flagra_fiat_bravo_2015_3No fim de agosto publicamos nossa aposta para o visual que o Fiat Bravo irá ostentar em 2015. Agora, mesmo com a unidade de testes ainda camuflada, nota-se que a projeção produzida pela reportagem do Autos Segredos está no caminho certo. O modelo será lançado no primeiro semestre de 2015, já como linha 2016.

flagra_fiat_bravo_2015_8Na dianteira, apenas o para-choque é novo. A peça ganhou nova grade e entrada de ar. A grade contará com uma barra prateada horizontal com logo da Fiat e sua parte interior será do tipo colmeia. Já a entrada de ar inferior terá um formato parecido com a do Linea 2015, porém, em vez de filetes, também apelará para uma grade em formato de colmeia e os contornos receberão uma barra cromada que passa pela extremidade inferior e segue por cima dos faróis auxiliares, que manterão praticamente o mesmo formato.

Os consumidores mais desatentos nem perceberão as mudanças na traseira do Bravo 2015. As lanternas traseiras ficam com o mesmo formato e a única alteração estará nos elementos internos. Já o para-choque é novo, mas, nem tanto. A peça terá refletores (olho de gato) nas extremidades inferiores.  De resto, o abrigo da placa de identificação é praticamente o mesmo e nem o desenho das luzes de ré muda. Por fim, para dar aspecto de uma peça “nova”, o para-choque ainda ganhou três tomadas de ar falsas – e desnecessárias – na cor preta, sendo dois nas extremidades e um no centro logo abaixo da placa.

Internamente, não haverá grandes novidades. O modelo deverá ganhar apenas mais algumas firulas tecnológicas como os retrovisores que terão a função Tilt Down — ao engatar a marcha ré o espelho retrovisor do lado do passageiro inclina para baixo, melhorando assim a visualização nas manobras de estacionamento, como nos Volkswagen. O modelo também  ganhará novo abrigo para receber como opcional uma central multimídia da Mopar. O rádio da unidade flagrada parece ser o mesmo que estreou no Uno 2015.

Já na motorização, nenhuma mudança. O hatch continuará com os motores 1.8 E.torQ e o 1.4 T-Jet. Também não há mudanças nas transmissões, permanecendo os atuais Dualogic e os manuais de cinco e seis velocidades. Mas a engenharia da Fiat está trabalhando em mais uma atualização do câmbio Dualogic, que não vai ficar pronta a tempo. É chover no molhado. Será que é muito difícil entender que neste segmento um câmbio automático de verdade é extremamente necessário?

[photomosaic]

Fotos | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos