Não é de hoje que o etanol está pouco competitivo em relação à gasolina. Nos últimos meses, os preços apresentaram leve queda, mas o combustível vegetal ainda se mantém em patamares elevados. O motivo é a produção insuficiente para atender à demanda, cada vez maior. No intuito de solucionar o problema, o governo federal lançou o Plano Estratégico do Setor Sucroalcooleiro, que estimulará a oferta de cana-de-açúcar para fabricação de álcool.

O programa lançará mão de dois recursos para atingir o objetivo: aumentar as áreas de cultivo e renovar as lavouras já existentes. Serão investidos R$ 8,5 bilhões no plantio de 1,4 milhões de hectares de cana-de-açúcar. Outros R$ 23 bilhões serão aplicados em 3,8 milhões de hectares para responder à demanda por etanol anidro, que é misturado à gasolina. Os 6,4 milhões de hectares que atualmente abastecem o mercado receberão R$ 29 bilhões, pois segundo o Ministério da Agricultura, a idade média dos canaviais está mais elevada que a ideal, já acima do sexto corte.

O plano também prevê recursos de R$ 40 milhões para a  Embrapa  (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), que desenvolverá pesquisas para o aprimoramento do cultivo da cana. Os recursos serão providos pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e pelaa poupança rural. O governo ainda propôs uma linha de financiamento à estocagem de etanol ao CMN (Conselho Monetário Nacional), para evitar grandes variações de preços provocadas pelas entressafras das lavouras.

Fonte | Automotive Business
Foto | Scania/Divulgação

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter