No dia 3 de junho, a Fiat tornou-se sócia majoritária da Chrysler, com 52% das ações. Ontem, o governo norte-americano confirmou o recebimento dos US$ 500 milhões negociados pela compra, além de US$ 60 milhões extras, que deram à marca italiana mais 1,5% do capital da parceira, elevando a participação para 53,5%.

A transação não chega a surpreender, já que o acordo comercial fechado entre a Fiat e o governo norte-americano previa a compra de outros 5% das ações da Chrysler até o fim de 2011. Porém, para ter direito à fatia restante, a empresa precisa desenvolver um veículo capaz de obter um consumo de aproximadamente 17 km/l para o mercado dos Estados Unidos.

Se as metas forem cumpridas, a Fiat terá direito de comprar papéis da Chrysler que estão nas mãos do UAW, United Auto Workers (sindicato de operários da indústria automobilística), o que elevaria sua participação para mais de 70%. O negócio tem data estipulada para ocorrer: entre julho de 2012 e dezembro de 2016.

Foto| Fiat/Divulgação

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter