A Kombi tem sua impotância histórica no Brasil. Foi o primeiro carro fabricado pela Volkswagen em território nacional, a partir de 1957. No entanto, desde 1953 ela era montada com peças importadas pela Brasmotor. Mas, não se engane, esta não é uma matéria histórica – ou é?. O assunto é a marca de 1.500.000 unidades da Kombi fabricadas no Brasil nos últimos 54 anos.

Em tempos que as montadoras criam carros com o propósito de relembrar antigos sucessos, a Volkswagen ainda fabrica a Kombi no Brasil, com poucas alterações em relação ao projeto original, e na mesma fábrica, a de São Bernardo do Campo (SP). Todos os dias 145 unidades da perua saem da fábrica, perdidas entre o passado e o presente.Das 1.500.000 unidades fabricadas no Brasil, 1.404.083 ficaram no País. Hoje a Volkswagen Kombi é oferecida nas seguintes versões: Standard (9 passageiros), Furgão (2 ou 3 passageiros), Lotação (12 passageiros) e Escolar (15 passageiros). Os preços partem dos R$ 44.760. Preço de carro de imagem…

Um sucesso duradouro até demais

A Kombi foi idealizada pelo holandês Ben Pon na década de 40. O objetivo era incluir o conjunto mecânico do Fusca em um veículo leve de carga. A produção do modelo começou na Alemanha em 1950. O destaque era a carroceria monobloco, a suspensão reforçada e o motor traseiro 1200 refrigerado a ar, de 25 cv.Em 1957 foram fabricadas as primeiras unidades no Brasil. Com um índice de nacionalização de 50%. Em menos de quatro anos chegou ao mercado o modelo de seis portas, nas versões luxo e standard, com transmissão sincronizada e índice de nacionalização de 95%. A versão pick-up surgio em 1967, já com motor de 1.500 cm³ e sistema elétrico de 12 volts.

Nos anos 70 a Kombi foi enviada daqui para mais de 100 países. Os principais mercados externos da Kombi foram Argélia, Argentina, Chile, Peru, México, Nigéria, Venezuela e Uruguai.Após uma reestilização em 1975, a Kombi passa a ser equipada com o motor 1.6L e, três anos mais tarde, o modelo ganha dupla carburação. O motor diesel 1.6, refrigerado a água, surgiu em 1981, mesmo ano do lançamento das versões furgão e pick-up com cabine dupla. No ano seguinte surge o modelo a álcool e em 1983 a Kombi apresenta painel e volante novos, além da alavanca do freio de mão, que sai do assoalho e passa para debaixo do painel.

Uma versão mais moderna chegou em 1997 com o nome de Kombi Carat, com teto mais alto, porta lateral corrediça e a ausência da parede divisória atrás do banco dianteiro. No final de 2005, a Kombi passou a ser equipada com o motor 1.4 Total Flex (arrefecido a água), 34% mais potente e 30% mais econômico do que o antecessor refrigerado a ar. Por não poder ser equipada com freior ABS e duplo airbag, a última Kombi deverá dar adeus às linhas de montagem até o início de 2014.

Fonte e fotos | Volkswagen

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter