Descendente de uma linhagem de pequenos jipes japoneses com porte de keikar, o Suzuki Jimny deixa de ser importado do Japão para agora ser brasileiro. Desde janeiro é fabricado na fábrica do Grupo Souza Ramos em Catalão (GO), junto com os Mitsubishi, mas isso não gerou abatimentos em seu preço. Parte dos R$ 55.990, mas pelo menos passa a estar disponível em quatro versões.

O jipinho também se nacionaliza atualizado. A linha 2013 tem frente mais volumosa, graças aos novos para-choque dianteiro, para-lamas e grade, além do scoop no capô. Há ainda rodas de liga leve aro 15” com acabamento grafite. No interior há mudanças no formato dos encostos de cabeça e nova padronagem de tecido para os bancos e portas. O conjunto de som inclui rádio AM/FM, CD player com MP3, WMA, USB e Bluetooth.

O Suzuki Jimny 2013 está disponível em quatro versões: o Jimny 4ALL e os dealer options Jimny 4SUN, com teto solar panorâmico de lona (ragtop) que custa R$ 59.990, o Jimny 4SPORT com maiores ângulos de ataque e saída e espelhos e maçanetas pintados na cor grafite, volante revestido em couro, moldura do painel na cor do veículo, engates dianteiro, traseiro e bola, snorkel e rack de teto na cor grafite, e que custa R$ 61.990, e por fim o Jimny 4WORK, cujo preço depende das exigências e dos equipamentos solicitados por quem encomenda.

Sob o capô está sempre o motor 1.3L (DOHC), com 16 válvulas, 85 cavalos de potência a 6.000 rpm com torque máximo de 110 Nm a 4.100 rpm e transmissão manual de cinco marchas.Se dá bem pois o carro pesa 1.060 kg, o que nem é pouco para um carro com 3,65 metros de comprimento, 1,60 m de largura, 1,70 m de altura e 2,25 m de entre-eixos. Mas tem tração 4×4 off road com reduzida e sistema de roda livre pneumática com caixa de transferência sincronizada e gerenciamento eletrônico. Seleciona-se no painel os modos 2WD para uso urbano com tração traseira, 4WD com tração nas quatro rodas e 4WD-L que dobra o torque e permite enfrentar diversos obstáculos off-road com tração 4×4 com reduzida.

Onde o Suzuki Jimny continua pecando é na segurança. Ele possui barras de proteção lateral, coluna de direção retrátil em caso de colisão e os cintos são de três pontos e encostos de cabeça ajustáveis para todos os ocupantes. Mas não há airbags nem freio ABS. No Brasil ele é projeto novo, já que passou a ter fabricação nacional, mas, para o denatran ele não é e se valendo disso a Suzuki venderá ele com os bem-vindos equipamentos de segurança apenas a partir de outubro.

Fotos | Pedro Bicudo e Murilo Mattos/Suzuki/divulgação