Na aviação, existe uma padronização internacional a respeito do posicionamento de vários instrumentos. Assim, os pilotos podem manejar diversos aviões sem estranhamento ou necessidade de adaptação. Os automóveis não são contemplados por normatização semelhante. Cada fabricante distribui os comandos pelo painel do modo que julga mais apropriado. Embora o posicionamento de vários itens acabe coincidindo, algumas mudanças às vezes podem gerar grande estranhamento para o motorista, exigindo tempo para adaptação.

Entre todos os carros que o Autos Segredos avaliou até o momento, o que causou mais dúvidas a bordo foi, de longe, o 308. A primeira delas ocorreu logo no primeiro contato, no momento de regular o volante. A direção do hatch é ajustável em altura e profundidade, mas a alavanca de comando fica escondida em um nicho, embaixo da coluna. A partir do momento em que o comando é encontrado, a operação é fácil. O problema é localizá-lo da primeira vez: invisível para quem está sentado no banco do motorista, precisei sair do carro e abaixar-me sob o painel para desvendar o posicionamento.

Outro ponto polêmico do 308 são os comandos satélite para operar o sistema de som e o controlador de velocidade. Como ficam escondidos pelos raios do volante e quase não há contato visual, é preciso algum tempo para decorar o posicionamento dos botões. Além do mais, os dois satélites ficam muito perto das alavancas que acionam as luzes externas e os limpadores do para-brisa, sendo que o da direita encavala-se também com a chave de ignição. Mesmo há mais de uma semana dirigindo o hatch, às vezes ainda realizo alguma operação involuntária, devido à proximidade entre as alavancas. A situação, no entanto, está melhorando com a convivência.

Outra ressalva vai para o sistema multimídia, com sistema de som e GPS. Como ocorre em outros veículos comercializados no Brasil, a tela não é sensível ao toque, obrigando os ocupantes a manusearem botões. Não chega a ser difícil operar o sistema, mas o fato é que um aparelho touchscreen apresentaria utilização muito mais intuitiva. No mais, o rádio tem entrada USB e leitor MP3, além de bluetooth.

Vale destacar que nem tudo é estranhamento a bordo do 308. O quadro de instrumentos, por exemplo, é completo e oferece ótima visualização. Os comandos dos vidros e dos retrovisores elétricos estão bem posicionados, na porta do motorista, e há sistema um toque para todas as janelas. Todos os botões se acendem. A iluminação interna, aliás, é outro quesito que agrada no hatch. Há spots na frente e atrás, sendo o primeiro dotado de fachos para leitura. Há lâmpadas também nos quebra-sóis, no porta-luvas e no porta-malas.Entre os bancos dianteiros, há dois encostos de braço, para motorista e passageiro.

Continue acompanhando nossas impressões sobre o 308. Ao final, publicaremos a avaliação completa do modelo.

Fotos| Peugeot/Divulgação e Alexandre Soares/Autos Segredos

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter

Curta o Autos Segredos no Facebook!