Talvez você nunca tenha ouvido falar em Dieter Zetsche. Trata-se do CEO de um dos mais tradicionais fabricantes de automóveis do mundo, a Daimler, detentora da Mercedes-Benz. Durante as comemorações dos 125 anos da empresa, em Stuttgart, na Alemanha, ele deu uma declaração que interessa muito aos brasileiros: a marca da estrela de três pontas poderá voltar a produzir veículos no país. Contudo, a retomada das atividades por aqui não ocorrerá a curto prazo, pois segundo o executivo, o volume industrial terá que ultrapassar a marca de 100 mil unidades anuais.

Por enquanto, os números estão bem longe daquele estabelecido por Zetsche. Em 2011, as vendas das marcas Premium no país deverão atingir a marca de 30 mil veículos, dos quais aproximadamente 10 mil serão da Mercedes-Benz. Porém, o mercado está em expansão e o segmento de automóveis de luxo é um dos que têm obtido maior crescimento. “Não perdi as esperanças”, concluiu o executivo.

Em junho do ano passado, o Autos Segredos já havia apurado que a infra-estrutura para produção de automóveis em Juiz de Fora seria mantida (veja aqui), acenando para a possibilidade de uma retomada no futuro.

Há cerca de 15 anos, a Mercedes-Benz investiu pesado no Brasil e adquiriu um terreno de 2,8 milhões de metros quadrados em Juiz de Fora, MG, onde foi erguida uma fábrica de pouco mais de 200 mil metros quadrados. De lá saiu o compacto “Classe A”, entre os anos de 1999 e 2003, que chegou a vender 17 mil unidades anuais.  Não era um número exatamente ruim, principalmente em relação ao mercado da época e ao preço do modelo, mas o fabricante pretendia atingir 100 mil emplacamentos por ano, mesmo número mencionado agora por Zetsche.

Depois do Classe A, a planta mineira montou o Classe C. Primeiro com carroceria sedã, em regime CKD, destinado unicamente à exportação, e posteriormente na versão CLC (veja aqui), que além de abastecer outros países, chegou a ser oferecido para o consumidor brasileiro. O pico na produção ocorreu em 2008, quando 27 mil exemplares saíram de Juiz de Fora. Desde o último mês de janeiro, a planta fabrica os caminhões Actros e Accelo.

Fonte | Automotive Business
Fotos | Mercedes-Benz/Divulgação

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter