Versão duas portas só prova como estamos mal acostumados com os de quatro, às vezes sem necessidade

teste_vw_up!_duas_portas_18A Volkswagen é das poucas fabricantes que ainda insistem em carros duas portas. Ainda que tenha demorado para relançar o Gol com duas portas a menos, não esqueceu de trazer esta opção de carroceria para o Up!.

teste_vw_up!_duas_portas_16Nas lojas desde maio, o Volkswagen Up! duas portas tenta provar que todos nós estamos errados e carros quatro portas não são lá essas coisas. Tem seus pontos positivos, como as portas maiores para facilitar o acesso a um banco traseiro, e que ornam melhor com a carroceria pequena – com seus 3,60m de comprimento mantidos. Com os vidros laterais traseiros menores, o desenho fica mais limpo e até mais agradável. Talvez o erro seja um carro tão pequeno com quatro portas.

Há alguns poréns. As portas maiores não predicam na hora de ocupar aquela vaga “feita” para o Up!, mas que não facilitam a vida do motorista ao sair. Sem contar que a coluna B é deslocada para trás, levando consigo os cintos de segurança dianteiros, dificultando a tarefa de acessá-los.

Mal acostumados com carros de quatro portas se lembram a chatice que é abrir caminho para o banco de trás. Puxa-se uma alavanca no banco dianteiro e inclina-se o encosto e, se o espaço não for suficiente, basta continuar puxando o banco para que corra para frente. Só que quem estava sentado ali perdeu a posição do seu banco… Não tem memória da posição!

Espera-se compreensão do motorista, mas também dos dois que irão sentados atrás, pois o espaço para as pernas não é dos maiores. Sim, dois. Mesmo que haja encosto de cabeça para um terceiro, é melhor não tentar ir contra a física e levar cinco adultos num Up!. O espaço e até os porta-trecos lembram muito o que se vê na Saveiro Cabine Dupla.

teste_vw_up!_duas_portas_4O porta-malas é digno. Com 285 litros, tem capacidade maior que Fox e Gol, e ainda possui uma espécie de prateleira vendida como opcional que a torna mais rasa, facilitando o acesso aos objetos no dia a dia.

É um subcompacto – apesar da Volkswagen não chamar o Up! assim – com detalhes de carros grandes e aproveitamento de espaço invejável. No interior tudo é prático, simples e funcional.

Este Move Up! ainda tem quadro de instrumentos completo, com o velocímetro no meio e o computador de bordo abaixo, o conta-giros à esquerda e o marcador de combustível à direita. Na versão de entrada, Take, não há conta-giros e o marcador de combustível é digital, mas não chega a ser vulgar como o do primeiro Fox.

Você acende os faróis pelo botão giratório à direita do volante (coisa que no Gol é reservado às versões mais caras), e ao esbarrar na alavanca de seta, voilà, a seta dá três piscadas. É realmente um carro de entrada da Volkswagen? Sim, os vidros elétricos não têm função um toque e nenhuma versão pode ter volante multifunção – sem contar que, hoje um carro duas portas é sinônimo de carro popular.

Colocar os comandos de ar-condicionado no topo do painel com o sistema de som abaixo foi arriscado. A saída de ar central é pela parte superior, neste caso, atrás da telinha do Maps&More. É algo que JAC J2, Citroën C1 e Peugeot 107 sempre fizeram, lidando com o mesmo problema: o vento é direcionado para trás, mas boa parte bate no retrovisor interno – e em dias úmidos ele embaça após abrir a janela. Mesmo assim, há um propósito, que é melhorar a eficiência térmica do ar-condicionado: o ar não precisa ir para os passageiros, mas sim para o ambiente.

teste_vw_up!_duas_portas_8

O tal do Maps&More é esta telinha de 5” que mais parece um aparelho de GPS preso no topo do painel. Nesta versão é vendido junto com sistema de som integrado ao painel numa versão sem USB, mas com entrada auxiliar. Tem GPS,  gerencia o funcionamento do Bluetooth para chamadas e reprodução de músicas do celular e tem computador de bordo avançado, com informações em tempo real de consumo, sistema que educa o motorista a dirigir de forma eficiente e ainda pode exibe a temperatura do motor e conta-giros.

Estranhou o interior clarinho? É uma opção da versão Move Up!. Neste carro amarelo o cinza claro caiu bem – afinal a lataria fica exposta nas portas –, mas poderia ter plásticos pretos. No Take o painel tem tom cinza escuro. Ah, os bancos dianteiros sempre têm encostos de cabeça fixos, mas são confortáveis graças ao assento mais comprido que apoia melhor as coxas. Não cansa após uma viagem, ao contrário do que acontece na família Gol.

O motor que equipa o Up! é todo moderninho, um 1.0 12v três cilindros com 75 cavalos de potência na gasolina e 82cv quando com etanol, sempre a 6.250rpm. O torque máximo é de 9,7kgfm (G) e 10,4kgfm (E), sempre a 3000rpm. São bons números, mas nada incrível. O que impressiona é a forma como a força é entregue.

teste_vw_up!_duas_portas_9Respira bem sem ajuda de aparelhos, como turbo, e gosta de girar alto – vai de 3.000 a 6.000rpm em um instante e adora trabalhar nesse regime. De quebra, o três cilindros faz um ronquinho empolgante e vibra – principalmente com álcool – de uma forma que estimula a adiar as trocas de marcha. Isso seria agravado se o isolamento acústico não fosse tão bom, de permitir uma conversa civilizada a 110km/h – mesmo com o motor trabalhando a 3500rpm. E neste regime o motor não começa a pedir arrego: em quinta marcha é capaz de responder a pressão extra no acelerador sem chamar a quarta. As respostas se assemelham a motores 1.4 8v antigos, como de Chevrolet e Fiat.

Se nas retas o Up! faz ultrapassagens como gente grande e se mostra surpreendentemente estável, na serra não nega fogo e sobe muito bem, pedindo segunda marcha apenas em curvas fechadinhas. E como gosta de curvas… O acerto de suspensão é para quem ama dirigir, com pouca rolagem e direção que colabora com respostas certeiras para o entre-eixos curtinho. O bom câmbio de cinco marchas com engates rápidos e não atrapalha a festa.

Com gasolina, fez média de 14,4km/l, enquanto na cidade com álcool o consumo ficou em 10,5km/l.

teste_vw_up!_duas_portas_6É prático, simpático, econômico e bom de dirigir. Só não é barato. O preço inicial do Move Up! em R$ 30.140 engana. Para montar um carro igual ao avaliado soma-se R$ 1.091 da pintura metálica, R$ 1.165 pelo “acesso completo” (vidros, travas e retrovisores elétricos, estes com repetidores de seta, e alarme), R$ 350 dos sensores de ré, R$ 508 das rodas aro 14”, R$ 2.940 do ar-condicionado e R$ 1.330 da direção elétrica. Até aí, R$ 37.174.

Falta o sistema de som. Para isso, some R$ 246 de alto-falantes. Há um sistema de som sem Bluetooth mas com USB por R$ 562, mas queremos o Maps&More que custa R$ 1.200, mas requer um kit de instalação de R$ 663. Total: R$ 39.633

O que temos aqui é um excelente carro para um solteiro, um casal jovem, para quem precisa de um veículo menor e mais econômico para o dia-a-dia. Até a senhorinha que não tem mais a mesma noção de espaço que antes vai curtir. Também cumpriria muito bem o cargo de segundo carro de uma casa.

A questão é que um Up! com quatro portas resolve a vida de todos do mesmo jeito, mas nenhuma das duas opções de carroceria convencem o brasileiro de que o Up! é capaz de ser o único carro da casa. É aí que a concorrência – leia-se Ford Ka – faz a festa.

 teste_vw_up!_duas_portas_3

AVALIAÇÃO Henrique Marlos
Desempenho(acelerações e retomadas)  9 9
Consumo(cidade e estrada)  9 8
Estabilidade  9 9
Freios  8 8
Posição de dirigir/ergonomia  9 8
Espaço interno  8 7
Porta-malas(espaço, acessibilidade e versatilidade)  8 7
Acabamento  7 8
Itens de segurança(de série e opcionais)  7 7
Itens de conveniência(de série e opcionais)  6 7
Conjunto mecânico (acerto de motor, câmbio, suspensão e direção)  9 8
Relação custo/benefício  7 7

teste_vw_up!_duas_portas_7

FICHA TÉCNICA
» MOTOR
Dianteiro, transversal, três cilindros em linha, 12 válvulas, 999 cm³ de cilindrada, potência de 82cv com etanol e 75 cv com gasolina, a 6.000 rpm, e torque de 10,4 kgfm com etanol e 9,7 kgfm com gasolina, a 3.000 rpm.

» TRANSMISSÃO
Tração dianteira e câmbio manual de cinco marchas.

» ACELERAÇÃO ATÉ 100 km/h
12,4 segundos com etanol e 12,6 segundos com gasolina

» VELOCIDADE MÁXIMA (dado de fábrica)
165 km/h com etanol e 163 km/h com gasolina

» DIREÇÃO
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência elétrica

» FREIOS
Discos ventilados na dianteira e tambores na traseira, com ABS

» SUSPENSÃO
Dianteira, independente, do tipo McPherson; e traseira, semi-independente, do tipo barra de torção

» RODAS E PNEUS
Rodas de liga leve (opcionais) de 14 polegadas, pneus 175/70 R14

» DIMENSÕES (metros)
Comprimento, 3,605; largura, 1,645; altura, 1,500; distância entre-eixos, 2,421

» CAPACIDADES
Tanque de combustível, 50 litros; porta malas, 285 litros; carga útil (passageiros e bagagem), 412 quilos; peso, 958 quilos

teste_vw_up!_duas_portas_13

[photomosaic]

Fotos | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos