A justiça do Rio Grande do Sul colocou a Volkswagen na berlinda nesta sexta-feira ao determinar um recall para mais de 400.000 mil veículos, entre Fox, Gol e Voyage. Todas as unidades envolvidas são 2009/2010 e têm motor 1.0 VHT. O motivo é um defeito de fabricação nos propulsores em questão, que provocaria desgaste prematuro dos componentes internos.

A decisão partiu da juíza substituta Carla Patrícia Boschetti Marcon Della Giustina, do 1º Juizado da 15ª Vara Cível de Porto Alegre. Segundo a nota publicada no site do órgão, “a promotoria apurou que informações oriundas da imprensa especializada relatam que teria havido alteração no tratamento térmico de componentes essenciais do motor, supostamente para reduzir custos de produção”.

A determinação judicial obriga a Volkswagen a emitir comunicados sobre o recall nos jornais de maior circulação de cada estado brasileiro. Se a determinação não for cumprida, a empresa será multada em R$ 10 mil por dia. Também estão previstas multas caso não seja efetuada a troca dos componentes mecânicos que estariam provocando o problema, que podem ir de R$ 20 mil a até R$ 2 milhões.

A ação foi ajuizada pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul e ainda está em tramitação na 15ª Vara Cível, aguardando a decisão final. A Volkswagen publicou uma nota de esclarecimento e se defende dizendo que “constatou o inconveniente, que não representava nenhum risco à integridade física e a segurança do consumidor.” 

O texto afirma ainda que a marca “comunicou e detalhou o fato às autoridades como o DPDC, o Procon e os Ministérios Públicos de diversos Estados do Brasil à época, que entenderam o tema e aceitaram a proposta feita pela Volkswagen que para a solução do caso fosse realizada uma campanha de oficina ativa em todas as autorizadas da marca, para verificação e a troca de óleo do motor sem custo para os clientes. Adicionalmente, foi dada uma extensão de garantia aos motores envolvidos na campanha de oficina ativa”.

Por fim, o comunicado afirma que a justiça gaúcha foi a única a não aceitar as medidas da empresa para solucionar o caso: “A exceção foi o Ministério Público do Rio Grande do Sul. Desde então, a Volkswagen fez diversas apresentações técnicas à entidade daquele Estado no sentido de dar todos os esclarecimentos necessários. Surpreendeu-nos portanto a manifestação da Justiça riograndense, da qual tomamos conhecimento pelos jornais“. Confira a abaixo a numeração de chassi dos veículos envolvidos:

Gol: de 9P000001 a AP 077821
Fox: de 94000017 a 94165002
Voyage: de 9T000001 a AT157948

Fotos | Volkswagen/Divulgação