Renault Captur 1.6 X-tronic CVT será vendido nas versões Zen e Intense

Por Marlos Ney Vidal
De Niterói (RJ)

Quatro meses depois de seu lançamento, o Renault Captur 1.6 ganha o esperado câmbio X-tronic CVT. O SUV será vendido nas versões Zen, por R$ 84.900, e na Intense, por R$ 88.400. O fabricante francês aposta alto na transmissão CVT e estima que as versões equipadas com o câmbio representem 60% das vendas. O fabricante não estipula números, mas,  a meta é dobrar as vendas do modelo no mercado nacional. Considerando as vendas do mês de maio, pode-se calcular que a Renault espera vender 3.600 unidades do Captur por mês.

Mix

Para o segundo semestre, a Renault estima que a versão 1.6 Zen equipada com o câmbio manual será responsável por 20% das vendas do SUV, já a opção 1.6 Zen CVT ficará com 10%, enquanto que a 1.6 Intense CVT representará 50% das totais do SUV. Por fim, a topo de linha 2.0 Intense AT terá 20% de participação nas vendas do SUV.

Segurança

De série desde as versões básicas, o Renault Captur 1.6 CVT vem equipado com controle eletrônico de estabilidade (ESP), controle eletrônico de tração (ASR). Ainda fazem parte do pacote, quatro airbags de série (dois frontais e dois laterais). Para o transporte dos pequenos, o Captur tem sistema de fixação ISOFIX para duas cadeirinhas infantis. Os freios ABS tem auxílio de frenagem de emergência (AFU) e distribuição eletrônica de frenagem (EBD).

A assistência de partida em rampas (HSA) é acionada quando o carro se encontra em uma inclinação superior a 3°. Este sistema freia o carro por até 2 segundos, auxiliando a arrancada em ladeiras e trazendo conforto e segurança.

Motor

Equipado com câmbio CVT, as versões Zen e Intense contam com o motor 1.6 16V SCe que rende 120 cv a 5.500 rpm com etanol e 118 cv a 5.500 rpm com gasolina. Já o torque é de 16,2 kgfm a 4.000 rpm seja com etanol ou gasolina.

Conforto

Todas as versões são equipadas com direção eletro-hidráulica, ar-condicionado (automático na versão Intense), velocímetro digital, vidros elétricos nas quatro portas, retrovisores laterais rebatíveis eletricamente e apoio de braço para o condutor (na versão Intense).

Tecnologia

O sistema MEDIA Nav é oferecido como opcional na versão Zen ao custo de R$ 2.500. De série na opção Intense, o sistema tem tela touchscreen de 7”, o usuário tem acesso ao GPS integrado, Bluetooth, câmera de ré, eco-scoring e eco-coaching. O sistema é integrado com o comando satélite que possibilita ao motorista acessar tudo sem tirar as mãos do volante.

Vida a bordo

O sistema de partida é por botão, entretanto, a marca segue insistindo na chave em formato de cartão que é a mesma do Megane de 2006. Os demais comandos de vidros elétricos, ajustes de retrovisores estão bem posicionados e ao alcance das mãos do condutor. Entretanto, inexplicavelmente a tecla de acionamento piloto automático está instalada próximo da alavanca do freio de estacionamento. Outro deslize é falta de ajuste de profundidade da coluna de direção que tem somente regulagem de altura.

Suspensão

Mesmo equipado com rodas de 17 polegadas e pneus de perfil 60, o conforto de rodagem do SUV é mantido. A calibragem da suspensão também é boa e o Captur anda por pisos irregulares com suavidade, sem expor os ocupantes a solavancos.

Andando

Em nosso curto contato com o Captur 1.6 CVT rodamos por cerca de 25 quilômetros em circuito praticamente plano. Com dois ocupantes no trânsito urbano, o SUV é bem ágil e quase não se escuta o funcionamento do câmbio CVT, méritos do bom isolamento acústico. Entretanto, em trechos no qual pode se exigir mais velocidade do SUV, é necessário fazer maior uso pé direito, que acaba resultando em maior ruído do conjunto.

(*) O jornalista viajou à convite da Renault do Brasil.

Fotos | Renault/Divulgação