Depois de ganhar motor flex, Sentra 2010 estreia leves alterações de estilo e recursos. Versão SL com câmbio CVT se destaca pelo conforto

Bruno Freitas/Motorgerais

Especial para o Autos Segredos

Quatro meses. Este foi o intervalo de tempo entre a chegada do motor flexível em combustível e as alterações estéticas e de conteúdo aplicadas ao Nissan Sentra. Curto período de vida para a linha 2009/2010, que deu vez a um sedã com um único objetivo: ser mais competitivo. A versão SL, topo de linha avaliada por Motorgerais sai por R$ 71.990.

Se no comercial de TV de antes a Nissan dizia que o sedã não tinha cara de tiozão, agora o fabricante pode se gabar mais. Ao menos no estilo dianteiro o mexicano rejuvenesceu alguns anos, por meio da nova grade dividida por três filetes, pára-choque com ampla entrada de ar e faróis com novos refletores. As rodas de liga-leve estréiam desenho de oito raios, mas a traseira é a mesma – a tampa do porta-malas já havia mudado no flex.

O acabamento do interior passa a ser todo preto, mas só nesta versão. Volante e bancos de couro com furos na seção inferior que dissipam o suor refletem a boa qualidade de construção. A instrumentação do painel passa a ter tom avermelhado, e o rádio, tela colorida de 4,3 polegadas, funções RDS, MP3 e entrada auxiliar USB no console central, onde também há um novo porta-objetos. A chave presencial i-key, porém, é a grande novidade. Para girar o botão de ignição no lugar da antiga chave, basta tê-la no bolso ou a uma distância de até 80 cm.

Viajar macio

Dois adultos viajam com conforto no banco traseiro, mas a ausência do terceiro encosto de cabeça e o apoio central maltratam quem viaja no meio. Entre os equipamentos, o modelo passa a ter acendimento automático dos faróis e mantém o pacote que inclui airbags laterais e do tipo cortina, alarme para luzes acesas e teto-solar com controle elétrico. No porta-malas há espaço para bons 442 litros de bagagem, com opção de se dividir o volume.

Silencioso, o motor 2.0 16v permanece como antes, com 90% de força disponível a somente 2.400 rpm. A suavidade no funcionamento se deve ao equilíbrio da suspensão e a transmissão continuamente variável CVT, que se traduz em trocas de marchas sem trancos e maior economia de combustível, comparada a uma caixa automática tradicional, embora os dados de consumo divulgados pela Nissan sejam bastante otimistas.

FICHA TÉCNICA

Nissan Sentra 2.0 16v SL

MOTOR – Quatro cilindros em linha, 16 válvulas, flexível em combustível (álcool ou gasolina); potência de 143 cv a 5.200 rpm; torque de 20,3 kgfm a 4.800 rpm

TRANSMISSÃO – Automática, de seis velocidades

DIREÇÃO – Assistência elétrica

SUSPENSÃO – Dianteira independente, do tipo Mcpherson com barra estabilizadora; traseira com eixo de torção, barra estabilizadora e molas helicoidais

FREIOS – A disco na dianteira e a tambor na traseira

RODAS/PNEUS – aro 16; 205/55

DIMENSÕES – 4,56 metros de comprimento; 1,79 m de largura; 1,51 m de altura; distância entre eixos de 2,68

PESO/PORTA-MALAS – 1.359 kg; capacidade para 442 litros de bagagem

CONSUMO – 8,1 km/l (álcool) e 12,2 km/l (gasolina) na cidade e 11,8 km/l (A) e 17,7 km/l (G) na estrada

EQUIPAMENTOS

DE SÉRIE – Acendimento automático dos faróis, airbags dianteiros, laterais e do tipo cortina, alarme, ar-condicionado, bancos de couro, chave presencial i-key, cintos de segurança traseiros de três pontos, freios ABS, rádio CD MP3 com entradas iPod e USB, teto-solar, vidros, travas e retrovisores externos elétricos, volante de couro com regulagem de altura e controles do rádio e piloto automático

OPCIONAIS – Pintura metálica (R$ 1.000)

BOM

– Acabamento

– Conforto ao dirigir

RUIM

– Falta terceiro apoio de cabeça no banco traseiro

– Volante não tem regulagem de profundidade

PREÇO: R$ 71.990

*O carro avaliado foi cedido pela Nissan

Fotos Bruno Freitas/Motorgerais