Projeção antecipa visual do Citroën C4 Cactus brasileiro

O Citroën C4 Cactus deve chegar ao mercado brasileiro entre fim de 2017 e começo de 2018. Fabricado em Porto Real (RJ), o SUV francês chegará de visual renovado como nossa reportagem antecipou em 14 de julho de 2016. A reestilização do Cactus será inspirada nas linhas da nova geração do C3 Aircross que estreou na Europa em junho. Com base em nossas apurações o designer Du Oliveira elaborou as projeções que ilustram esse post.

Motores

O Citroën C4 Cactus terá duas opções de motores no Brasil. O SUV será equipado com o motor 1.6 16V FlexStart e também o 1.6 16V THP. O propulsor aspirado poderá ser acoplado aos câmbios manual de cinco velocidades e o automático também de seis posições. Já o propulsor turbo trabalhará em conjunto somente com a transmissão automática de seis velocidades.

O motor 1.6 16V FlexStart rende potência de 115cv a 5.750 rpm e torque de 16,1 kgfm a 4.000 rpm com gasolina, com etanol a potência é de 118 cv  a 5.750 rpm e o torque é 16,1 kgfm 4.000 rpm.

Já o propulsor 1.6 16V THP rende potência de 166 cv a 6.000 rpm e torque 24,47 kgfm  a 1.400 rpm com gasolina no tanque. Com etanol, a potência é de 173cv a 6.000 rpm e o torque é de 24,47 kgfm a 1.400 rpm.

Modelo brasileiro perderá os Airbumps das laterais

Plataforma

O Citroën C4 Cactus nacional manterá a plataforma modular EMP2. As medidas do modelo nacional também serão idênticas as do modelo europeu. Assim, o SUV tem 4,16 metros de comprimento, 2,60 m de entre-eixos, 1,73 m de largura e 1,48 m de altura. Por enquanto, o SUV é chamado internamente de Projeto F3.

Linhas

Com a reestilização o C4 Cactus perderá os famosos Airbumps como antecipamos em 29 de novembro de 2016. Tirando isso as laterais não terão alterações em relação ao modelo europeu. As portas também manterão o mesmo formato.

Na dianteira, o SUV terá conjunto óptico duplos, o principal é mais estreito, inspirado na nova geração do C3 Aircross europeu. O duplo chevrón fica destacado na grade que faz jogo com os faróis principais. O para-choque terá entrada de ar divididas em duas partes para o abrigo da placa de identificação.

Já na parte de trás, o Citroën C4 Cactus terá novo para-choque mais robusto e lanternas traseiras com efeito tridimensional.

Interior

De acordo com nossas apurações, o Citroën C4 Cactus nacional perdeu muita coisa no acabamento interno em relação ao modelo europeu. Os painéis de porta foram simplificados. Já o painel é outro e o SUV ganhará uma nova central multimídia instalada na parte central.

Projeções | Du Oliveira/Especial para o Autos Segredos

  • Gustavo Adriano

    Simplificação = Vai ficar uma bosta!
    Gosto muito dos Citroën, quando adolescente lembro-me que achava as linhas dos modelos um tanto quanto femininas, algo que eu acabei me acostumando com o tempo.
    Hoje sou fã da marca, apesar dos problemas crônicos de suspensão devido ao nosso asfalta e ruas mal pavimentadas, e desde o início gostei do Cactus, assim como o interior. Gostaria muito que o C3 europeu chegasse em solo brasileiro, o que acho que irá demandar tempo.
    Como no início, espero que não desmantelem o interior em demasia, pois o modelo europeu possui desenho com personalidade.

  • Darlon Anacleto

    Tomara que a traseira seja bem diferente dessa projeção.

    • Mario

      Realmente é horrível! Se for assim, será mais um mico da PSA.

  • AG.47

    “De acordo com nossas apurações, o Citroën C4 Cactus nacional perdeu muita coisa no acabamento interno em relação ao modelo europeu. Os painéis de porta foram simplificados. Já o painel é outro e o SUV ganhará uma nova central multimídia instalada na parte central.””

    Não gosto dessas simplificadas, mas o painel original do C4 Cactus dificilmente agradaria o público brasileiro. Só espero que não façam uma adaptação mal feita.

    • ADAM ROCKERFELT

      Nada neste negócio ai me agrada, o novo C3 Aircross é muito mais atraente e irmão gêmeo do 2008. Para que complicar?

  • Thiago Maia

    Deveriam trazer logo o C3 Aircross, pois é mais alto,levemente.levemente . mais largo e só milímetros menor

  • Thiago Maia

    Se for pra simplificar algo, que venha pra tirar de linha o Aircross. Poderia manter o nome

    Porque para apresentar um produto mais caro, mais próximo ao 2008, deveria vir bem acabado

  • Dreidecker

    O design da traseira continua horroroso.

  • Mario Souza

    Ficou horrível, prefiro o original sem alteração nenhuma!

    • Filipe

      Essa lanterna traseira é bem anos 90,! Feio e desta do veículo!!

  • Ilbirs

    Onde se lê:

    O Citroën C4 Cactus nacional manterá a plataforma modular EMP2. As medidas do modelo nacional também serão idênticas as do modelo europeu. Assim, o SUV tem 4,16 metros de comprimento, 2,60 m de entre-eixos, 1,73 m de largura e 1,48 m de altura. Por enquanto, o SUV é chamado internamente de Projeto F3.

    Entenda-se:

    O Citroën C4 Cactus nacional manterá a plataforma PF1. As medidas do modelo nacional também serão idênticas as do modelo europeu. Assim, o SUV tem 4,16 metros de comprimento, 2,60 m de entre-eixos, 1,73 m de largura e 1,48 m de altura. Por enquanto, o SUV é chamado internamente de Projeto F3.

    Quaisquer dúvidas sobre a plataforma do Cactus podem ser dirimidas olhando-se para o cofre de seu motor:

    https://s1.cdn.autoevolution.com/images/testdrive/gallery/citroen-c4-cactus-review-2014_10.jpg

    E comparando-o com o de outros veículos feitos sobre a PF1:

    https://cdn.salaodocarro.com.br/_upload/galleries/2017/06/01/citroen-c3-5930023974fb2_album.jpg

    https://media.genbits.com/2015/10/Nuevo-Peugeot-208-22.jpg

    • Will

      Também reparei nesse erro.
      Esse C4 Cactus é um segmento B esticado para ser alternativa aos hatches segmento C.

    • Marcos

      Estou mais curioso com o fato deles falarem que o motor THP virá somente com cambio automático, e como ele é montado na plataforma pf1 epero que o 2008 receba também esse cambio automático em algum momento.

      • Ilbirs

        A combinação de EAT6 (que suspeito fortemente que seja uma variação da AWF6F25, uma vez que os dados fazem sugerir ser essa a transmissão da Aisin usada para fazer a especificação da PSA) com 1.6 THP já existe, mas por ora só na EMP2. Provavelmente a adaptação na PF1 seja coisa simples de fazer pois, pelo que vi em algumas avaliações de modelos nacionais com EAT6, sugere-se que a operação brasileira da PSA tenha optado pela versão que suporta mais torque dessa transmissão e a esteja usando mesmo com o 1.6 16v, que nem de longe sobrecarregaria a que suporta torque mais baixo.
        Que se leve em conta que algumas combinações na plataforma PF1 são ou foram inéditas. Uma delas foi a do 2008 com o motor 1.6 THP, que o Brasil teve a primazia de estrear. Uma combinação de 1.6 THP, EAT6 e PF1 também seria novidade daquelas, ainda que de curta duração, pois iria para o 2008 THP e o Cactus e, para depois disso, a PSA daqui só lançaria modelos já sobre a CMP (sucessora da PF1 e pensada para subcompactos e compactos como a EMP2 para médios e médios-grandes).

  • Ilbirs

    Olhando para essa projeção, vê-se claramente o quanto que os Airbumps são parte integral e integrante do estilo do Cactus a ponto de, se retirados, quebrarem toda a estética do veículo.

    • CorsarioViajante

      E deixarem bem sem graça e genérico. Eu não curto os airbumps, mas assim como o C3 nacional tinha como únicos atrativos o tetão solar e os leds na dianteira parece que o grande “tchans” do visual do cactus eram eles.

    • Fábio Peres

      Não sei… para ares conservadores tirar esses “airbumps” foi bom. Mas, vem cá, não terá frisos?

      • Raphael Pereira

        Isso foi uma projeção, o modelo real deve ter

      • Coruja

        Que carro vem com friso de fábrica hoje em dia? Essa estética dos frisos ficou datada.

    • Jad Bal Ja

      Pra mim era um carro feio com uma almofadas coladas dos lados. Agora é só um carro feio.

  • Anderson SP®

    Aqueles “air bumps” vão horríveis esteticamente, se tirarem deixam o visual mais limpo e menos poluído do original, agora resta saber se estes chegarem o que vai acontecer com o AirCross.

  • Duh

    O interior do Cactus já é simples, se vão simplificar vai ficar mais pelado que mulher na playboy.

    • Luciano

      Então vai ficar bem sensual, hehehe…

  • Pingback: Não aos SUVs – As (poucas) marcas que ainda resistem à onda | Porto24horas o interior está conectado!()

  • CorsarioViajante

    Pegue um C3 Aircross e estiiiiiiiique… Pronto!

    • Thiago Maia

      Pra quê esticar?

      Saó do mesmo tamanho

      Veja no meu pos abaixo, q vou editar agora

      • CorsarioViajante

        POis é, me pareceu mais baixo e comprido, mas pelo visto não muda muito. Talvez o Aircross que seja muito alto!

        • Debraido

          O pior é que o C3 Aircross á basicamente um 2008. Não tem nada de grande.

        • ADAM ROCKERFELT

          Não Corsário é o C4 Cactus que é baixo mesmo. Ele tem a altura de um Sandero Stepway, aliás, o Sandero tem 1.55, é dois centímetros mais alto.

  • Luccas Villela

    Achei uma boa ideia. Aircross de 60-80 e o Cactus de 80 a 100 mil.

  • Fanjos

    Acho que dará um flopão

  • Luciano

    “O Citroën C4 Cactus nacional manterá a plataforma modular EMP2”

    O C4 Cactus europeu usa a PF1. E até onde se sabe não há previsão de produzir carros com essa arquitetura na fábrica brasileira.

    • ADAM ROCKERFELT

      E não adianta comentar, eles não leem os comentários e não corrigiram ainda.

  • Raimundo A.

    Sem os airbumps ficou bom. O novo C3 Aircross europeu teve coluna A alterada fezando o ficar mais parecido com o Cactus de lado cuja coluna C é mais avantajada.
    Se tiver detalhes mais discretos na lateral como há no nosso Aircross, estaria aceitável para mim.
    Sobre o interior simplificado, ponderação. O Cactus tem soluções papagaidas ao meu ver tipo puxador de porta em formato de cinto. Outros detalhes tipo tecido de roupa e couro de gosto duvidoso.
    Simplificar for por layout mais próximo aos veículos médios sedã e os compactos, ótimo. Gostaria que os vidros das portas traseiras fossem convencionais e não basculantes. É algo fácil de criar até pelo preço que poderá ter aqui e chuto na topo, pode ser mais caro que o 2008.

  • Filipe

    Empobreceram o veículo. As duvido que reduzirão o preço. A PSA continuará sendo uma mera coadjuvante aqui na Republiqueta das bananas!

  • Whering Alberto

    OFF TOPIC: o site da QR agora é só para assinantes ???

    • ADAM ROCKERFELT

      QR para mim é aquele código bisonho que não serve para bolhufas, a não ser checkin de passagens aéreas.

      E a revista QR para mim morreu há uns 7 anos atrás.

      • Whering Alberto

        BOA!

  • Filipo

    Só um detalhe: com 1.200 Kg vazio, o motor naturalmente aspirado vai girar sempre alto, comprometendo seu consumo.

  • Diego

    Sério que o acabamento será simplificado???

  • Marco A

    Frente e lateral são lindo, mas a traseira…

  • ocampi

    Ou seja, o povão fala mal da Citroen e tem um Onix em casa…………..

  • Elton V.

    O C4 Cactus é construído sobre a plataforma PF1 usada atualmente pela PSA do Brasil.

    Para aqui, acharia mais lógico que a marca investisse no novo C3 Aircross, mercado onde surgiu o modelo. Até mesmo suas configurações se assemelham ao do primo 2008, além de ser mais espaçoso que o Cactus. E não tenho dúvidas que teria um design mais unânime.

  • Wellington Myph13

    Poderia ser mais decente e estrear a chegada do 1.2T AT6 com 120cv e 18kgfm de Torque e pronto, conjunto perfeito pra trocar o 1.6 Flex Start…

    • ADAM ROCKERFELT

      Os PureTech 1.2 Turbo tem duas versões.

      PureTech 1.2 tem 130 cv com 23,45 m.kgf de torque a 1750 rpm.
      PureTech 1.2 tem 110 cv com 20,9 m.kgf de torque a 1500 rpm.

      • Marcos

        Adiciona ai: o PureTech 130 vem com Start&Stop, não sei se o 110 vem.

        • ADAM ROCKERFELT

          Isso eu não conheço, mas o StartStop é independente do motor, pode ser instalado em qualquer um.

          O C4 Cactus na Europa com 110cv tem Start&Stop.

  • Felippe2010

    Esse carro é tão esquisito que nem parece ser um Citroen

  • Marcos Lima Junior

    Esse carro é muito pesado para um motor 1.6. Esse flex start é o antigo TU5JP4 com comando variável, que foi rebatizado de EC5. Não vai ficar bom, esse carro vai pesar mais de 1,5 tonelada fácil. Pra andar no álcool só amarrando um posto na traseira dele.

  • Ricardo Santos

    Se for substituir o Aircross tudo bem. Mas se for pra concorrer com Creta/HR-V e cia… ó coitado.

  • Robison Adada

    Não vou ficar falando mal do carro. Não vou comprar mesmo.
    Quem gostar vai lá e compra. Pronto!

  • Dudu Pimentel

    Lanterna traseira bonita, mas pequena para o tamanho do carro…algo semelhante acontece com a Spin…um tanto estranho.

  • Andre Costa

    O Cactus MK1 veio ao mundo como um carro de acabamento simples, meio balão de ensaio da popularização da Citroen – num provável reposicionamento da marca abaixo da Peugeot pós-independência da DS como marca premium da PSA.
    Daí o acabamento simples na comparação com C3 e C4. Então, dizer que virá com acabando simplificado significa que terá carpete sem isolamento, bancos de napa, retrovisores manuais e ventilação com duas velocidades?

  • pedro

    Será que isso significa que a PSA trará a fabricações dos próximos médios para o Brasil? pois os médios sempre foram montados na Argentina.

  • Igor

    mil vezes o C3-Aircross! Uma pena lançar esse em vez do outro.