toyota_corolla_GLi_Upper_black_packFernando Miragaya e Marlos Ney Vidal

Sempre criticado por não oferecer controles de estabilidade e de tração, nem mesmo na versão Altis de R$ 105 mil, o Corolla vai tentar apaziguar os ânimos no Salão de São Paulo. A Toyota prepara uma série especial do sedã médio para o Autoshow, que começa dia 5 de novembro. E uma delas pode trazer o tão esperado dispositivo de segurança.

Com custo/benefício agressivo, a edição especial do Corolla com ESP será uma maneira de a Toyota preparar o terreno para a chegada do reformulado sedã em 2017 – esse, aleluia, terá controles de estabilidade e tração de fábrica. Além disso, é a estratégia para não perder muito mercado com as chegadas dos novos Honda Civic e Chevrolet Cruze – sim, fontes da marca dizem estar de olho na segunda geração do modelo da GM. A versão especial será baseada na XEI e deverá ser chamada de Dynamic

Carro que deve chamar a atenção para valer no estande da Toyota no Salão, porém, é o C-HR. O SUV compacto dará as caras no evento para fazer aquela presença e testar a reação do público. Nem precisava. É grande a pressão de revendedores e clientes da fabricante para que o modelo seja produzido e lançado aqui.

O que só aumenta a dor de cabeça para a filial brasileira da Toyota. O C-HR usa a mesma arquitetura global do futuro Corolla e do novo Prius. Porém, o SUV requer investimento alto em tempos de incertezas econômicas e dólar instável.

Ou seja, a conta não fecha e produção local só seria possível a partir de 2018. Só que, do outro lado, as boas vendas do Honda HR-V incomodam e pressionam. Trazê-lo importado é uma alternativa, mas o SUV não custaria menos de R$ 100 mil. Haja conta.

Foto | Toyota/Divulgação