flagra_mula_picape_media_fiat_3Por enquanto as novidades pernambucanas da Fiat seguem em testes somente com as mulas. Os protótipos da picape usam carroceria de Linea e o 500L cede sua carroceria para testes do SUV Renegade. Os dois foram flagradas dias atrás pela reportagem. A picape terá motor 1.8 E.torQ EVO Flex e o turbodiesel 2.0 MultiJet II que rende 170 cv.

flagra_mula_picape_media_fiatNas estradas existem mais protótipos da picape em testes que do SUV. Afinal, o desenvolvimento e testes do Renegade em sua maior parte são realizados pela Chrysler fora do país. Localmente, só mais para a frente teremos o modelo em sua forma definitiva.

Apuramos que essa história de picape com cara de automóvel é papo furado. Em nossas investigações sobre o modelo, descobrimos que até agora todas as especulações sobre o visual da picape não chegaram nem perto. A novidade que descobrimos é que o desenho da picape será ousado e bem diferente de qualquer Fiat existente atualmente no mercado.

Mesmo usando a carroceria de Linea, a arquitetura da picape já é a definitiva, ou seja, todo o assoalho, suspensão, eixos e mecânica são da picape. A suspensão é desenvolvida em parceria com a Bosch. Elá terá um entre eixos grande (cerca de 2,80 m). Terá o porte das antigas S10 e Ranger. A picape da Fiat contará com chassi monobloco, de fato, e com tração dianteira.

A picape compartilhará os mesmos motores com o Renegade  e será equipada com um motor E.torQ EVO Flex que manterá a mesma cilindrada 1.8, mas, com aumento de potência e opções de câmbio manual e automático. A outra motorização será o turbodiesel 2.0 MultiJet II que rende 170 cv e 35,7 kgfm de torque, também com opções de câmbio manual e automático.

flagra_mula_suv_jeep_renegadeRENEGADE Enquanto estava parado num dos meus pontos de observação, o 500L do flagra acima passou do meu lado, e o barulho do motor diesel é inconfundível. Assim como a picape o SUV contará com os motores E.torQ EVO Flex que manterá a mesma cilindrada 1.8, mas, com aumento de potência e opções de câmbio manual e automático. A outra motorização será o turbodiesel 2.0 MultiJet II que rende 170 cv e 35,7 kgfm de torque, também com opções de câmbio manual e automático.

O modelo nacional dará as caras no Salão Internacional de São Paulo e as únicas diferenças serão acessórios estéticos.  O SUV tem 4,23 metros de comprimento, 1,69 metro de largura e 2,57 metros de entre-eixos. O porta-malas, por sua vez, tem 350 litros de capacidade. Teria cacife para encarar modelos como Ford EcoSport, Renault Duster e Chevrolet Tracker se, claro, seu preço for conveniente.

Por dentro ele parece ser menos selvagem, com estilo que mistura um pouco da brutalidade dos Jeep com linhas arredondas que parecem ser sugestão da Fiat; nada muito diferente dos Dodge e Chrysler mais recentes. O pacote de equipamentos é interessante e envolve sistema de infoentretenimento com tela sensível ao toque de 6,5 polegadas com sistema som, GPS, Bluetooth e entradas USB e auxiliar, sete airbags, controle de tração e de estabilidade, aviso de ponto cego e assistente de partidas em rampa, entre outros itens. (Com Henrique Rodriguez)

[photomosaic]
Fotos | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos