A associação PROTESTE entrou em contato com a CAOA Montadora de Veículos, responsável pela importação dos carros Hyundai, pedindo que o “Manual do Proprietário” de seus veículos fossem revisados. Escrito em português de Portugal, o manual do Veloster, por exemplo, apresenta várias palavras e expressões com significado desconhecido e diferente do português do Brasil.

A CAOA informou que pedirá ao fabricante na Coreia para fazer a revisão do Manual do Proprietário dos carros, que serão disponibilizados no site da importadora assim que estiverem prontos, o que não possui prazo para ser feito.

Alguns erros chegam a soar engraçado. Por exemplo, na página 101, do capítulo 4 do Manual do Veloster consta: “os sistemas de Ar Condicionado HYUNDAI contém todos refrigerante R-134ª amigo do ambiente e não prejudicial para a camada de ozono”. O gás R134a é de uso obrigatório em sistemas de refrigeração desde 1996, e sua ingestão não é aconselhavel (e o cheiro não é bom), isso sem contar com falta de letras. Na página 25 do capítulo 5: “… evitar um movimento imprevisto do veículo passível de magoar pessoas sentadas ou perto dele.” De fato, passageiros mais sensíveis podem se assustar, ou ficarem desapontados com a conduta do motorista em casos deste tipo…

O manual, que parece falar uma variante do português usada por tradutores online, também força o espanhol. A mistura mais parece um portunhol. E daqueles bem forçados. São encontrados termos não utilizados em nossa língua como “canhão de ignição”, “condições climáticas agrestes”, “botão de desempañador el parabrisas” e “borne de bateria”.

Vamos ver se esta falha, que por sinal viola o artigo 31 do Código de Defesa do Consumidor, será corrigida dentro de pouco tempo…

Foto | Hyundai/divulgação

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter