Jeep Compass 2017 chega com credenciais para ser referência em sua categoria

jeep_compass_trailhwak_2017_1Marlos Ney Vidal (*)
De Cabo de Santo Agostinho (PE)

Num segmento carente de novidades, a Jeep aposta em modelo global para encarar a concorrência. Nova geração do Jeep Compass se destaca pelo preço, equipamentos de série e fabricação local. Andamos alguns quilômetros com a versão topo de linha Trailhawk que tem boa lista de itens de série e aptidão para o fora-de-estrada. Segundo a Jeep, os concorrentes da versão diesel são o Audi Q3 BMW X1 e Mercedes-Benz GLA. O Compass 2017 com motor diesel é vendido nas versões Longitude com preço sugerido de R$ 132.990 e na Trailhawk que parte de R$ 149.990.

jeep_compass_trailhwak_2017_18Desde o começo do projeto, nossas fontes já apontavam que o SUV seguiria os traços do Grand Cherokee, de fato tanto a dianteira quanto a traseira lembram muito do Compass lembra muito o irmão maior.

Já o interior o SUV, a similaridade com o Jeep Renegade e com a Fiat Toro é grande, o que não é ruim. O interior agrada bem no quesito ergonomia. O banco, apoia bem as pernas e a coluna. Na versão Trailhawk o banco do motorista conta com regulagem de altura elétrico. O volante com conta regulagem em altura e profundidade. Multifuncional, o componente tem boa espessura, os comandos do piloto automático, telefone e computador de bordo estão instalados na parte da frente, já os comandos de áudio estão localizados na parte de trás do volante próximo as aletas de troca de marchas poderiam ser maiores.

jeep_compass_trailhwak_2017_22O quadro de instrumentos conta com tela central em TFT colorida de 7” que pode ser configurável e mostra todas as informações do carro. Nas extremidades estão os marcadores analógicos, na esquerda o conta-giros e na direita os marcadores de velocidades.

De série a partir da versão Longitude, o SUV vem equipado com a central multimídia UConnect de 8,4 polegadas com GPS e câmera de ré.  O sistema touchsreen tem conexões Bluetooth e USB e permite configurações das funções do carro e do sistema de ar-condicionado.

A cobertura do painel é revestida com material suave ao toque na cobertura do painel e forrações e porta. Assim como no Renegade, o Compass 2017 conta os easter eggs da marca. A marca não informa onde eles estão e diz que é uma diversão para dono do carro procurar detalhes curiosos escondidos. Há desde uma salamandra (símbolo dos escaladores) até o monstro do Lago Ness (nós encontramos o monstro na tampa do vidro do porta-malas), passando por rastros dos pneus do pioneiro Jeep Willys MB.

O banco traseiro também tem bom apoio para as pernas e coluna dos ocupantes e bipartido 60/40 e rebatível.

jeep_compass_trailhwak_2017_8DESLIZES

Nem tudo são flores para o Compass, a marca peca por não oferecer nem como opcional o sensor de estacionamento dianteiro. Assim como o fechamento automático da tampa traseira que será ofertado somente na linha 2018 do SUV. Outro deslize é o capô, que ao ser aberto é sustentado pela tradicional vareta, modelo mais rústico como Renault Duster conta com sustentação por amortecedores.

ANDANDO

Equipado com o já conhecido motor 2.0 Multijet II turbo diesel que é eficiente em qualquer tipo de piso. O Compass preza pelo conforto dos ocupantes no habitáculo. Rodando a 120km/l por hora o motor trabalha silencioso a 1.800rpm e quase não se ouve o propulsor trabalhando. O propulsor rende 170 cv de potência a 3.750 e, principalmente, os 35,7 kgfm de torque a 1.750 rpm.

jeep_compass_trailhwak_2017_15Assim como no Renegade e na Toro, as respostas do motor são sempre imediatas, basta dar uma pisada no acelerador para que o Compass trafegue com mais disposição. Quando comparado ao Renegade Trailhawk, o Compass Trailhawk pesa 77 quilos a mais. Mesmo assim, o conjunto esbanja vitalidade para empurrar o SUV. Mas, o bom desempenho não é mérito só do motor, o câmbio automático de nove velocidades faz sua parte, com muitas marchas, as relações são curtas e proporcionam ganho de giro mais rápido ao motor.

FORA-DE-ESTRADA

Andamos com a versão topo de linha numa pista de off-road preparada pelo fabricante. Nela, as capacidades off-road do Compass foram colocadas a prova. As versões Longitude e Trailhawk são equipadas com o sistema de tração 4×4 Jeep Active Drive Low. Acompanhada do sistema Selec-Terrain, o condutor só tem o trabalho de escolher a melhor função para determinados tipos de piso. Basta girar o seletor no console central e o conjunto mecânico se adapta aos modos Snow (neve, para terrenos escorregadios), Sand (areia), Mud (lama) e Rock (pedra), este último exclusivo da versão Trailhawk. Ou então o Compass faz tudo sozinho no modo Auto. O único trabalho do motorista é apontar a direção, de resto a eletrônica faz sua parte.

A versão Trailhawk tem maior capacidade no fora-de-estrada por conta de algumas alterações: a suspensão é 2 cm mais alta, pneus especiais de uso misto, placas extras de proteção sob a carroceria e o adesivo preto fosco no centro do capô que tem função prática, ao eliminar o ofuscamento do motorista, cortando reflexos indesejados do sol ou outra fonte externa de luz. Por conta de todo o seu potencial, a versão recebe o selo Trail Rated  4×4, que comprova que o veículo superou critérios da Jeep para cinco quesitos: articulação, distância do solo, manobrabilidade, transposição na água (no caso, até 48 cm) e tração.

jeep_compass_trailhwak_2017_25

A marca espera vender 2.500 unidades mês do Compass. O mix de venda inicialmente será de 70% para as versões flex e 30% para as equipadas com motores diesel.

Confira os preços de todas as versões:

  • Jeep Compass Sport flex – R$ 99.990
  • Jeep Compass Longitude flex – R$ 106.990
  • Jeep Compass Limited flex – R$ 124.990
  • Jeep Compass Longitude diesel – R$ R$ 132.990
  • Jeep Compass Trailhawk diesel – R$ 149.990

Jeep_Compass_Trailhawk_036

DE SÉRIE

Entre os principais itens de série da versão estão: acendimento automático dos faróis, airbags laterais, airbag de cortina, airbag de joelhos para o motorista, ar-condicionado dual zone, banco do motorista com regulagem de altura, bancos revestidos em couro com costura em vermelho, câmera de estacionamento traseira, chave de presença – Keyless Enter ‘n Go, controle de Estabilidade (ESC), controle de estabilidade para trailler (quando com engate Mopar), controle de tração, controle eletrônico anti capotamento, detector de pontos cegos, espelho interno eletrocrômico, espelhos retrovisores externos com rebatimento elétrico, faróis em Xenon, faróis e lanterna traseira de neblina, faróis e Lanternas com assinatura em LED, freio de estacionamento elétrico, freios a disco nas quatro rodas, ganchos de fixação de carga no porta-malas, ganchos de reboque vermelhos (dois dianteiro e um traseiro), Hill start assist, luzes diurna (DRL), panic break assist, piloto automático, retrovisores externos elétricos, rodas em liga aro 17’’e pneus 225/60 all terrain, sensor de estacionamento traseiro, sensor de chuva, sistema de áudio com seis alto falantes , USB e Bluetooth, sistema de monitoramento de pressão dos pneus.

OPCIONAIS

 A versão Trailhwak conta com dois pacotes de opcionais. A primeira opção é o teto solar elétrico panorâmico Command View que sai por R$ 7.100. Já o segundo pacote é o High tech que agrega piloto automático adaptativo (ACC), aviso de mudança de faixas, sistema de farol alto com comutação automática, aviso de colisão frontal, tomada auxiliar de 127V, ajuste do banco do motorista elétrico (8 posições), sistema de audio premium com 9 alto-falantes, remote start (partida remota) e sistema de estacionamento semiautônomo (Park assist) por R$ 13.500.

Fotos | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos e Jeep/Divulgação (painel)

(*) O jornalista viajou à convite da Jeep do Brasil