Que o Fiat Bravo será nacional não resta dúvida, até mesmo a fábrica admite extra-oficialmente. Porém, o que a maioria não sabe é que o processo de tropicalização do modelo começou tempos atrás. Mais precisamente em agosto de 2007, quando as primeiras carrocerias vindas da Itália passaram na linha de montagem para que fossem feitas as alterações para sua produção no Brasil.

Hoje todas as unidades em testes já foram produzidas em Betim. Um dos primeiros Bravo nacional foi esse do flagra acima realizado em julho de 2008. Na época como o modelo tinha acabado de sair da linha de montagem, os funcionários da experimentação não tiveram tempo para camuflar o protótipo com a tradicional roupagem preta, na qual o carro fica mais para um caixote sobre rodas.

São montados geralmente uns cem protótipos do modelo a ser produzido, cada setor fica com um número x de unidades para os testes específicos, como os de refrigeração, motorização, carroceria, ruídos entre outros. Todos os protótipos no fim dos testes são desmontados e suas partes são analisadas para possíveis correções dos defeitos. Para se ter uma ideia a quilometragem total dos protótipos chega mais de um milhão de quilômetros.

Esse modelo do flagra abaixo é um dos mais novos protótipos montados em Betim. Para não acabar com a novidade os primeiros modelos são pintados em branco e ganham essa roupagem preta, somente com a aproximação do lançamento é que o modelo recebe a roupagem de “zebra”, depois os modelos são pintados com as cores de lançamento e ganhando apenas fitas pretas, que escondem somente alguns detalhes do modelo. Por isso ainda teremos muitos flagras do Bravo com essa roupagem, pois o hatch-médio só chegarás a revendas no fim de 2010.

Fotos Marlos Ney Vidal/Autos Segredos