Aproveitando um nicho de mercado promissor, mas mal explorado, a Yamaha resolveu trazer ao Brasil a YZF-R3, esportiva de baixa cilindrada da mesma família da YZF-R6 e YZF-R1. Chega ao mercado nacional no mês de novembro, depois de ter atingido os mercado europeu e norte-americano.

Com design agressivo, carenagem integral, faróis de duplo corpo e grandes entradas de ar, a pequena superbike é bastante ágil e tem tudo para ser uma daily-rider. Na mecânica um dois cilindros em linha de 321cm³ de deslocamento desenvolve até 42 cv @ 10.750 rpm e 3,02kgf.m @ 9.000 rpm. A taxa de compressão é conservadora: 11,2:1O arrefecimento é líquido, cabeçote com duplo comando. Pistões forjados em alumínio e camisas em liga de alumínio e silício, com tratamento DiASil Yamaha para menor atrito e maior durabilidade. O gerenciamento é por injeção eletrônica e o câmbio tem seis relações de marcha.

O chassis é do tipo diamante, fechado, em tubos de aço de alta resistência, visando equilíbrio entre resistência à torção e durabilidade. A estabilidade e manobrabilidade da pequena esportiva merecem ser destacadas. A suspensão dianteira de garfo telescópico e 130 mm de curso, faz conjunto com uma suspensão do tipo monocross na traseira, com curso de 45 mm, que privilegia baixa concentração de massa e melhor equilíbrio dinâmico. Ainda na traseira, sete ajustes de pré-carga da mola são um bom recurso aos mais detalhistas. As rodas são de 17 polegadas em ambos os eixos e os pneus tem medidas 110/70 e 140/70, mais largos na traseira. Freios a disco flutuante de 298 mm na dianteira e hidráulico na traseira, com 220 mm. O escapamento 2 em 1 é baixo, próximo ao quadro, e colabora para o melhor equilíbrio das massas. A relação peso/potência fica na casa dos 3,9 kg/cv. A posição de pilotagem é mais ereta, não tão incômoda quanto a das irmãs maiores.

O painel traz velocímetro digital e conta-giros analógico, além de indicador da marcha engatada, nível do tanque de combustível, shift light programável, indicadores de consumo médio e instantâneo, relógio de horas, indicador de temperatura do fluido de arrefecimento, e indicador da troca de óleo, além de um hodômetro total e dois parciais. É retroiluminado por leds, com três níveis de intensidade.

O tanque de combustível possui 14 litros de capacidade, com 3 litros destinados à reserva. Peso em ordem de marcha de 167 kg para a versão Standard e 170 para a versão equipada com freios ABS.

A YZF-R3 é produzida na Tailândia e será montada em regime CKD na zona franca de Manaus. Os valores vão de R$19.990 para a versão Standard até R$21.990 para a versão equipada com freios ABS. A expectativa de vendas da Yamaha fica na casa das 400 unidades mensais. As cores disponíveis serão preta, vermelha e o azul tradicional da marca.

[photomosaic]
Fotos | Yamaha/Divulgação