O Toyota C-HR será vendido no Brasil em 2018. No Salão do Automóvel de Buenos Aires realizado em junho a marca afirmou que estudava vender o SUV em sua versão híbrida. A revista Quatro Rodas afirma em sua edição de novembro que o modelo chegará ao Brasil via importação. Um protótipo do Toyota C-HR está em testes no Brasil como mostra o flagra do leitor Breno Bassani.

C-HR

É a primeira vez que a versão de produção do Toyota C-HR é exposta na América do Sul. O conjunto mecânico é o mesmo Prius. Caso venha para o Brasil, o SUV será equipado com o motor 1.8 a combustão e outro elétrico. O propulsor a gasolina rende 98 cv de potência e torque de 14,2 kgfm. Já o propulsor elétrico tem potência de 72 cv e torque de 16,6 kgfm. Combinados chegam à potência máxima de 123 cavalos de potência. O câmbio é automático do tipo CVT com alavanca do tipo joystic.

Plataforma

O Toyota C-HR é menor que o RAV4 e é construído sobre a nova plataforma batizada pela marca de Toyota´s New Global Architecture (TNGA) já usada na nova geração do híbrido Prius.

Linhas

A versão de produção do SUV compacto herdou as linhas do modelo conceitual apresentado no Salão de Frankfurt do ano passado. A carroceria é cheia de curvas e vincos e de perfil o SUV parece um cupê. As janelas traseiras pequenas chamam a atenção, assim como a posição das maçanetas das portas traseira posicionadas no teto.

Fotos | Breno Bassani

Flagrou algum carro diferente, camuflado, com placas verdes (ou tudo isso) ou ainda tem alguma informação interessante e quer contribuir com o Autos Segredos? Envie para o e-mail contato@autossegredos.com.br. Ou ainda pelo nosso WhatsApp (31) 99547-4805.

  • DoudleCow

    A importação de veículos híbridos está virando um filão para as montadoras no Brasil devido à redução do imposto de importação de 35% para no máximo 7%, em um segmento de alto valor.

  • Vanderley Almeida

    Com os atuais preços (extorsivos) dos combustíveis, tornam-se uma excelente alternativa. Além é claro, do apelo ecológico.

  • Mario

    Marlos, o motor a combustão será um 1.8 com 98cv??? Só isso? O elétrico com 72cv?? Tem algum número errado ai. Se os dois somados chegam a 123cv, acho que o elétrico deve ter 25cv.

    • Eduardo

      Não funciona dessa maneira, simplesmente somar ambos.

    • Raimundo A.

      O motor 1.8 tem ciclo diferente do que estamos acostumados fazendo-o ter menor potência, mas há menor emissão e maior autonomia.

      A potência total, combinada, vai depender da programação do sistema.

  • sigma7777777

    Como só venha em 2018 espero que até lá o motor à combustão seja flex.

    • RPM

      Vc quer que a Toyota piore o carro???

      • sigma7777777

        Acredito que um motor flex seria mais resistente ao etanol presente na mistura de nossa gasolina.

  • Ricardo Blume

    Essa versão híbrida virá ao país a preços muito elevados. Uma versão de entrada (1.2 turbo como na Europa) seria uma boa pedida também.

  • Antonio De Julio

    Pena que o preço não vai valer a pena a economia de combustível. Um carro “verde” de vitrine.

    • Ducar Carros

      Se vier a um preço pouco acima do Prius (que está vendendo, em média, esse ano, cerca de 200/mês), talvez roube parte das vendas dele.

      Pode tirar vendas também do Evoque, pegando quem não precisa daquela potência toda, e quer ter um carro “verde”.

  • Leonel

    Será que vai virar um Kia Rio da vida? Testes, boatos e afins e nunca vem? Rss..
    Brincadeiras à parte, se o Prius bate os R$120 mil, digo nada se este carro bater os R$150 mil…

    Mas eu apostaria que virá na faixa do Corolla Altis, na casa dos seus R$120 mil, disputando mercado com o próprio Prius, apesar de ser outra categoria…

  • Acacor

    É um carro de imagem para a Toyota no Brasil. Se ela quisesse volume colocaria um motor à combustão somente e iria vender horrores. Com certeza ia passar o HRV.

  • haventreportersjaps

    ver pra crer