Fiat Uno Way com motor 1.3 de quatro cilindros tem melhor desempenho em relação ao 1.4 e consumo de combustível menor se deve também a modificações no carro

Por Paulo Eduardo

O novo Uno foi apresentado em 2010. A alteração principal em Fiat Uno 2017 é o novo motor 1.3 (1.332cm³ de cilindrada) totalmente de alumínio e com cabeçote simples ( duas válvulas por cilindro). O desempenho é muito superior ao motor 1.4 (1.368cm³ de cilindrada). A pergunta que muitos fazem é por que o 1.3 supera o de maior cilindrada em desempenho? Bem, a diferença de cilindrada é de apenas 36cm³. Muito pouco. O segredo é que esse motor de arquitetura moderna tem mais eficiência energética do que o anterior. O dilema dos motores a explosão é a perda de energia. O atual perde menos do que o anterior.

Motor 1.3 Firefly tem potência de 109 cv quando abastecido com etanol

Potência

Os números de potência e torque também são maiores no 1.3: 101/109 cv de potência do 1.3 contra 85/88 cv do 1.4; 13,7/14,2 kgfm diante de 12,4/12,5 kgfm do 1.4. Ambos são flex e os números maiores se referem ao álcool.

Confira também nossa avaliação do Renault Sandero Stepway.

Além do eficiente motor 1.3, o Uno 2017 teve aerodinâmica alterada, está equipado com pneus de menor resistência ao rolamento, direção elétrica, eletroventilador e bomba d’água mais eficientes, alternador inteligente, Stop&Start (que desliga o motor em parada e religa assim que o pedal de embreagem é acionado ou quando o carro atinge 5km/h numa descida), indicador de troca de marchas e óleos do câmbio e do motor (ver matéria economia de combustível vai além da evolução do motor). O Uno 2017 consome 17% menos de combustível e o motor representa cerca de 7%. E não tem mais os quadrados na dianteira.

Direção elétrica conta com função City

Direção elétrica

A direção elétrica tem o sistema City, que a deixa bem mais leve nas manobras. É firme em alta. Está bem calibrada. A coluna de direção tem regulagem apenas de altura, falta a de distância. Apesar de todas as modificações, o Uno carrega o peso dos anos e alguns elementos precisam ser modernizados, como a posição dos pedais.  O da embreagem ora está distante, ora muito perto. Isso incomoda. A anatomia dos bancos provoca cansaço na lombar.

Quando o sol incide na parte superior do painel, há reflexo no para-brisa. Isso incomoda. Em compensação, os retrovisores enormes garantem boa visibilidade.

Painel passou por reformulação completa na mudança visual de 2014

Segurança

Além dos airbags frontais e ABS obrigatórios por lei, a segurança básica do Fiat Uno Way está completa com apoios de cabeça e cintos de três pontos em todos os assentos traseiros. Há controles de estabilidade, tração e sistema de partida em aclive (Hill holder) que mantém o carro parado alguns segundos, evitando que recue. Todos esses itens são opcionais, inclusive o apoio de cabeça e cinto de três pontos no assento central traseiro. O preço sugerido do carro sem os opcionais de conforto e segurança é de R$ 48.590. Com eles, de R$ 54.277. Não está incluída a pintura metálica.

Salto alto

A versão Way 1.3 tem a maior altura do solo em relação às demais. São 19 centímetros de altura máxima do solo. A vantagem das versões aventureiras é trafegar em piso irregular sem esbarrar a parte inferior no solo. Esse segmento foi inaugurado pela Fiat em 1999 com a perua Weekend e adotado mundo afora pelos outros fabricantes. O rodar é um pouco mais duro do que as versões com menor altura do solo.

Andando

Números de desempenho divulgados pela fabricante empolgam: com álcool, o Uno Way 1.3 atinge 100km/h em 9,8 segundos. E 9,8 metros é o diâmetro de giro. Assim, o Uno tem mobilidade em espaços apertados, como garagem.  A velocidade máxima é de 177 km/h com gasolina ou álcool. O que precisa melhorar é o câmbio. Na unidade testada, os engates estavam macios, mas o curso da alavanca é longo e o motorista esbarra o cotovelo no encosto do banco ao engatar segunda ou quarta marcha. O câmbio não está afinado com o motor. Por isso, é preciso ter suavidade ao soltar a embreagem nas reduções de marcha para não sacolejar os passageiros.  Um motor de alto nível merece câmbio à altura.

As lanternas mantém o mesmo formato desde 2010

O motor acorda a partir de 2.000 rpm. Apesar de ter cabeçote simples, o torque máximo se dá em rotação elevada (3.500 rpm). Nem o ar-condicionado tira o brilho do desempenho. Esse Uno responde rápido também nas retomadas (ultrapassagens), além das acelerações vigorosas. Quando o carro começa a escapar no limite de aderência, o sistema eletrônico de controle de estabilidade e tração, que atua nos freios e no motor, entra em ação para mantê-lo na trajetória. O Uno Way tem capacidade de carga de 400 kg (passageiros + carga).

Desempenho e economia de combustível são os maiores atributos. O Uno tem porta-malas coerente com as dimensões e que pode ser aberto por dentro. Passageiros do banco traseiro não esbarram a cabeça no teto e o acesso ao interior é bom tanto nos bancos dianteiros quanto nos assentos traseiros. Apesar de não ser um projeto atual, o Uno tem muitas qualidades.

Uno Way 1.3 tem 19 centímetros de altura em relação ao solo

Ficha técnica

Motor
De quatro cilindros em linha, 1.332cm³ de cilindrada, flex, de 109cv (álcool)/101cv (gasolina) de potências máximas a 6.250rpm e torques máximos de 13,7 kgfm (a) e 14,2 kgfm (g) a 3.500rpm

Transmissão 
Tração dianteira e câmbio manual de cinco marchas

Direção
Tipo pinhão e cremalheira com assistência elétrica

Freios
Disco ventilado na dianteira e a tambor na traseira

Suspensão
Dianteira, do tipo McPherson, com barra estabilizadora; traseira, eixo de torção

Rodas/pneus
5,5×14”em aço (liga leve opcional)/175/65R14

Peso
1.057kg

Carga útil (passageiros+ bagagem)
400kg

Dimensões (metro)
Comprimento, 3,82; largura, 1,63; altura, 1,55; distância entre-eixos, 2,37

Porta-malas
290 litros

Desempenho
Velocidade máxima, 177km/h (álcool/gasolina); aceleração até 100km/h, 9,8 (a)/10,6 (g)

Consumo (km/l)
Urbano, 9,2 (a) e 12,9 (g); estrada, 10,1 (a) e 14 (g)

Fotos | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos