Jipe-1Os leitores que acessam o Autos Segredos há mais tempo talvez se lembrem de uma reportagem publicada em 2011 (veja aqui) por ocasião do aniversário de dois icônicos modelos off-road: Jeep Willys e Toyota Land Cruiser (que, na primeira geração, foi conhecido como Bandeirante no Brasil). Na época, os dos jipes completavam, respectivamente, 70 e 60 anos desde o lançamento. Pois agora, voltamos ao assunto para falar contar a história do proprietário de um Jeep 1943  que, para celebrar o aniversário do próprio veículo, levou-o da Europa à América do Norte.

jipe-2O homem em questão é o jornalista italiano Vittorio Argento. Seu veículo, um Willys MB, testemunhou o maior conflito armado da humanidade: foi produzido no dia 3 de junho de 1943, exatamente um mês antes do desembarque das tropas norte-americanas na costa da Sicília. Ao lado dos militares dos Estados Unidos, lutou contra os exércitos do Eixo. Após o fim da Segunda Guerra Mundial, o jipe foi transferido para as forças armadas da Itália, onde prestou bons serviços até o ano de 1984, quando foi vendido ao atual proprietário.

Argento é aficionado pelo veículo e o mantém em perfeito estado até hoje. A viagem de aniversário não poderia ter outro destino senão a fábrica da Chrysler em Toledo, em Ohio, nos Estados Unidos, onde o velho Willys MB foi produzido há exatas sete décadas. A jornada começou em Roma, com o embarque do modelo em um navio rumo à América do Norte.

Já do outro lado do Atlântico, o jornalista e seu fiel 4×4 percorreram cerca de 1.600, passando pelos estados de Nova Jersey e Pensilvânia. Há cerca de uma semana, quando chegaram ao complexo industrial de onde sai atualmente o Jeep Wrangler, Argento e o Willys MB participaram de uma cerimônia com diretores e funcionários da marca.

jipe-3VELHO DE GUERRA A história do jipe Willys está diretamente ligada à Segunda Guerra Mundial: seu projeto foi desenvolvido a pedido do exército norte-americano, para servir as tropas durante o conflito. A concorrência foi vencida pelo modelo Quad, concebido pela Willys Overland, uma empresa pequena diante das gigantes Ford e GM. Avanços rápidos fizeram o Quad virar o MA, que logo se tornou o MB. A marca, após o conflito, foi comprada por outro fabricante automotivo, a Kaiser, que por sua vez deu origem à AMC (American Motors Corporation), por fim adquirida pela Chrysler em 1987.

O 4×4 da Willys sobreviveu à guerra e a todas as fusões empresariais, sendo produzido nos Estados Unidos sem grandes modificações até 1986, quando foi substituído pelo Wrangler. Logo após a guerra, recebeu o nome de Jeep, que na verdade era uma corruptela de GP, sigla para Gerenal Purpose Vehicle, (veículo de utilização geral, em português), um codinome militar. O sucesso do modelo é tão grande que deu origem a uma marca própria, a Jeep, que até hoje está nas mãos de Chrysler.

NO BRASIL O Jeep fez sucesso também no Brasil. Começou a ser montado no país em 1953 e foi nacionalizado em 1957. Em 1968, a Willys do Brasil foi comprada pela Ford, mas a produção do modelo só foi encerrada muito tempo depois, em 1983.

Fotos | Chrysler/Divulgação