Primeira volta: BYD Dolphin sobe o nível de carro elétrico de entrada

1056

Hatch chinês tem espaço interno, lista de equipamentos e acabamento superior em relação aos concorrentes JAC E-JS1, Renault Kwid E-Tech e CAOA Chery iCar

O agressivo preço de lançamento de R$ 149.800,00 para o BYD Dolphin o coloca como a melhor opção para quem está à procura de um carro elétrico no segmento de entrada. O hatch da marca chinesa aposta em desenho atraente, lista de itens de série recheada e bom espaço interno. 

Com a chegada do BYD Dolphin, o nível de carros elétricos de entrada sobe consideravelmente. Ele ganha em espaço interno em relação aos concorrentes JAC E-JS1, CAOA Chery iCar e Renault Kwid E-Tech.

O BYD Dolphin EV tem 4,12 metros de comprimento, 1,77 m de largura, 1,57 de altura e 2,70 m de entre-eixos. O vão livre em relação ao solo é de 12 centímetros. O modelo pesa 1.405 quilos. O porta-malas tem capacidade para 250 litros de bagagens.

O bom entre-eixos proporciona um bom espaço interno para os ocupantes. Atrás, dois passageiros adultos viajam confortavelmente. No entanto, três adultos passam aperto até em trajetos curtos. Durante a apresentação, junto com mais dois colegas jornalistas, sentamos no banco traseiro e com três ocupantes até afivelar o cinto foi complicado. O banco do meio só mesmo para passageiro infantil. 

Na frente, os bancos têm encosto e apoio de cabeça integrados. Os assentos apoiam bem as pernas dos ocupantes, mas o encosto não acomoda tão bem as costas dos ocupantes. O banco do motorista oferece ajuste de altura manual. 

Os comandos estão todos à mão do condutor facilitando seu uso. O volante tem boa pega, mas fica devendo ajuste de profundidade. O quadro de instrumentos de 5 polegadas em TFT pode não agradar a todos, mas o motorista tem fácil visualização das informações exibidas. 

O console central elevado agrada e oferece dois porta-copos e abriga o comando do freio de estacionamento elétrico. 

O seletor de marchas fica no painel, sendo posicionado abaixo da central multimídia que é flutuante e giratória com tela de 12,8 polegadas. Por ela, o condutor comanda o ar-condicionado. A visualização das informações fica visível aos olhos do condutor em tempo integral. 

O ar-condicionado resfria rapidamente o habitáculo e conta quatro saídas de ar circulares, sendo duas nas extremidades e duas na parte central. 

A boa área envidraçada do Dolphin facilita as manobras que ainda contam com auxílio de câmera de 360° em HD.

O acabamento do Dolphin é muito bem cuidado e os revestimentos de bancos e forrações de porta contam materiais premium. Não há falhas de encaixes ou rebarbas aparentes. O desenho do painel e das forrações de porta tem aspecto moderno. 

O BYD Dolphin tem a frente bem curta, assim como o capô. Os faróis são iluminados por LEDs e contam com luzes de condução diurna integradas. Apesar das linhas com muitas curvas no para-choque, a frente do hatch é bem quadrada. 

De lado, o hatch chinês tem boa área envidraçada e as rodas de liga de 16” são diamantadas. 

Na traseira, o BYD Dolphin tem lanternas bem finas e invadem as laterais da carroceria. Elas são unidas por uma peça em acrílico e quando ligadas tem um belo visual. O para-choque é bem vincado e abriga a placa de identificação. 

No geral, as linhas do Dolphin são muito bem resolvidas e agradam aos olhos. 

A lista de itens de série é farta e inclui chave presencial, assistente de frenagem hidráulico, sistema de controle de tração, controle dinâmico do veículo, assistente de partida em subida, piloto automático, sensor de estacionamento traseiro, câmera panorâmica em HD, seis airbags (dois frontais, dois laterais e dois de cortina), sistema eletrônico anti furto, sistema indireto de monitoramento de pressão dos pneus (TPMS), direção elétrica, entre outros itens.

O motor elétrico do hatch chinês rende 95 cv de potência e torque de 18,3 kgfm. O BYD Dolphin EV pode acelerar de 0 a 100 km/h em 10,9 segundos e atinge uma velocidade máxima de 150 km/h. Três modos de condução podem ser selecionados: Sport, ECO e Snowfield.

Recarga

O BYD Dolphin EV vem equipado com a bateria Blade de 44.9kWh que proporciona uma autonomia de 291 quilômetros conforme números aferidos pelo Inmetro.

A bateria pode ser recarregada de forma simples. Com um adaptador é possível usar até uma tomada comum de 127 ou 220V. Já nos carregadores de alta potência que estão em shoppings, postos, estacionamentos e muitas residências, a bateria do Dolphin pode ir de vinte a oitenta por cento em apenas 25 minutos.

Andando

Neste primeiro contato com o Dolphin EV, rodamos no trajeto urbano no agitado trânsito da capital paulista. O motor elétrico do Dolphin EV apresentou desempenho satisfatório quando foi exigido e torque imediato contribui para que ele se torne ágil.

O hatch elétrico da BYD tem rodar suave mesmo em ruas de calçamento. A suspensão cumpre seu papel filtrando bem as imperfeições do solo. 

O BYD Dolphin chega ao mercado como boa opção entre os carros elétricos de entrada e tem qualidades para se tornar o mais vendido do segmento.

Fique por dentro das novidades.

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade para mais informações.