Hoje aproveitei o dia de folga e fui com a Giza e o João Pedro conhecer o Nissan March. Estou pensando em trocar o meu Renault Logan Up e o compacto da Nissan estava na lista de possibilidades, por conta do preço e do pacote de equipamentos. Chegando na concessionária uma unidade laranja do March 1.0 estava na porta da revenda em destaque. Algumas pessoas estavam olhando a novidade. Quando o japonês ficou só, partimos para as observações. O primeiro local que analisamos foi o porta-malas e a Giza logo dispara “parece ser menor do que o do Uno Way”, diz. Mas, também para quem está acostumado com o porta-malas do Logan é difícil se acostumar com o de um hatch…

No interior os bancos aparentam ser agradáveis, mas, o aspecto dos plásticos do painel e do forro das portas são bem espartanos. O puxador interno também não agradou a Giza e logo mais uma comparação com o Logan que ela acha bem melhor que o do March, quesito que mais uma vez ela tem razão. Popular para popular o acabamento da Renault é mais bem cuidado e o material é um pouco melhor que o do compacto japonês.

Imagino que vocês já devem estar pensando que o compacto levou bomba, mas, o design externo é um ponto positivo pelo menos para a família Vidal. Nesse quesito não tem para o Logan, o March é muito mais agradável aos olhos, claro que tem alguns deslizes como as maçanetas que não seguem a pintura da carroceria.

Depois de ficarmos abrindo e fechando portas olhando os detalhes do carro, esperávamos que algum vendedor da concessionária se aproximasse para seguirmos adiante na conversa. Porém, não foi o que aconteceu, ao olharmos para o showroom estavam mais ou menos cinco ou seis vendedores “batendo papo”.  No período que ficamos por lá outros possíveis clientes também olharam o carro e não foram atendidos. Como se trata de uma novidade importante para a Nissan era de se esperar que algum funcionário da marca ficasse de prontidão para fornecer informações sobre o modelo. Aliás se formos comparar a falta de pró-atividade dos funcionários da concessionária com a famosa propaganda dos “Pôneis malditos” a conclusão é que os vendedores estão mais para pôneis do que para cavalos puro sangue… Esse tipo de atitude não retrata a expectativa de uma marca que quer abocanhar 5% de participação de mercado…

Foto | Nissan/divulgação

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter