Apesar das novas tecnologias, ambos os motores ainda
usam o arcaico tanquinho para o sistema de partida a frio

renault-sandero-1-0-sce_4Marlos Ney Vidal (*)
Curitiba (PR)

A Renault apresentou seus novos motores 1.0 e 1.6 SCe que já estão disponíveis para a dupla Logan e Sandero. Já o propulsor 1.6 também será usado pelo Duster e a Oroch. O propulsor 1.0 é inédito na linha Renault, já o 1.6 é de origem Nissan. Equipados com motores 1.0 Sandero e Logan ficaram mais caros R$ 600, enquanto que com o propulsor 1.6 o reajuste foi de R$ 1.800.

renault-sandero-1-0-sce_3Segundo a Renault, os novos propulsores deixaram os modelos mais econômicos comparados aos antecessores. Equipados com motor 1.0, o Sandero 1.0 está 19% mais econômico e Logan 16%. Já com motorização 1.6 a redução para o hatch é 19% e para o sedã é de 21%.

“Equipamos Sandero e Logan, nossos best-sellers no Brasil, além de Duster e Duster Oroch com os novos motores 1.0 SCe e 1.6 SCe, que proporcionam baixo consumo de combustível e prazer ao dirigir. Esta é uma mudança importante e muito significativa, já que traz um grande pacote de benefícios para mais de 70% da nossa gama à venda no Brasil”, afirma Fabrice Cambolive, Presidente da Renault do Brasil.

O inédito 1.0 três cilindros da Renault têm inovações como o duplo comando de válvulas variável na admissão e no escape. O propulsor é todo construído em alumínio e é 20 kg mais leve que o propulsor antecessor. Já o propulsor 1.6 de origem Nissan, tem duplo comando de válvulas variável na admissão, injetores posicionados no cabeçote e outras novidades que garantem alta eficiência e bom desempenho. Construído em alumínio, ele é 30 kg mais leve.

sandero-1-0-sce_9Os dois propulsores foram construídos sempre pensando na economia de combustível. Por isso, além das novidades em suas construções, eles contam com outras tecnologias. Uma delas é o sistema regeneração de energia ESM (Energy Smart Management) que está disponível para os motores 1.0 e 1.6 SCe. Segundo a marca, durante a desaceleração do carro, quando o motorista retira o pé do acelerador, o motor continua girando sem consumir combustível. Assim, o alternador automaticamente passa a recuperar energia e enviá-la para a bateria, que aumenta sua carga sem consumo de combustível. Durante a aceleração, o alternador não precisa “roubar” energia do motor para enviar à bateria, já que houve a carga na desaceleração. Esse sistema garante um consumo até 2% menor.

Entretanto, apesar de todas as inovações para os motores, ambos ainda usam o famigerado tanquinho para o sistema de partida a frio. Nem mesmo o propulsor 1.0 que é um conjunto totalmente novo ganhou um sistema de aquecimento de combustível moderno. Aliás, entre os concorrentes nacionais, o três cilindros flex francês, é o único que usa o tanquinho para a partida a frio. De origem Nissan, o 1.6 também usa o tanquinho, que curiosamente já não é usado pela Nissan desde 2015…

“A tecnologia está disponível, o sistema de partida a frio funciona bem também e não era prioridade dentro de todo o pacote tecnológico que a gente trouxe para os motores”, afirma Carlos Henrique Ferreira, Diretor de Comunicação da Renault.

O motor 1.0 SCe tem potência de 79cv e torque de 10,2kgfm quando abastecido com gasolina e 82cv e torque de 10,5kgfm com etanol no tanque. O câmbio é o manual de cinco velocidades.

Já o motor 1.6 SCe tem potência de 118cv com gasolina no tanque e 120cv quando abastecido com etanol. O torque é de 16 kgfm para ambos os combustíveis. Os câmbios são o manual de cinco velocidades ou o automatizado Easy’R também de cinco marchas.

renault-logan-1-6-sceAlém dos novos motores, a dupla de compactos trocou a direção hidráulica pela eletro-hidráulica. Segundo a Renault, a troca significou uma economia de 2%. Em manobras, a direção está mais leve, mas ainda assim são necessárias muitas voltas no volante.

As versões equipadas com motor 1.6 passam a contar com o sistema Start&Stop. De acordo com a Renault, o sistema gera economia de combustível em até 5%. O sistema pode ser ativado/desativado através de um botão à esquerda do volante.

A Renault não atualizou suas transmissões, mas, trocou o acionamento por varetas por cabos. Com a alteração, a alavanca fica quieta em seu devido lugar, não tendo mais vida própria. Apesar do curso ainda longo, os engates estão mais macios e mais precisos.

renault-logan-1-6-sce_1Nesse primeiro contato, a marca só disponibilizou unidades dos compactos equipadas com motor 1.0. Andamos, com três ocupantes num Sandero Expression. Comparado ao propulsor anterior a evolução é grande. O motor tricilíndro se destaca pelo bom torque em baixas rotações. As retomadas também estão melhores e motor ganha fôlego mais rápido, deixando o modelo mais ágil.

De série o Logan Authentique vem equipado com direção eletro-hidráulica, vidros elétricos dianteiros, travas elétricas e ar-condicionado. A versão Expression acrescenta comando de som por satélite, vidros dianteiros elétricos com função one touch e sistema antiesmagamento, computador de bordo, banco do motorista com regulagem de altura, maçanetas externas e retrovisores na cor da carroceria, maçanetas internas cromadas, iluminação do porta-malas e CD MP3 2DIN com conexão USB/Auxiliar/Bluetooth.

sandero-vibe-1-0-sce_1A versão Dynamique acrescenta rodas de liga-leve de 15 polegadas, retrovisores na cor da carroceria, alarme, retrovisor elétrico, farol de neblina e vidros elétricos traseiros, entre outros itens.

Já o Sandero ganhou a versão 1.0 Vibe quem vem de série com com sistema multimídia MEDIA Nav Evolution com tela touchscreen 7’’, navegação GPS, rádio, conexão Bluetooth®, USB com Eco Coaching e Eco Scoring, banco traseiro com encosto rebatível, computador de bordo com multifunções,  sensor de estacionamento, rodas em liga leve aro 15’’ ar-condicionado e direção eletro-hidráulica.

sandero-vibe-1-0-sce_2Para as opções equipadas com o motor 1.6, a marca mantém como opcional o câmbio automatizado Easy’R, que segundo a Renault foi recalibrado. O preço sugerido é de R$ 3.500 e agrega ainda o controle eletrônico de estabilidade (ESP) e assistente de arrancada em subidas (HSA).

Confira abaixo os preços da linha Logan e Sandero:

  • Logan Authentique 1.0 SCe – R$ 46.300
  • Logan Expression 1.0 SCe – R$ 48.200
  • Logan Expression 1.6 SCe – R$ 52.750
  • Logan Dynamique 1.6 SCe – R$ 56.400
  • Sandero Authentique 1.0 SCe – R$ 42.400
  • Sandero Expression 1.0 SCe – R$ 4.950
  • Sandero Vibe 1.0 SCe – R$ 47.100
  • Sandero Expression 1.6 SCe – R$ 49.770
  • Sandero Dynamique 1.6 SCe – R$ 53.500
  • Sandero GT Line 1.6 SCe – R$ 54.620

LANÇAMENTOS

A marca informou a ordem de chegada de suas novidades, entretanto, somente o Captur tem data definida e será lançado em fevereiro. Na sequência virão o SUV Koleos e o hatch Kwid.

O SUV Captur que será lançado em fevereiro, chegará equipado com o motor 1.6 SCe e câmbios manual e CVT e também com o 2.0 e câmbio automático de quatro velocidades.

(*) O jornalista viajou a convite da Renault do Brasil.

Fotos | Renault/Divulgação