Nos últimos dias, O JAC J3 percorreu trajetos estritamente urbanos, que puseram à prova seu comportamento na cidade. O carrinho enfrentou trânsito pesado, engarrafamentos e o relevo acidentado de Belo Horizonte, MG.

A desenvoltura do hatch na cidade agrada. A visibilidade dianteira é boa, ajudada pelos espelhos retrovisores bem dimensionados, enquanto as medidas compactas da carroceria e os sensores de estacionamento ajudam a amenizar a visibilidade traseira, que não é das melhores. A direção, assistida hidraulicamente, tem calibragem leve e colabora para facilitar as manobras, mas o volante é muito fino e não oferece boa empunhadura.

O câmbio, como já havíamos comentado, tem engates imprecisos, característica ainda mais notada na cidade, onde as trocas de marcha são mais constantes. O câmbio, que não tem relações tão curtas como se costuma ver nos compactos nacionais, evidencia certa letargia do motor em baixas rotações. Em algumas situações, cheguei a desligar o ar-condicionado. Nem o comando de válvulas variável (VVT) é capaz de amenizar completamente essa característica. Porém, partir de 2.000 rpm, há boa oferta de força: o propulsor entrega 108 cv a 6. 000 rpm e 14 mkgf a 4.500 rpm.

Nos primeiros dias com o compacto, o ar condicionado foi muito utilizado para desembaçar os vidros do carro, devido às chuvas constantes. Agora, o equipamento está sendo solicitado para aplacar o mormaço típico dessa época do ano, função que vem sendo cumprida muito bem. Além do mais, o compressor é silencioso.

O J3 passou por uma elevação de suspensão para ser vendido no país. A alteração parece ter surtido bom resultado, pois o hatch transpõe lombadas e valetas sem arranhões ou ruídos. Não se pode dizer o mesmo, contudo, dos componentes do interior, pois em pisos irregulares, é possível perceber barulho proveniente do painel e da cobertura do porta-malas.

O JAC J3 cedido ao Autos Segredos está agora nas mãos do Marlos, que também compartilhará suas impressões e falará sobre outras características do modelo. Ao final, publicaremos a avaliação completa do chinês.

Fotos | Alexandre Soares/Autos Segredos

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter