2014-Chevrolet-Captiva-GM-Brazil-003-medium[3] O fim está próximo. Pelo menos para o Chevrolet Captiva, que terá sua produção encerrada em novembro, segundo a imprensa mexicana. O SUV teria chegado ao final de seu ciclo, mas ainda não há planos oficiais para um sucessor, mas a fábrica de Ramos Arizpe está envolvida numa negociação com a fábrica da GM em Spring Hill, no Tennessee, e poderá trocar a produção do Cadillac SRX pela próxima geração do Chevrolet Equinox. E isso pode nos ser interessante.

Por ora os 400 colaboradores envolvidos com a produção do Captiva deverão ser remanejados, tanto para a produção do SRX como para a fabricação de motores (os do Sonic e meia dúzia de motores V6 são fabricados ali). Nos últimos tempos o Chevrolet Captiva vive apenas da demanda do Brasil e do México, já que nem mesmo a GM estadunidense o vende mais – e era restrito para frotistas. Com a produção encerrando em novembro, o último lote do Captiva poderia chegar no início de 2015.

Diferente do Captiva encontrado em outros países sul-americanos e na Ásia, o Chevrolet Captiva vendido por aqui é derivado do Opel Antara e em seguida originou o Saturn VUE. Com a falência da Saturn o modelo, já cansado dessa vida, passou a ser vendido nos EUA como Chevrolet sem sucesso.

No Brasil até que ele vingou e conquistou fama. Lançado em 2008 – época com poucos concorrentes atualizados e quando ser mexicano ainda era uma grande vantagem para os carros – o Captiva conseguiu se manter com relativo conforto. Entretanto, sua gama de versões foi enxugada dramaticamente nos últimos: há um ano é vendido apenas com motor 2.4 Ecotec, sendo que já havia perdido a versão V6 com tração dianteira.

Segundo a Reuters, a fábrica de Ramos Arizpe ficará encarregada da próxima geração do Chevrolet Equinox já a partir de 2015. Se trata de um SUV médio com porte não muito maior que o do Captiva, e que teria sua importação para o Brasil viabilizada. O Cadillac SRX – que não tem qualquer chance de vir para o Brasil – seria enviado para a atual fábrica da GM no Tennessee, unidade que também sofreu muito com o fim da Saturn.

Atualização: Em nota a Chevrolet diz que “Não tem nenhum fundamento a especulação sobre Captiva. O veículo continua sendo produzido normalmente no México e vendido tanto no mercado local quanto nos mercados de exportação, incluindo o Brasil.”

Agradecemos ao leitor Danilo Oliveira pela dica.

Foto | Chevrolet/Divulgação