Após quase um mês de paralisação, a fábrica da Honda situada em Sumaré, SP, retomou as atividades ontem. A filial brasileira estava parada desde o último dia 12 por causa de uma greve, realizada em resposta à demissão de aproximadamente 400 funcionários (veja aqui). A ação organizada pelos trabalhadores misturou-se a uma pausa na produção, programada pela própria empresa para ocorrer entre 23 de maio e 3 de junho (veja aqui). Nada menos que 11.500 veículos, dos modelos Civic, City e Fit, deixaram de sair das linhas de montagem durante o período.

A greve e a interrupção têm um denominador comum: a falta de peças, provocada pelo terremoto seguido de tsunami que atingiu o Japão em março e abalou os fornecedores locais. Com a produção comprometida, a unidade paulista anunciou paradas no processo de fabricação e cortes de pessoal, aos quais os trabalhadores reagiram.

A retomada das atividades foi fruto de um acordo firmado com o Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas e Região, no Tribunal Regional do Trabalho. A empresa manteve as demissões, mas concedeu benefícios aos ex-funcionários, como manutenção do plano de saúde por mais seis meses. Os que permaneceram terão estabilidade por 45 dias e não sofrerão descontos salariais pelo tempo de paralisação.

Foto | Honda/Divulgação

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter