Bom torque em baixa rotação é destaque da versão Drive: performance está na média do segmento, mas o preço deixa desejar pela falta de itens de série presentes nos rivais

Marlos Ney Vidal (*)
De São Paulo (SP)

Depois de apresentar o Argo com motores 1.3 e 1.8, chegou a vez da Fiat apresentar a versão 1.0 Drive de seu novo compacto. O hatch ainda não completou 30 dias de mercado e as vendas do primeiro mês não devem empolgar. Segundo o fabricante, problemas nas distribuição do carro afetaram seu desempenho.  A rede estará plenamente abastecida no começo de julho, quando começam as publicidades em torno do carro.

A nova configuração é equipada com o motor 1.0 Firefly que rende potência de 72 cv a 6.000 rpm e torque de 10,4 kgfm a 3.250 rpm quando abastecido com gasolina e 77 cv a 6.250 rpm e torque 10,9 kgfm a 3.250 rpm com etanol no tanque. O câmbio é o manual de cinco velocidades.

Andando

Para um carro, cujo público deve rodar a maior parte do tempo em trânsito urbano, o Fiat Argo 1.0 Drive se sai bem e o desempenho dele está na média de seus concorrentes diretos, Chevrolet Onix e Hyundai HB20, além do Ford Ka. O hatch arrancou rápido e teve boas retomadas no trânsito urbano e pesado de São Paulo. O responsável é bom torque em baixas rotações – 80% já está disponível a partir dos 2.500 rpm.

Não foi possível imprimir maior velocidade no compacto devido ao trajeto com trânsito. Mas, no pouco espaço em que pudemos abusar um pouco do pé direito, o Argo se mostrou disposto dentro das limitações de um carro 1.0.

Já o câmbio de curso longo e engates não tão precisos incomodam um condutor mais exigente. Outro deslize notado é o isolamento acústico, que deixou a desejar e, em alguns momentos,  permiti notar o barulho e vibrações característicos dos motores tricilíndricos.

Preço

Vendido a R$ 46.800, o preço é o calcanhar de Aquiles do modelo. Apesar de ser bem equipado, o hatch carece de equipamentos mais valorizados pelos clientes. Vale lembrar que o Argo tem equipamentos não ofertados em seus concorrentes diretos como o sistema Start&Stop, apoio de cabeça central e cinto de segurança central de três pontos. O modelo também leva a vantagem por ser um projeto mais atual.

Entretanto, fica devendo um sistema de som como equipamento de série, item ofertado no Chevrolet Onix LT, Hyundai HB20 Comfort e Ford KA SE que vem com equipamentos simples, mas, que contam, por exemplo, com a tecnologia Bluetooth. Entre seus opcionais o Fiat Argo 1.0 Drive tem um rádio similar por R$ 1.300 que eleva o preço final do hatch para R$ 48.100.

No lançamento do Fiat Argo, o hatch era mais caro que o Hyundai HB20, Ford KA e mais barato que o Chevrolet Onix. Porém, a marca americana reduziu o preço de seu hatch deixando o hatch italiano com título de compacto premium mais caro do mercado.

Concorrentes

Na cena atual, o Chevrolet Onix 1.0 LT tem preço sugerido de R$ 46.150, o Hyundai HB20 1.0 Comfort tem preço inicial de R$ 42.500 e o Ford KA 1.0 SE parte de R$ 43.760. Será uma missão complicada para os vendedores das revendas Fiat explicarem como um modelo pode ser mais caro e não contar nem com um rádio de série.

Itens de série

O Fiat Argo 1.0 Drive vem equipado com ar-condicionado, banco do motorista com regulagem de altura, banco traseiro rebatível, chave canivete com telecomando para aberturas das portas, vidros e porta-malas, apoios de cabeça e cintos de três pontos para todos os ocupantes, direção elétrica progressiva, desembaçado do vidro traseiro, Isofix, iluminação do porta-malas, limpador do vidro traseiro, predisposição para rádio (dois alto-falantes dianteiros, dois alto-falantes traseiros e dois tweeters e antena), sistema Star&Stop, travas elétricas, vidros dianteiros elétricos, volante com regulagem de altura e computador de bordo.

Opcionais

O Fiat Argo 1.0 Drive tem quatro pacotes de opcionais:

Kit Multimedia – R$ 1.990
Uconnect Touch 7” – Central multimídia com tela de 7” touchscreen; comandos de voz Buetooth, áudio streaming; AUX/USB/MP3/AM/FM; volante multifuncional com comandos de áudio e fone, segunda entrada USB.

Kit Convenience – R$ 1.200
Retrovisores externos elétricos com luzes indicadores de direção integrada e função Tilt Down; vidros elétricos traseiros com one touch e antiesmagamento.

Kit Parking – R$ 1.200
Câmera de ré e sensor de estacionamento traseiro com visualizador gráfico.

Rádio Connect – R$ 1.300
Rádio com AUX/USB/MP3/AM/FM, áudio streaming, viva-voz Bluetoth e comandos do rádio e telefone no volante.

Conforto

Os bancos dianteiros são confortáveis e apoiam bem o corpo dos passageiros. O assento também tem bom apoio para as pernas. Tanto o motorista quanto o passageiro têm bom espaço para as pernas.

Os passageiros do banco traseiro estão bem servidos com cintos de três pontos e apoios de cabeça para todos – de série em todas as versões. A nova plataforma MP1 permitiu maior espaço lateral para os ocupantes. O túnel central mais baixo baixo facilita o transporte de três adultos no banco traseiro. Já passageiros de maior estatura que estiverem nas extremidades sentirão falta de espaço para as cabeças por conta do formato da carroceria.

O entre-eixos de 2,52 m oferece bom espaço para as pernas no banco traseiro até mesmo para os mais altinhos. Porém, o assento do banco traseiro é curto e não tem bom apoio para as pernas dos ocupantes.

Acabamento

O Fiat Argo não tem materiais sensíveis ao toque em seus forros de porta e painel. Entretanto, conta com um acabamento bem cuidado, bem montado e com encaixes perfeitos. Os plásticos usados na construção do painel e dos forros de porta são de boa qualidade e têm boa aparência. As portas têm fechamento suave. Alguns comandos são velhos conhecidos: os dos vidros elétricos são os mesmo usados por Punto, Palio e Uno, bem como o comando de ajuste dos retrovisores elétricos.

Tamanho e peso

O Fiat Argo tem 4 metros de comprimento; 1,75 m de largura; 1,5 m de altura e 2,52 m de entre-eixos. A capacidade do porta-malas é de 300 litros. Já o tanque de combustível tem capacidade para 48 litros. A versão 1.0 Drive pesa 1.105 kg.

Liderança

Durante a apresentação da versão 1.0, um executivo da marca disse que a Fiat não mira o primeiro lugar do segmento e estima que o Argo ajude na recuperação da liderança de mercado perdida para a Chevrolet. A expectativa da marca é que a versão 1.0 represente 35% das vendas do modelo.

(*) O jornalista viajou à convite da Fiat.

Fotos | Fiat/Divulgação