Perua até ganhou linha 2018, mas tanto a Weekend quanto o Doblò já não fazem mais parte dos planos da Fiat para o próximo ano. Betim ficará restrita a produção de seis modelos

Mais dois modelos da Fiat não desfrutarão dos showrooms das revendas da marca no próximo ano. Nossa reportagem apurou que o Fiat Doblò e a Weekend não fazem mais parte dos planos do fabricante para 2018. A fábrica da Fiat em Betim (MG) será responsável pela produção de apenas seis modelos: Argo, Fiorino, Grand Siena, Mobi, Strada e Uno.

Fiat Weekend

Nossos parceiros do AutoPapo também confirmaram o fim da perua em matéria publicada ontem (20/12). A Fiat Weekend até ganhou a linha 2018, porém, ela segue viva somente no site oficial do fabricante. É difícil ver um exemplar do modelo nas revendas da marca. Derivada da primeira geração do compacto, a Fiat Palio Weekend chegou ao mercado em 1997. A perua deixa as linhas de produção em exatos 20 anos de fabricação.

Em seu fim de vida, a perua era vendida nas versões Attractive com motor 1.4 Fire e Adventure com propulsor 1.8 E.torQ. Registrada como Palio Weekend em seu nascimento, a perua foi rebatizada de Weekend em seu fim de vida. Para se manter jovial, a Weekend abusou do bisturi, a perua passou por plásticas em 2001, 2004, 2007 e 2012. O visual atual é fruto da última reestilização de 2012.

Motores

A Fiat Weekend já foi equipada com motores 1.0, 1.3 8v, 1.3 16v, 1.4, 1.5, 1.6 8v, 1.8 8v, 1.6 16v e 1.8 16v. Em 2007, a Palio Weekend passou por sua mudança visual mais profunda, ganhando novas lanternas traseiras, novas estampagens das portas e novos faróis. Com exceção do novo para-choque de 2012, a versão atual conta praticamente com o mesmo desenho de 2007.

Adventure

Em 1999, a Palio Weekend estreou a versão Adventure que contava com visual mais off-road, suspensão elevada e o famigerado quebra-mato. Em 2007, um dos destaques mecânicos da perua foi a chegada do sistema Locker, de bloqueio de diferencial, quando foi lançado o sistema era item de série nas versões Adventure, hoje a tecnologia é ofertada como item opcional.

Fiat Doblò

Diferentemente da perua, o Fiat Doblò não teve a sorte de ganhar a linha 2018. Com quinze anos de produção, o modelo ainda figura como linha 2017 no site oficial do fabricante. Lançado em 2002, o multiuso ficou até 2010 sem nenhuma alteração visual. A exceção foi a troca da tampa do porta-malas que foi trocada em 2003 pelas portas de abertura dupla.

Versão aventureira

Em 2003, o modelo ganhou a versão Adventure, que até hoje é uma das versões mais vendidas. Desde seu lançamento o modelo foi equipado com motores 1.3 8v, 1.3 16v, 1.4 8v, 1.6 16v e 1.8 8v.

O Fiat Doblò comercializado no Brasil era descendente direto da primeira geração do modelo. A única mudança no Brasil foi a reestilização de 2010. O Doblò nacional estava duas gerações atrás do modelo europeu.

Versões

O Doblò era comercializado nas versões Essence, de cinco e sete lugares e na topo de linha Adventure, ambas equipadas com motor 1.8 E.torQ.

Fiat diz que que continuam linha

Antes da publicação dessa matéria, a Fiat disse que não comentaria o assunto. Porém, depois da publicação o fabricante se posicionou e diz que ambos os modelos continuam em produção. A marca afirma que foram produzidas em dezembro 692 unidades do Doblò e 332 da Weekend. Levando em conta que a Fiat tem mais de 600 pontos de vendas no Brasil, a produção da perua atende pouco mais metade das lojas, já com o número de unidades fabricadas do multiuso dá uma unidade para cada loja.

Atualizado em 22/12/2017 às 20h47

Fotos | Fiat/Divulgação

  • joao vicente da costa

    Gostava muito da Dobló, um dos veículos mais práticos que já tive. Mas os preços e a falta de atualização mataram o modelo.
    A ver o que será da Fiat…

    • jose carlos carlos

      verdade, um excelente carro, versátil,robusto,espaçoso,design bem resolvido.,tive duas Adventure, nunca me deixou na mão..FIAT NÃO DESCONTINUE ESTE SEGMENTO…

    • Antonio De Julio

      Sempre sonhei em ter o modelo europeu aqui.

    • Elton Lopes

      Tenho uma Adventure 2012/13 adquirida 0km, e queria comprar outra nova, mas o preço e nenhuma atualização, me desanimou. A Fiat poderia trazer o modelo europeu.

  • Uranium

    A Fiat vai viver de Mobi, Argo, Cronos e Toro, é isso? Encolhimento lamentável da marca, pra dizer o mínimo.

    • CorsarioViajante

      ACho que faltou o Uno e Strada!

    • Duh

      Acho que passou da hora da marca atualizar o portfólio, Weekend não fazia mais sentido nenhum, Doblo precisa de uma geração totalmente nova, bem que quando melhorar a situação do país, a Fiat poderia ressuscitar ele.

    • Victor

      Mas tem que dar uma enxugada na linha, pois tinha produtos demais. Só ver a linha de compactos: Mobi, Uno e Argo. Três carros que invadem a mesma faixa de preço. É um terror para a equipe de vendas trabalhar.

      Fiat deveria ser:
      Mobi
      Argo
      Chronos
      Strada
      Toro

      • Raimundo A.

        Você vai corrigir isso quando o Argo e concorrentes bater o preço inicial dos R$ 50 mil, o Polo começou, e o aumento da renda da população continuar abaixo do praticado a veículos automotores.

        Também vai pensar que tem gente que só quer um veículo para ir e vir sem ter outros para levar no banco de trás, tamanho para vagas realmente pequenas, bom consumo, e quanto menor o preço, melhor.

        O Mobi pode parecer uma incoerência a nível de oferta, mas na Europa há veículos tão pequenos quanto a ele tendo bem maiores logo acima. O problema é que aqui saltar R$ 10mil, R$ 15mil para um produto acima é muito para muitos e a sobreposição de preço sempre existiu quando comparamos versão topo de um veículo com a de acesso ou intermediária de outro acima. O Mobi bate nos R$ 80 mil? Não, e o Uno também não.

    • Hans Vogel

      Dois são lideres de segmento e o resto no Top 10 (tirando o Uno)
      Mas concordo com vc q pra mim a Fiat esta no caminho errado em tirar de linha qse tudo q tem.

      • Antonio De Julio

        Depende. Uma linha de produtos defasados e caros. Em tempo, tenho um Grand Siena e concordo com o enxugamento.

  • NORDSK

    Dois dinossauros a menos! Jurássic Park está de luto.

    • dor53

      so falta o gol

      • NORDSK

        Se aguenta mais 2 anos. O Gol ainda se salva pelo motor moderno 1.0 3 cil., vai receber direção elétrica e cambio automático ano que vem. Além disso, ainda vende um volume considerável, em média 6 mil por mês no Brasil e mais 6 mil em diversos países.

        • Eduardo

          Não tem Direção elétrica ainda?????

          • NORDSK

            Não, só o Fox e o Up.

          • Pedro154

            O HB20 também não tem, pasmem.

          • HB20 não tem pois a hidráulica dele é tão boa que parece elétrica de tão leve.

          • Robison Adada

            Mas a vantagem não é somente ser leve. Elétrica não “rouba” força do motor!

          • Atualmente é incomum afirmar que a direção hidráulica rouba força do motor, devido as modernizações que a mesma recebeu ao longo dos anos, onde o percentual de impacto é ínfimo.

  • Audi a5

    Pensa em um carro feio. Agora pensa nesse carro batendo na mãe. Agora pensa nisso tudo embaixo de sol e sem água: Doblò!

  • CorsarioViajante

    Dobló e Weekend se vão, tinham bom potencial mas sem atualização ou preço bem atrativo não dava mais. Cada vez temos menos opções de carros mais práticos, versáteis e espaçosos abaixo dos R$100.000 sem ser SUV, hoje só restou o que? Spin, Aircross, Spacefox? Talvez Fit? Esqueci alguém?

    • marc

      SpaceFox é outra que vai pro saco, não adianta forçar mais a barra, se Hatch médio vai mal, imagina esses dragões ? família grande de hoje vai de SUV, e não de Palio weekend como no passado

      • joao vicente da costa

        Ou de Mercedes-Benz Vito… hehehe

      • Thiago

        Problema que maioria dos suvs abaixo de 100k são derivados de compactos, pouco espaço
        Acho que só Creta e old very old tucson (sim, foi lançado a linha 2018) tem porta malas e largura mais generosos

        • Leandro Gofert

          Tem o Duster e Captur tb que são muito espaçosos

          • Thiago

            verdade, as vezes desconsidero o duster por ter o mesmo espaço do stepway
            que acaba sendo uma compra mais atrativa que oduster por eferecer boa altura do solo, espaço equivalente, melhor desempenho e menor consumo, acabamento interno tb bem superior,
            o captur ainda não andei, mas os preços estão beirando os 100k

        • Brasileiro

          O Kicks tem entre-eixos, comprimento e porta malas maior do que o Creta.

          • Thiago

            então retiro o creta,
            fica old old old tucson, duster/stepway e o captur na versao pelada que estao lançando
            com o tucson saindo de linha (não entendi pq a hyundai lançou a linha 2018 ainda) a renault fica em vantagem apesar do acabamento muito ruim
            o renegade ate que eh mais largo e com espaço, porem o porta malas é pequeno tb, nao substitui uma perua, talvez a toro

          • Whering Alberto

            Old, old, old kkkkkkkkkkkkk

  • David Diniz

    RIP! Que não voltem! Falta a Strada agora e matar o motor fire também.

    • Milton-GT

      Toda montadora só descontinua a fabricação de um modelo, quando as vendas deste modelo caem a níveis insustentáveis, portanto seu comentário sobre a Strada e o motor Fire, revelam total desconhecimento da matéria.

      • marc

        Ele está falando em atualização, motor Fire da Strada será substituído pelo Firefly, Fiat já confirmou que fará uma reestilização na strada, li por aqui mesmo

  • GuilhermeSMello

    Quem sabe a próxima geração da Fiorino não tenha uma tocada mais ao estilo da Renault Dokker, para substituir Fiorino e Dobló?

  • Razzo

    Mais 2 vítimas dos SUVs, além do descaso (falta de investimento) da FIAT com estes segmentos.

    • Raimundo A.

      O Doblo após redução de versões restou uma cara e defasada geração. Se por aqui estivesse a nova geração, seria ainda mais cara e você acha que o povo compraria?

      A Fiat passou a vender mais furgão com a nova geração da Fiorino que afetou o Doblo furgão e o modelo passageiros deste ainda compete com minivans.

      Detalhe, o Doblo vendia mais que Berlingo e Kangoo que deixaram de ser ofertados, mas a Renault voltará a ofertar com nome de Kangoo o modelo Dokker da Dacia, que se aqui não tiver abuso de preço, a variante passageiros poderá ter preço abaixo do Duster porque na Europa, a minivan Lodgy, que está acima do Dokker, tem preço próximo ao SUV.

      O Palio Adventure/Weekend não é diferente e isso atinge a Europa que mal se vê SW compacta. A única que recordo é o Clio Grand Tour. As SW médias aqui também foram afetadas só restando de marcas premium.

      São novos tempos. Até pouco tempo o segmento de compactos com apelo premium aqui estava esquecido ou subaproveitado. Estão voltando a apostar neles até porque os médios estão alcançando preços acessíveis para poucos.

  • Duh

    Morreram por abandono da Fiat msm, espero que a marca melhore esse problema de criar carros e esperar que continuem vendendo sem atualizar nada e cobrar alto por isso.

  • Hugo Leonardo Dos Santos

    Ou seja, logo vem uma SUV compacta por aí. Falta agora matar o motor Fire. Aguardem.

    • Raimundo A.

      SUV compacto? Já li que teriam desistido novamente do Jeep abaixo do Renegade e o tal B-CUV do planejamento da FCA para a Fiat que teria migrado para a Jeep, é bom lembrar, CUV é crossover, aplicado a versões com as Way da Fiat, ou poderia ser um veículo totalmente novo misturando conceitos de outros sem ser um SUV.

      Pra mim, a Fiat poderia lançar é um Argo Way ou coisa do tipo. Quem compra Sandero Stepway tem os seus motivos da mesma forma para CrossFox, etc.

      No APAC, a FCA estaria para substituir o Fiat Avventura, que é um Punto aventureiro. O Punto lá e aqui viriam de novo projeto que é o Argo. Mantendo a característica de ser um crossover derivado do hatch, o Argo teria uma versão aventureira para atender ao APAC e poderia nos atender sem ser pequeno demais como seria proposta de um SUV abaixo do Renegade e não afetaria diretamente por não ser um SUV Fiat, que já existe e se chama 500X não ofertado aqui.

    • Leandro

      Tomara. Um crossover/SUV compacto, do tipo que não entraria na gama jeep, seria muito bom na linha Fiat.

  • Milton-GT

    Nada demais, a Fiat só está se adequando ao mercado.

  • Leandro

    Ambos ainda tem mercado, mas vinham vendendo mto pouco pela desatualização e preço altíssimo. Se existissem versões novas dentro destes nichos, provavelmente haveria algum sucesso. Ainda vejo gente demandando estes tipos de carros.

  • Mauro Moraes

    Fiat enxugando a linha como fez a Chevrolet, atual líder no Brasil. Não sei qual será a estratégia, mas a montadora tem cartas na manga. Nossa vizinha Argentina receberá alguns modelos importados que poderiam servir como laboratório para o mercado sul americano.

    • marc

      se a Chevrolet tivesse o Celta ainda em linha, em vez de Onix Joy, não teria para ninguém em vendas

      • Felipe

        Será? Foi só o Celta sair pra GM se tornar líder.
        Fora isso, o Celta teria que custar bem menos que o Onix Joy e oferecer um conteúdo similar pra vender tão bem, senão não compensaria.

        • marc

          Certeza, um Celta com Ar + Direção com os preços do Mobi fire ? certeza, vendia muito bem principalmente para jovens

          • Felipe

            Eu não teria tanta certeza assim… Por volta dos R$37mil (Preço do Kwid Zen e Mobi Like vendido com desconto, por que na tabela ele passa de R$40mil.) um Celta com os equipamentos dos dois “concorrentes” que citei aqui não faria muito sentido, já que a GM oferece o Onix Joy por R$41mil promocionalmente por aí… Não citei o Up por que o preço dele é surreal pro segmento que a VW tentou encaixá-lo.

          • marc

            Entendo, porém era mais aceitável um Celta reestilizado, com cara de novo Onix, do que um dinossauro no portifólio igual era o Palio fire, enfim o Onix Joy é raríssimo aqui em salvador, te falo que só vi 2, novo Onix tem de monte, já em São Paulo falam que tem aos montes, mas eu ainda assim apostaria em um subcompacto da Chevrolet depois de constatar as vendas do Mobi

          • Felipe

            Um subcompacto, a GM já tem pronto e se chama Spark. Mas… entre ter no portfolio e fabricar no Brasil, há um abismo de diferença, pela justificativa de ser caro… Então deixam o Onix Joy em linha (E essa versão deve ficar por anos sendo a versão de acesso do Onix, principalmente com a chegada da segunda geração prometida pra 2019).

            Sobre sua comparação do Celta com o Palio Fire, lembre-se que embaixo da “casca” do Celta, existe um Corsa 1994, então comparando com a “casca” do Palio Fire que tem um Palio 1996… Fica dinossauro por dinossauro. 😉

      • Emanuel Schott

        Nunca. Com o crescimento econômico da década passada e as enormes vantagens que o governo estava dando pra compra de carro 0 km (não estou fazendo juízo de valor, se isso foi certo ou errado), as pessoas passaram a enjeitar carros mais básicos, tanto que já não se encontra tão facilmente carros sem “kit dignidade” (Weekend era um dos únicos). Celta não teria nem de longe o mesmo sucesso do Onix se continuasse a ser vendido.

        • marc

          Você viu quantos Mobi está sendo vendido por mês ? Imagina um compacto honesto como o Celta com Ar + direção e abaixo de 40 mil ? é o que estou dizendo

          • Emanuel Schott

            E viu quanto vende o Onix? HB20? Ka?

            É isso que to dizendo, Celta não teria jamais o mesmo sucesso que tem o Onix.

          • marc

            Eu estou falando de subcompacto, Quarenta mil pra baixo, Onix é substituto do Corsa, celta saiu de linha sem sucessor, pra mim foi um erro, a prova ? O tanto que vende de Mobi

          • Gilberto DePiento

            Alguns pontos a considerar:

            1. Mais da metade das vendas do Mobi são para frotistas, aos quais o conforto do carro não importa muito – o custo e a manutenção são prioritários.

            2. O Celta não era subcompacto, era concorrente de Gol, Uno, Clio, que eram posicionados como carros de entrada, enquanto Polo, Punto, Corsa eram classificados como “compactos premium” mais equipados.

            3. O Onix foi lançado para substituir o Celta. O Onix sedan não se chama Prisma à toa. A ideia original era ter Onix, uma versão hatch do Cobalt para substituir o Agile, e a linha Sonic. Mas como o design externo e interno do Onix caiu nas graças do público juntamente com o espaço interno (largura), a suspensão macia e a mecânica simples, a GM foi aumentando o preço conforme a demanda crescia e acabou eliminando a linha Sonic e deixando Corsa e Agile sem substitutos. O Prisma foi o primeiro 1.0 nacional a quebrar a barreira dos 40 mil reais.

    • Antonio F.

      Fiat não tem cartas na manga, tem é muita dívida pra saldar e não pode errar o alvo, se não emplacar com o Argo por aqui pode jogar a toalha, basta ver o desespero das promoções pra vender o carro. FCA quer rentabilidade pra que a tão sonhada fusão vire realidade e a Fiat tem que fazer a parte dela.

      • Mário Luiz Souto Maior

        Pare de falar bobagens, sabichona.

        • Antonio F.

          Desculpa se feri teu orgulho de fã da marca, mas é a pura verdade, acostume-se.

      • Antonio

        Ela aposta suas fichas aqui porque sabe que não há outro local mais rentável que aqui, vê se na Europa a Fiat vende Argo, que nada vende Tipo, um compacto de verdade.

        • Antonio F.

          “Especializtas” de teclado acham um absurdo um carro top como o Argo não vender na Europa, enquanto o Polo que não passa de um “golzão” é um sucesso por lá. Talvez por isso a FCA nem cogitou trazer o Tipo pra cá, ela sabe da nossa preferência por jabuticaba.

  • Hans Vogel

    Esses dois carros foram mortos pela própria Fiat cara. Não foram renovados nem atualizados para manter o desejo do público…
    E é isso q acontece com vários carros aqui, tipo as peruas.

    • Mauro Moraes

      Acho que o mercado mudou. Na verdade as montadoras estão se adaptando aos novos tempos, às novas necessidades do consumidor. Veja o caso dos hatches médios. Não vale a pena investir em um segmento que vende muito pouco. As peruas e os furgões de passeio foram vítimas dos suvs.

    • Emanuel Schott

      Gastar dinheiro nisso pra que? São dois segmentos que não vendem. A Fiat concentrou dinheiro onde vende: SUVs e hatchs.

      • Hans Vogel

        Não vende pq n tem oferta no mercado…

        • Pete Alves

          Diga isso para os hatches médios. Os preferidos dos comentaristas de sites automotivos, mas ignorados pelo mercado e olha que temos boa opções, Golf, Focus Cruze

        • Emanuel Schott

          Hatchs médios tem aos montes de quase todas as marcas e também não vendem nada.

      • Antonio De Julio

        Porra, pelo preço que estavam cobrando, só doido pra comprar mesmo. Fiquei anos sonhando com a versão européia por aqui,.. 🙁

        • Emanuel Schott

          Queria o que?? Doblo tem porte maior que esses SUVs compactos, não tem como cobrar menos que eles.

          • Antonio De Julio

            Ah vá. Só pelo porte justifica? Se pelo menos fosse um projeto atualizado, até concordaria.

      • Flight_Falcon

        Que SUV a Fiat tem?

        • Felipe

          A linha de SUVs da Fiat, está na Jeep.

        • Emanuel Schott

          Compass e Renegade, são do mesmo grupo.

      • Antonio

        Não vendem porque não dá lucro como SUV meu caro, em que lugar do mundo um SUV baseado num compacto custa de 2 a 3x mais que o compacto de origem?

    • luiz antonio vieira souza

      “”Não foram renovados nem atualizados para manter o desejo do público…””
      Complementando sua opinião: e ainda jogavam o preço lá em cima

    • Antonio

      Por essas e outras que tinham que abrir o mercado de vez, ai acaba essa putaria de só vender o que tem e não o que o consumidor quer, quer um Golf Variant manual? Manda importar, quer Honda Civc 10 na cor azul manda importar, quer o Toyota C-HR, manda importar. Nada de ficar esperando a boa vontade desse cartel em produzir algo que preste por aqui.

  • Antonio De Julio

    Podiam lançar a Doblô que vende na europa… Acho um conceito de carro muito bom, com espaço pra kct.

  • Danilo

    Com 20 anos de uso, as fôrmas das prensas de lataria já estavam bem pagas né, podem até vender pra reciclagem e fazer churrasco com o dinheiro que vier delas porque é 100% de lucro.

  • Mineirim

    Faltou mostrar foto da traseira da Weekend com as lanternas estilo dois panetones. kkk
    É bom lembrar que era derivada do Palio, mas usava suspensão traseira independente e tinha maior distância entre-eixos.

  • Luiz O

    era uma morte anunciada …tive varias weekeends 1999 Elx 1,6 Adventure 2002 1.6 16v, Trekking 2015 1,6 e Torq.
    Era um carro muito superior a todos em materia de bagageiro levava tudo que eu queria dentro do carro pranchas de surf bicicletas etc etc…incomparavel. Ficava bem evidente seu espaço apertado para passageiros do banco de tras qdo vc colocava o bco do motorista todo recuado. Tenho excelentes recordaçoes de minha ultima trekking 1,6 …carro bom de dirigir e super economico e andava bem. Saudades das peruas…pois os SUVs acabaram com o segmento. Posso dizer que nem o Suzuki Grand Vitara que possuo hoje rivalizava com minha weekend em termos de capacidade de bagagem…….

  • mjprio

    Ok dona FIAT, agora tinha que trazer o 500L da Argentina e colocar um FF turbo calibrado pra 140CV e a nova Doblo,certo?
    A montadora que sempre inovou agora caiu na mediocridade. Enquanto isso a VW vai dando de braçada!

    • Antonio De Julio

      Vai dando o q? Com aquelas frentes todas iguais?

      • mjprio

        Mas pelo menos esta trazendo projetos mais alinhados com a Europa, do que os Frankenstein requentados de plataforma velha da italiana

      • Lucas Campos

        Achei que a GM estava nadando de braçadas… agora parece que é a VW. Mercado muda rápido né?

  • Hoffmann

    A Weekend já vai tarde. Ninguém quer mais carro de funerária, aceitem.

    • Gilberto DePiento

      Weekend funerária nunca vi, mas viatura policial é o que não falta.

  • Ilbirs

    O que estamos vendo é uma racionalização nas plataformas da Fiat para que ela acabe tendo toda a linha nacional concentrada naquela base capaz de fazer qualquer coisa de Mobi a Cronos (sempre lembrando que a MP1 é uma evolução da base que foi estreada pelo Uno 327) e a SUSW, também ficando bem claro que Betim fica com a primeira base por ter altíssima capacidade de produção (segunda maior fábrica de automóveis do planeta) e Goiana com a segunda até por gerar modelos mais caros e de menores volumes de venda.
    O Doblò em tese poderia ressuscitar com a segunda geração sendo fabricada em Goiana, até por conta de suas especificações muito próximas às da Toro, o que facilitaria também aplicar trabalhos de engenharia já desenvolvidos para ela. Como já cansei de dizer, é veículo que muito bem poderia emplacar em nosso mercado justamente por seu amplo número de opções (duas opções de entre-eixos, versões fechada, chassi-cabine e Work Up etc.).

  • pedro rt

    o carro mais antigo da marca agr e a strada cabine simples. foi lançada em 1998.

    • Emanuel Schott

      Se considerar Firoino, Uno e Siena, apesar de estarem em gerações posteriores, ainda tem três carros mais velhos.

  • pedro rt

    proximo a sair de linha vai ser o grand siena e fiorino

    • Zigfrietz Tazogh

      Grand Siena foi confirmada até o final de 2019.

    • Pedro154

      Fiorino tem seu mercado, comumente a vejo por aqui, não teria por quê sair. O Grand Siena ainda tem mais dois anos pela frente.

  • Zigfrietz Tazogh
  • M7

    Já foram tarde!!!

  • Marcelo Cordeiro

    Acho que a Weekend não tinha outra alternativa,vez que o próprio hatchback do qual a StationWagon deriva já ter sido descontinuado. Contudo, a FIAT bem que poderia ter tido um pouco de boa vontade com a Dobló, aplicando na versão brasileira um facelift nos moldes do modelo vendido atualmente na Europa. Pena…

    • Elton Lopes

      Verdade

  • Antonio F.

    Só sendo fã alienado da Fiat (pleonasmo) pra achar essa tosquice do Doblò bonito, um dos carros mais feios já fabricados neste país, fez escola para o horrendo Mobi.

  • Helio Natori

    Só acho que a Fiat deveria modernizar esses motores, a combinação de baixo torque, pouca potência com o consumo elevado é de matar qualquer um de raiva.

    • Emanuel Schott

      Já está modernizando. O Firefly 1.0 tem ótimo torque e o 1.3 potencia alta pro seu tamanho. Ambos são muito econômicos.

      O e-Torq será substituído pelas versões turbo do Firefly em 2019.

  • marcos

    Ou eu não entendo nada de mercado de carro ou a Fiat entende paca, pois se a Idea sai (quem disse que ela não é um Suvinho )e a Wekeend continua dificil entender. Podia continuar fabricando, assim como Doblo e Novo Palio, realinhar Novo Uno e parar de fazer o Mobi.
    Linea concorrendo com Cobalt e Versa….tudo questão de preço.
    Wekeend a 60 paus e Doblo a 80 é pedir pra morrer…
    Com Mobi ,Uno e Argo nas ccs cara só entra pra ver Strada pra trabalho e Toro pra ostentaçao…..triste Fiat….nada mais

    • Gilberto DePiento

      Não é difícil entender por que a Idea saiu e a Weekend continuou. Basta pensar em quantas Idea policiais você já viu, e quantas Weekend.

      • marcos

        Nao tinha pensado nisso…volume de vendas pra frota e a Wekeend deve dar mais lucro que a Idea claro.
        Mas mesmo assim não tirava Idea de linha pois não deixa de ser um Suvinho, se o Kwid é claro…rss

  • daniel@95

    Que triste !!!!. Uma pena a linha week adv sair de linha é tão bonita, principalmente o modelo adv . Ainda quero comprar uma week adv 2013 a 2018 , o carro é maravilhoso .

  • Lucas Nascimento

    Agora só falta a versão “picape” do Palio Fire jurássico sair de linha, pois as versões sedã(Siena EL) e perua(Weekend) já morreram.

  • Peter Bishop

    Fim de papo pra duas porcarias

  • Pingback: Fiat tira Weekend e Doblò de linha, diz site | Nova Florida Fm()

  • Pingback: Fiat encerra produção do Doblò no Brasil | Nova Florida Fm()

  • marcos

    Tudo tem que ser renovado mas a Fiat não tem mais nada pra vender em vários segmentos e o que ela tem, não seduz ninguém.
    Com todos os pepinos Tempra enchia os olhos, Marea na sua época e seus 5 cilindros, Stilo Abarth, linha Adventure, povo ficava babando em concessionária, a Fiat ditou varias modas e modelos com Strada cabine dupla e 3 portas, Fiorino de todos os jeitos, e hoje é deprimente entrar numa CSS Fiat e ver Mobi, Novo uno e Argo….strada, fiorino e Toro e alguns Jeeps ….tirar Novo Palio e deixar Novo Uno, tirar Idea e deixar Wekkend, próprio Doblo ainda venderia, Linea e Bravo com mecânica Chrysler??
    Sobrando nada e o que saiu de linha será que não vendia ou o preço não deixava vender …..quando fabricante encerra atividade tem que indenizar concessionários, gasta uma grana alta com isso, talvez lançando modelos ridículos e fazendo as CSS quebrarem antes, seja uma forma de se evitar isso….

  • Otto Simon da Silvei

    Com isso o mercado para família fica mas restrito. E para famílias maiores sem o Doblò. que ofereciam de 5 a 7 pessoas, restará apenas o Spin nacional…lamentável.