros são curtos e também limitam conforto. A Strada 1.3 CVT merece bancos mais anatômicos. Abertura das portas traseiras em ângulo de 80 graus facilita o acesso.

A central multimídia tem tela tátil de sete polegadas e compatibilidade com Android e Apple, carregador de celular sem fio. Há muitos itens de conforto e conveniência.

Faróis com luzes de LED iluminam muito bem, com bom alcance do facho baixo. Freios bons param em espaço de segurança. Há airbags laterais dianteiros, controles de tração, de estabilidade e assistente de partida em rampa.

A estrutura da carroceria tem reforços estruturais nesta geração, mas a picape ainda não fez o teste de impacto.

O preço sugerido da Fiat Strada Volcano 1.3 CVT é de R$ 111.990. A pintura branca sólida tem preço de R$ 900 e as metálicas de R$ 2.350. A garantia é de três anos sem limite de quilometragem.

Ficha técnica Strada 1.3 CVT

Motor
De quatro cilindros em linha, oito válvulas, flex, 1.332 cm³ de cilindrada, 107 cv (etanol) de potência máxima a 6.250 rpm e de 98 cv (gasolina) a 6.000 rpm e torques máximos de 13,7 kgfm (e) a 4.000 rpm e de 13,2 kgfm (g) a 4.250 rpm

Transmissão
Tração dianteira e câmbio automático CVT de sete marchas no modo manual

Direção
Tipo pinhão e cremalheira, com assistência elétrica; diâmetro de giro, 10,7 metros

Freios
Disco ventilado na dianteira; tambor na traseira

Suspensão
Dianteira, independente, tipo McPherson, com barra estabilizadora; traseira, eixo rígido, com molas parabólicas longitudinais; altura do solo, 19,6 centímetros

Rodas/pneus
6 x 16”, de liga leve/205/55 R16

Peso
1.215 kg

Carga útil (passageiros + bagagem)
600 kg

Tanque
55 litros; caçamba, 844 litros

Dimensões (metro)
Comprimento, 4,48; largura, 1,732; altura, 1,576; distância entre-eixos, 2,737

Capacidades
Ângulo de ataque/saída, 23,3 graus/28,5 graus

Desempenho
Velocidade máxima, 165 km/h (e)/161 km/h (g); aceleração até 100 km/h, 12 (e) segundos/12,9 (g) segundos

Consumo (km/l)
Cidade, 8,8 (e)/12,4 (g); estrada, 9,9 (e)/ 13,9 (g) 

Siga nossas redes sociais