Por Marlos Ney Vidal (*)
Indaiatuba (SP)

Depois de 5.840 dias (leia-se 16 anos) os fãs da picape S10 da Chevrolet finalmente podem comprar uma S10 realmente nova e não os “remendos” pelos quais o modelo passou ao longo de seus anos de existência. Vale ressaltar que mesmo sendo um modelo ultrapassado diante dos concorrentes a veterana ainda liderava o segmento com folga. Com a nova geração a S10 deverá continuar na ponta e ainda abocanhar uma parte dos clientes que compram picapes de luxo.

Como se vê nas fotos a S10 está mais robusta e seu visual agressivo deverá fazer a diferença frente aos concorrentes na conquista de novos e antigos clientes. As dimensões aumentaram em quase todos os lados: na altura, ela cresceu 6,9cm (1,79m). Na largura foram 10cm (1,88m) e o comprimento cresceu 8,7cm (5,35m). Já o entre-eixos diminuiu 2,6cm (para 3,1m). São doze versões divididas em motorização diesel e Flex, cabine simples e duplas, tração 4×2 e 4×4 e três níveis de acabamento e equipamentos: LS, LT e LTZ. Com isso a marca coloca opções para todos os tipos de bolsos como seguem os preços abaixo:

S10 2.4 Flexpower
Cabine simples 4×2 LS manual: R$ 58.868
Cabine simples 4×2 LT manual: R$ 61.890
Cabine dupla 4×2 LS manual: R$ 66.350
Cabine dupla 4×2 LT manual: R$ 72.490
Cabine dupla 4×2 LTZ manual: R$ 84.400

S10 2.8 Turbodiesel CTDI
Cabine simples 4×4 LS manual: R$ 85.400
Cabine dupla 4×2 LT manual: R$ 98.900
Cabine dupla 4×2 LT automática: R$ 103.900
Cabine dupla 4×4 LT manual: R$ 109.500
Cabine dupla 4×4 LT automática: R$ 113.400
Cabine dupla 4×2 LTZ automática: R$ 117.400
Cabine dupla 4×4 LTZ automática: R$ 135.250

INTERIOR Como a maioria dos consumidores adotam a picape como carro de passeio, a marca tratou de deixar o habitáculo da S10 mais próximo ao de um automóvel. Com boa ergonomia, todos os comando estão ao alcance das mãos. Até mesmo o freio de estacionamento passou a ser acionado pela alavanca. O volante lembra os de Cruze e Cobalt e ainda podem abrigar os comandos de som. Por dentro a picape está mais parecida com um automóvel de passeio. Apesar do plástico rígido a construção do painel é acertada e a primeira vista não encontrei rebarbas. Os plásticos são bem texturados. O quadro de instrumentos tem desenho agradável e conta com a iluminação ice blue que está presente em quase toda a linha Chevrolet.

CONFORTO Levando-se em conta que o modelo é um utilitário e não um carro de passeio como muitos compradores pensam. A nova S10 tem um rodar suave pisos de boa qualidade tanto na cabine dupla quanto na simples, mas, em pisos irregulares a situação muda. Como a suspensão da cabine simples foi homologada para 1.300 quilos de carga o modelo pula muito, na pista de Cruz Alta nos trechos que simulam pisos ruins a picape pulava como um cabrito. No modelo de cabine dupla a situação melhora um pouco e a picape sente menos as imperfeições do piso.

No banco traseiro os ocupantes contam com um bom espaço para as pernas. Porém, o banco continua com o velho problema de ter o apoio muito verticalizado e o assento apesar de ser melhor que o da geração anterior é curto e não tem um bom apoio para as pernas.

MOTORES O 2.4 Flexpower é o mesmo da geração anterior que passou por algumas melhorias. O propulsor é silencioso e apenas dá conta do recado para as duas opções de cabine, exigindo mais trocas de marchas. Apesar da boa altura e posição da alavanca o meu cotovelo sempre esbarrava no console central. No mais o câmbio conta com bons engates. Já o novo motor 2.8 Turbodiesel  conta com bons 47,9kgfm de torque disponíveis já nas 2.000 rpm e a potência fica na casa dos 180cv a 3.800 rpm. O motor tem bom vigor desde as rotações mais baixas o câmbio automático de seis velocidades permite boas retomadas. As marchas ainda podem ser trocadas de forma manual pela alavanca. Os freios a disco na frente e tambor atrás têm ABS estão bem equilibrados. Agora é aguardar a chegada o modelo para testes para um contato mais íntimo com a S10 renovada.

4×4 A tração 4×4 pode ser engatada por meio do seletor giratório a até 120 km/h. Já a reduzida só pode ser engrenada com o modelo parado.

(*) Jornalista viajou à convite da General Motors do Brasil
Galeria


Fotos | Fábio Gonzalez/Chevrolet/divulgação

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter