Carro 1.0 não nasceu para ser econômico, mas sim para pagar menos imposto e se o carro não for leve, ele dificilmente será mais econômico que suas versões com motores maiores,  por necessitar de rotações maiores para sair da inércia. Portanto, não se assuste com o título. Ainda assim, os números divulgados pela Fiat apontam que o Uno Economy 1.4 é mais econômico que o veterano Mille Economy nos números de ciclo urbano, seja com gasolina ou etanol. A versão Economy foi antecipada pelo Autos Segredos (veja aqui e aqui).

Enquanto o Uno faz 16,3 km/l (gasolina) e 11,3 km/l (etanol), o Mille consegue 15,6 km/l (gasolina.) e 11,1 km/l (etanol). Em ciclo rodoviário, no entanto, o Mille empata o jogo fazendo 22,0 km/l (gasolina.)-15,6 km/l (etanol) contra os 21,5 km/l (gasolina)-14,7 km/l (etanol) do Uno quadrado-redondo. Para efeito de comparação, o Uno Attractive 1.4 consegue rodar 14,7 km/l (gasolina)-10,3 km/l (álcool) na cidade e 19,4 km/l (gasolina)-12,8 km/l (álcool) na estrada. Quero ver alguém conseguir estes números na “vida real”, mas o fato é que será mais econômico de alguma forma.

Conforme antecipou o Marlos, o motor 1.4 EVO sofreu uma série de modificações para se enquadrar no perfil Economy, e olha que para ser “EVO” este bloco já havia recebido boas alterações… Desta vez boa parte das atenções se voltaram para a central eletrônica de gerenciamento, Magneti Marelli 7G, e suas definições de  curva do pedal do acelerador, estratégias de CUT-off.Nos carros com acelerador eletrônico – Drive-by-Wire, como a grande maioria atualmente – a central gerencia a abertura da borboleta de aceleração procurando o melhor avanço de ignição, a posição ideal do variador de fase do comando, o tempo de injeção e, também, a posição de borboleta do coletor de admissão. Com isso o motor trabalha de forma mais correta, e NOVAS novas programações neste gerenciamento teriam melhorado a eficiência e o desempenho do Uno Economy 1.4.

Agora o gerenciamento do motor corta a injeção de combustível nos cilindros mais rápido em desacelerações com marcha engatada. Isto é o chamado CUT-off, que entra em ação ao usar o freio-motor, o que ajuda a poupar combustível. O econômetro, presente no quadro de instrumentos, melhora indiretamente o consumo, ensinando o motorista a dirigir da forma mais eficiente.Pra completar, a relação de diferencial está cerca de 9% mais longa, passando de 4,067:1 para 3,714:1. Para se manter ágil, a relação de 5ª marcha é a mesma do Uno Sporting. Mais curta, passou de 0,838:1 para 0.872:1. A pressão nos pneus foi aumentada de 28 libras para 35, e os amortecedores recalibrados para compensar no conforto. A distância do solo foi diminuída em 1 cm para melhorar a resistência do carro com o ar.

A potência do motor 1.4 EVO foi mantida nos 85/88 cavalos bem como o torque de 12,4 / 12,5 Kgfm. O desempenho também foi mantido. Segundo a Fiat, a versão chega aos 100 km/h no mesmo tempo que a versão Attractive (11,1 segundos com gasolina e 10,8 segundos quando abastecido de etanol), e a velocidade máxima também não sofreu mudanças (170/172 km/h, gasolina/etanol respectivamente).Segundo a montadora italiana, além de o Uno Economy 1.4 ser “o mais econômico de seu segmento”, o mesmo é “o 1.4 mais barato do mercado”. A versão duas portas tem preço sugerido de R$ 28.120, enquanto a quatro portas será comercializada por R$ 29.950. Para-choques, maçanetas e retrovisores pintados na cor da carroceria, rodas aro 14” e pneus 175/65 com baixa resistência à rolagem e revestimento externo na coluna central das portas são itens de série.

Fotos | Fiat/divulgação

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter