…Se não acontecer mais nenhum atraso no projeto, afirma uma fonte.

projecao_picape_media_fiat_1Na programação interna da Fiat, o mês de outubro marcará a estreia da marca no sonhado segmento de picapes médias. Está certo que a picape do Projeto 226 não será do tamanho dos concorrentes. Na realidade, o modelo deverá criar um novo segmento, ao lado da futura Renault Oroch, entre as picapes compactas e médias. Na funilaria da fábrica nordestina, algumas carrocerias da 226 ainda estão tímidas em mostrar sua cara e ficam cobertas por grandes lonas. Entretanto, elas deverão ganhar as ruas em breve para os testes durabilidade.

Por enquanto, os protótipos ainda seguem usando a carroceria de Linea para os testes de rua; até mesmo fora do Brasil são usadas as mulas com a cara do sedã. A picape compartilhará toda a mecânica com o Jeep Renegade. Assim, teremos uma versão usando o motor 1.8 E.torQ EVO com opções de câmbio manual de cinco velocidades e o automático de seis, com a tração 4×2. Já as opções com motor 2.0 16v diesel contarão sempre com tração 4×4 e câmbio automático de nove velocidades. O motor 2.4 do Freemont é cotado inicialmente para equipar as versões destinadas a outros mercados.

Quem já viu o modelo final ficou impressionado com o acerto da nossa projeção publicada em novembro. O conceito exposto no Salão do Automóvel de São Paulo deu boas dicas do visual da picape, que por enquanto, é conhecida somente pelo codinome “Projeto 226”. Está na dianteira a herança do FCC4: a posição dos faróis e entradas de ar, que serão mantidas como as do conceito. Os faróis principais serão bem finos e concentram farol baixo e luzes de setas, nas extremidades. Diferentemente do conceito, a grade do modelo final será maior e contará com filetes horizontais. Os faróis auxiliares também estão nas extremidades do para-choque, ficando alinhados verticalmente com a seta e o farol principal.

Nas laterais, as linhas não estão tão ousadas como as do FCC4, mantendo a linha de cintura bem alta e os vincos bem definidos. Um deles segue por toda a lateral, começando na lanterna traseira, passando pelas maçanetas. Só que a área envidraçada será bem maior no carro definitivo, e a porta traseira, tão vertical como nas picapes maiores. Completando o visual, uma peça plástica na cor preta contornará as caixas de roda e se estenderá por toda a lateral, unindo os dois para-choques.

Na traseira, a picape contará com o mesmo sistema de abertura da tampa da caçamba. A porta se abrirá em duas partes assimétricas para os lados. A logo com tipologia da linha comercial ficará no centro da tampa e servirá como maçaneta de abertura. As lanternas não são tão futuristas, mas seguem um pouco as do fcc4. Elas invadem um pouco a tampa da caçamba e as laterais. O para-choque abrigará a placa de identificação, além das luzes de ré e de neblina.

A picape, construída em monobloco, – como a Honda Ridgeline e a futura picape Oroch, derivada do Renault Duster – terá porte das antigas Chevrolet S10 e Ford Ranger. É algo como entre-eixos de 2,80m, largura de 1,94m, altura de 1,6m e comprimento na casa dos 5m.

 Projeção | João Kleber Amaral/Especial para o Autos Segredos