A Hyundai escolheu o Salão de Detroit para apresentar a segunda geração do Veloster. O cupê de três portas manteve seu principal elemento estético e linhas mais retilineas, que o deixou menos ousado que seu antecessor.

Para amenizar a principal crítica do modelo, que tinha performance antagônica ao que seu nome sugestionava, a Hyundai substituiu a unidade 1.6 de 128 cv pela conhecida 2.0 de 147 cv e 17,8 mkgf. Mesmo assim, o ganho de quase 20 cv não é suficiente para torna-lo um verdadeiro alazão.

Por outro lado, os sul-coreanos também oferecem a versão 1.6 turbo de 201 cv e 26 mkgf de torque. Esse sim consegue impor respeito. A transmissão pode ser manual de seis marchas, ou automática de seis velocidades com gerenciamento eletrônico, para três modos de condução: Normal, Sport e Smart (econômico).

O cupê ainda vem de série com Controle de Estabilidade (ESP) dotado de vetorização de torque, que lhe garante maior dirigibilidade nas curvas. Segundo a marca, as vendas nos Estados Unidos começam no segundo trimestre deste ano.