O Toyota Etios já está no mercado indiano há um ano, e desde maio é também exportado para a África do Sul, onde já está no top 10 em vendas. Agora a Toyota tem pela frente o desafio de inserir seu compacto para países emergentes em um mercado onde sempre atuou com modelos de porte médio. O Etios Connection, evento itinerante que passará por 12 capitais brasileiras até o final de setembro, ajudará a fabricante a divulgar a novidade. Já é possível inclusive . E lá fui eu conhecer o Etios…

Mas o compacto não é a única atração. Ao entrar no espaço do evento fui recepcionado pelo Toyota 86, esportivo da marca desenvolvido em conjunto com a Subaru e já vendido em diversos países, o Prius, conhecido híbrido da Toyota que será lançado neste semestre, além de uma unidade de corrida do Etios. Enquanto o Prius agrada quem se preocupa com emissões, o 86 faz a cabeça de entusiastas – como nós. Ele tem presença confirmada para o Salão do Automóvel, mas seu lançamento por aqui ainda não é certo. Ainda…O Etios mesmo está em outra sala, onde você entra após assistir um breve video de apresentação. Cara a cara o Etios não é desengonçado como parece em fotos, principalmente observando a traseira do hatch e do sedã. Ele não é fotogênico, mas suas formas não são compatíveis com um projeto recente – o Etios foi apresentado como conceito há 2 anos. Os Toyota que se destacam pelas formas ficaram na outra sala.

O Etios se destaca mesmo é no interior. Sentado ao volante você se sente acolhido pelo console levemente inclinado para a esquerda, proporcionando boa ergonomia. O câmbio elevado – justo e de engates curtos – também contribui. “Mas e o quadro de instrumentos central?”, você pergunta. Bem, fizeram ele assim… Ao menos os instrumentos são grandes e também estão voltados para o motorista. Uma pena é a tela de LCD, onde é apresentado o odômetro e o nível de combustível, ser tão pequeno.

O rádio double-DIN proporciona um manuseio mais fácil, em razão dos botões maiores e mais organizados. Ele lê MP3 e possui entrada USB. As saída de ar centrais, embora em posição incomum, parecem ser capazes de fazer um bom trabalho, que deverá ser mais percebido pelos passageiros de trás. Os comandos de ar-condicionado passam sensação de fragilidade, mas as unidades expostas éram de pré-produção. Melhor aguardar para conferir se a impressão será mantida. Vale ressaltar que o volante permite boa empunhadura e possui regulagem em altura – o que não há para o assento do motorista.O porta-luvas é um caso a parte. Ele é grande – são 13 litros de capacidade – e até pode ser refrigerado pelo ar condicionado. Mas ao abrir ele a tendência é que a tampa caia sobre seu joelho. Se o carro não estiver com a 5° engatada haverá espaço para abrir as pernas, mesmo se o banco estiver totalmente para frente. Interessante é que mesmo assim meus joelhos (tenho 1,85 m oras) sequer rasparam no console central. Não lembro de um carro onde ainda me reste tanto espaço nessa condição.

Atrás acontece algo parecido. Mesmo totalmente recuado ainda resta espaço maior do que se vê em muito compacto. O fato de o encosto do banco dianteiro ser fino contribui. Aliás, em geral os bancos são macios e confortáveis, em um primeiro momento, claro. O banco traseiro é reto que ajuda a acomodar três ocupantes. Uma pena não ter encosto de cabeça para este terceiro passageiro. No sedã, ao tentar recostar minha cabeça no encosto, ela raspou no teto. O sedã não é exatamente igual ao hatch.Para fechar, o acabamento. Ele não é ruim. Aliás, a área que abrange o console e vai até a coluna A direita tem textura agradável. Nas versões mais caras os aros das saídas de ar são cromados, e as portas recebem um pequeno revestimento de tecido para agradar os cotovelos. A execução é boa como a vista em qualquer Toyota, mas é possível ver alguns parafusos.

O porta-malas do Etios hatch comporta 263 litros, e o do sedan, 562 litros (contrariando algumas informações de revistas de que seriam 595L, provavelmente em outra regra de contagem). Desta forma, o Etios perde por um litro para o líder da categoria, o Cobalt, com 563 litros. Mesmo assim, o espaço é elogiável de qualquer forma. Abertura é por chave, mas na unidade cinza do hatch (a com adereços) a abertura se dá através de um botão localizado onde seria a fechadura.A Toyota não queria revelar os números dos motores, mas esqueceram o manual dos modelos nas unidades apresentadas ontem em São Paulo. No Rio de Janeiro lembraram de tirar, mas já era tarde.

Etios 1.3 16v
– Com gasolina: 84 cavalos de potência a 5.600 rpm e 11,9 kgfm de torque a 3.100 rpm.
– Com etanol: 90 cavalos de potência a 5.600 rpm e 12,7 kgfm de torque a 3.100 rpm.

Etios 1.5 16v
– Com gasolina: 92 cavalos de potência a 3.600 rpm e 13,9 kgfm de torque a 3.100 rpm.
– Com etanol: 96,5 cavalos de potência a 3.600 rpm e 13,9 kgfm de torque a 3.100 rpm.A potência no 1.3 (disponível apenas para o hatch) varia entre 84 cv e 90 cv enquanto no 1.5 varian entre 92 cv e 96 cv. A diferença é tão “grande” como a vista no Honda Fit, mas o 1.5 alcança seus números bem mais cedo. A potência é baixa se comparanda com os concorrentes, mas pode evidenciar motores econômicos. O câmbio é sempre manual de cinco marchas.

Até aí tudo bem. Estamos falando de um carro “low-cost”, e há no mercado alguns carros mais feios vendendo bem…

…Oh, wait!O Etios custará entre R$ 35.000 (hatch básico) e R$ 48.000 (sedã completo), informou esta semana a Toyota. Mas nada impede um reajuste para baixo, que poderá ser feito dependendo da manifestação do público no Etios Connection. O que se sabe hoje é que todos os Etios terão freios ABS, airbag duplo e direção elétrica de série e 3 anos de garantia. Entretanto, equipamentos cruciais como ar-condicionado e vidro elétrico são opcionais.

A intenção da Toyota até é boa, mas parece que na hora de iniciar a produção em Sorocaba (SP) a conta não fechou. O Etios low-cost pode ter ficado no país de Ghandi, mas é melhor esperar até o lançamento.


Fotos | Henrique Rodriguez/Autos Segredos

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter

Curta o Autos Segredos no Facebook!