Estou com o JAC J3 desde quarta e tenho rodado diariamente com o chinês. Nesse primeiro contato, tive que redobrar a atenção, pois o conta-giros em primeiro plano confunde os marinheiros de primeira viagem a bordo do chinês. Contudo, nada que alguns quilômetros ao volante não resolvam. Aliás, rodar com ele tem sido uma surpresa agradável. O motor sem dúvida é um ponto positivo do J3, pena que não posso dizer o mesmo do câmbio, que não tem engates precisos.

A demora para que a JAC enviasse o J3 teve pontos positivos. Se perdemos no quesito novidade, ganhamos em outros aspectos, já que pegamos uma unidade com mais quilômetros rodados e assim pudemos avaliar o estado do chinês depois de uma vida dura na mão de outras pessoas. E o fato de a unidade já ter passado pelas mãos de vários condutores, cuidadosos ou não, fez mal ao J3 e mostra que, pelo menos por enquanto, o modelo não está preparado para ser um carro de frotista.

Com pouco mais de 5 mil quilômetros rodados, o J3 já mostra visíveis sinais de cansaço. A foto acima mostra as borrachas das portas rasgadas e descoladas. A tampa do bagagito está com as cordas de sustentação arrebentadas, além do comando do vidro elétrico do passageiro não estar funcionando. Entretanto, ressalto que se o hatch estivesse nas mãos de um único e cuidadoso proprietário, é provável que  não estivesse nesse estado.

Agora, outros aspectos não são culpa dos vários condutores do J3 e sim do próprio fabricante. O volante, por exemplo, poderia ser um pouco menor e a alavanca de regulagem de altura poderia ter acionamento mais simples e macio, às vezes nem com as duas mãos consegue-se abaixar a peça.

Num dos primeiros posts do J3 o Alexandre falou das gentilezas do J3, como as luzes de leitura e o painel aceso mesmo com os faróis desligados, pena que se esqueceram de deixar os comandos dos vidros elétricos e dos retrovisores iluminados, isso facilitaria a vida do condutor e dos passageiros. Mas isso não é privilégio do J3, meu Logan também não tem iluminação dos comandos do vidros.

Galeria

Fotos | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter