flagra_jeep_renegade_4 Apesar da vocação off-road, o Jeep Renegade terá seis airbags de série (frontais, laterais e de cortina) desde sua versão de entrada. E a preocupação com segurança continua com o uso de aços de alta resistência em cerca de 70% do veículo – a maior quantidade dentro da marca -, o que melhora a estabilidade da carroceria e seu desempenho em colisões e ainda ajuda a reduzir seu peso total. A má notícia é que o Renegade não receberá o motor E.torQ EVO e será equipado com o propulsor 1.8 atual já usado pelos irmãos Fiat.

O lançamento do Renegade será em março e as revendas receberão as unidades vendáveis na última semana de março. A intenção da Jeep era que os preços do SUV ficassem próximos aos R$ 65 mil. Entrentato, com a alta do dólar aliada ao uso de muitas peças importadas da Itália a estimativa agora é com valores entre R$ 65 mil a R$ 70 mil para a versão de entrada.

Os motores serão o 1.8 E.torQ  que rende 132cv a 5250rpm com etanol no tanque e torque de 18,9kgfm a 4.500rpm.  O motor flex contará com o câmbio manual de cinco marchas e automático de seis velocidades. As revisões periódicas para o propulsor flex serão a cada 12 mil quilômetros rodados ou cada 12 meses, prevalecendo o que ocorrer primeiro.

Já o diesel será o 2.0 turbo que rende 172cv de potência a 3.750rpm e torque de 35,7kgfm a 1.500rpm. Esse motor contará com opções de câmbio manual de cinco marchas e o automático de nove velocidades. As revisões periódicas para o motor diesel serão a cada 20 mil quilômetros rodados ou a cada 12 meses, prevalecendo o que ocorrer primeiro.

O sistema de tração será o 4×4 (4WD) estará disponível para as versões Sport e Longitude. Esse sistema atua por demanda e é acoplado automaticamente quando as condições de terreno e torque exigirem. Quando não solicitado o sistema trabalha com tração nas rodas dianteiras 4×2 (FWD).

Já a versão Trailhawk  tem bloqueio do diferencial traseiro, reduzida e seletor de terreno.

Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos