Quem viveu os anos de 1960 certamente lembra-se dos automóveis Simca, pioneiros da indústria nacional. Tudo começou em 1959, quando a marca instalou-se em São Bernardo do Campo, SP, e iniciou a produção do sedã Chambord. Outros modelos, como a perua Jangada (foto), vieram posteriormente. Mas a trajetória foi curta, pois em 1967 as operações da empresa do Brasil foram compradas pela Chrysler. O sedã Esplanada, último derivado da linha Simca, foi mantido até 1969. Na França, seu país de origem, o fabricante lançou diversos automóveis entre os anos de 1935 e 1978, quando foi comprado pela Peugeot. O nome Simca foi abandonado em 1981.

Agora, três décadas depois, a marca pode ressurgir. O grupo PSA, detentor da Peugeot e da Citroën, estaria estudando a possibilidade de colocar a Simca novamente no mercado. A idéia é concorrer diretamente com o fabricante romeno Dacia, que pertence à arqui-rival Renault e produz carros de baixo custo. Na Europa, veículos como Logan, Sandero e Duster são produzidos pela Dacia.

A publicação alemã Autobild apurou a existência de uma disputa judicial entre a Peugeot e um morador da cidade alemã de Westfália do Norte, chamado Joachim W. Simca. O homem teria solicitado o registro da patente do fabricante de automóveis homônimo em 2007. No ano de 2008, o requerimento foi contestado pela marca do Grupo PSA, e desde então as duas partes não chegaram a uma solução.

Será que a Simca voltaria a atuar no Brasil, caso a Peugeot ganhe a disputa judicial? Ainda é difícil arriscar um palpite, já que nem mesmo a reestruturação da marca é dada como certa. Contudo, o passado do fabricante no país e o interesse do Grupo PSA em produzir veículos de baixo custo podem apontar para uma resposta positiva.

Com informações do site Auto Estrada

Foto | Arquivo pessoal

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter

Quer equipar seu auto? Compare os preços antes no indiCAuto Auto Peças Online!