Nissan e-NV200 (1)Henrique Rodriguez
(Rio de Janeiro/RJ)
Após um mês em testes nas mãos da FedEx, o protótipo do Nissan e-NV200 se prepara agora para embarcar para os Estados Unidos. Antes disso, a van elétrica foi apresentada a imprensa brasileira, que teve a primazia de dirigir o modelo, cuja versão definitiva será apresentada no início do mês que vem durante o Salão de Genebra.

Nissan e-NV200 (2)A parceria entre a fabricante e a operadora de transporte expresso se repetiu na Japão, Reino Unido e Cingapura, e agora, após quatro semanas sendo utilizado para entregas rápidas no Rio de Janeiro, o carro seguirá para os Estados Unidos, onde continuará no batente, sempre monitorado por equipamentos de medições da Nissan. Estes dados são analisados para estabelecer os parâmetros de operação do veículo.

Nissan e-NV200 (13)O objetivo do projeto foi unir a funcionalidade do NV200 com motor a gasolina, comercializado há mais de quatro anos e que em breve alcançará 200 mil unidades vendidas, à eficiência energética do LEAF, primeiro veículo 100% elétrico produzido em larga escala no mundo e que já passou de 112 mil unidades vendidas. Os dois compartilham o mesmo conjunto mecânico, composto por um motor elétrico de 80Kw (aprox. 109 cv) e 28,5 kgfm de torque, operado por um câmbio CVT.

Nissan e-NV200 (10)Claro que, por ser voltado para o transporte de cargas o e-NV200 tem modo de operação um pouco diferente. Até mesmo o câmbio possui uma posição extra. Como no Leaf, o e-NV200 tem sistema que usa a energia cinética liberada em frenagens ou desacelerações para recarregar a bateria de íons de lítio, mas, exclusivamente no e-NV200 há a posição “B” no câmbio, que quando em uso atua como um freio motor um tanto forte: na verdade é o sistema regenerativo atuando com mais intensidade a partir do momento que o motorista deixa de pressionar o acelerador.

Nissan e-NV200 (11)Tal condição foi percebida em uma volta rápida nas dependências do Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro. Graças ao torque equivalente ao maior que o gerado pelo motor 2.5 do Altima disponível em sua totalidade a qualquer momento, o Nissan e-NV200 é ágil como o LEAF, o que não é nada mal para um carro com 4,2 m³ de capacidade em sua área de carga, sendo capaz de carregar um pallet com até 600 kg. Claro que carregado sua autonomia não chegará perto dós 160 km que poderia alcançar vazio e em modo econômico.

Nissan e-NV200 (6)O que surpreende é a facilidade de manuseio. Sentado em posição elevada – como é de se esperar de uma van –, não se tem visão do retrovisor interno, mas os grandes externos compensam a falta. Outra característica do projeto é o volante mais horizontal, quase como uma Kombi, porém com um bom auxílio elétrico e desmultiplicada. Ainda assim o raio de giro deste NV200 é pequeno, o que facilita manobras em lugares apertados.

Nissan e-NV200 (5)Como a Kombi foi citada, vale dizer que a Nissan fez questão de salientar que, por mais que o e-NV200 tenha passado por testes no Brasil, por ora não há qualquer intenção de trazer o NV200 a gasolina para ser comecializado por aqui, numa forma de acolher os órfãos da Kombi. Nem mesmo a versão elétrica, que será vendida lá fora em versões de carga de 1 ou 2 fileiras de bancos, ou de passageiros com 2 e 3 fileiras de bancos. Ao menos ele já tem emprego garantido como táxi em Barcelona (onde é fabricada a versão elétrica) e como prestador de serviços para a prefeitura de Yokohama, no Japão.

Nissan e-NV200 (7)O que atrai o interesse de empresas como a FedEx são os benefícios a longo prazo. Ao longo de cinco anos o custo de manutenção do elétrico será 20% menor, e ao fim do mesmo período uma frota de 100 unidades terá deixado de emitir 1700 toneladas de CO2 na atmosfera.

Fotos | Henrique Rodriguez